Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

quinta-feira, 29 de junho de 2017

CAPÍTULO XLIX – Livro: Corolarium – ditado pelo Espírito de Maria de Nazareth ao médium Diamantino Coelho Fernandes. A razão de certos obstáculos, sucessos ou insucessos defrontados em vossas vidas. — A aquisição de novas luzes pelas almas desencarnadas. — Todas as almas encontram ocupação remunerada no Alto. — As desencarnadas na idade infantil.



Desejo transmitir às minhas queridas filhas e filhos encarnados, no decorrer deste livro, o maior número possível de esclarecimentos em torno da vida das almas no Além, com o objetivo de que melhor se preparem para a oportunidade do seu regresso. Nestes esclarecimentos eu não estou trazendo nada que todas vós, almas queridas, já não conheçais, porque tendo vivido séculos e séculos no mundo espiritual, todas conheceis de sobra o que lá existe. Apenas se verifica que estando agora encarnadas na Terra, e não conseguindo recordar a vossa memória espiritual, é como se de nada soubésseis. Mas, tomando conhecimento de quanto eu vos escrevo nas páginas deste livro, tereis oportunidade de ajustar os vossos atos e pensamentos ao que verdadeiramente vos interessa como almas que realmente sois, e algum dia regressareis ao plano de vida espiritual a que pertencerdes. O conhecimento, por conseguinte, dos fatos e circunstancias que no Alto se verificam, muito útil será para todas vós, porque vos dará a noção constante de que não pertenceis à Terra, nada levareis da Terra no vosso regresso, mas apenas conduzireis como bagagem o maior ou menor volume de luzes que conseguirdes acumular ao longo da vossa existência terrena. Isto não sucederá pela primeira nem pela décima vez, minhas queridas, porque tem sucedido igualmente em todas as vossas vindas à Terra, que são muitas, embora não as recordais enquanto permanecerdes na carne. Regressando, porém, à vossa morada no Além, lá ireis encontrar, perfeitamente anotadas nas páginas do livro de vossas vidas, com uma clareza notável, tudo quanto tiverdes sido no passado; desde que vos tornastes almas conscientes até à vossa presente encarnação. E então tereis oportunidade de constatar vós mesmas todos os acertos ou desacertos cometidos por vós, e, consequentemente, a razão de certos obstáculos, sucessos ou insucessos defrontados em vossas vidas atuais.

Há no Alto uma lei regulando a convivência de todas as almas estagiárias, que são todas aquelas que lá se encontram no estado de desencarnadas. Determina a referida lei a obrigação das almas se preocuparem constantemente com a aquisição de maior volume de luzes para o seu diadema, assim denominada por nós a aura luminosa que se apresenta formando um pequeno círculo em volta da cabeça de todas as almas, tanto no estado de desencarnadas no Além, como quando encarnadas na Terra. É pela maior ou menor projeção dessa aura que nós podemos identificar o grau evolutivo de cada uma das almas encarnadas, o que, entretanto, nenhuma de vós pode fazer pela falta da necessária vidência espiritual. Este fato permite-nos, pois, a todas nós desencarnadas, verificar a existência neste vosso plano terreno, de almas já grandemente evoluídas, vivendo muitas delas vidas bastante modestas no vosso meio. Esta é uma grande verdade, minhas queridas. Pode dar-se, inclusive, que estejais relacionadas com pessoas absolutamente simples em sua modéstia, vivendo vidas algo difíceis porque assim as tenham solicitado, e no entanto, ostentando uma aura assaz luminosa, a atestar o seu grau evolutivo. Trata-se então de almas que desejaram voltar ao ambiente terreno com a missão de aconselhar e servir aos semelhantes, enquanto apuram ao máximo as suas próprias faculdades psíquicas por meio da oração diária ao Senhor do Mundo. As Forças Superiores utilizam-se muito frequentemente desta categoria de almas encarnadas para difundir idéias novas no ambiente terreno, pela circunstância de as mesmas se encontrarem quase sempre com suas antenas espirituais em estado de funcionamento.

Mas voltemos a falar da vivência das almas no Além, o nosso assunto inicial. Tendo por dever preocuparem-se as almas desencarnadas com a aquisição de novas luzes para o seu diadema, surge daí a necessidade de algo fazerem com esse objetivo. Mas não há nenhuma dificuldade nisto, porque muito há no Além em que as almas se ocuparem, e com verdadeiro prazer espiritual. Existe trabalho e ocupação para todas, e o mais variado, à escolha de cada uma. Há, por exemplo, a assistência à infância, na qual se ocupam milhares de almas no Além. Não vos admireis em eu vos falar aqui na assistência à infância no Além, quando sabeis que no mundo espiritual não há nascimentos como ocorre na Terra. Há por lá o que nós chamamos nascimentos, que são as almas que aqui desencarnam na idade infantil, e regressam ao Alto na sua condição de crianças. Tendo sido embora adultos anteriormente, mas tendo reencarnado e construído o seu corpinho de crianças, se essas almas vierem a desencarnar na infância, como infelizmente sucede por toda parte, essas almas infantis necessitam que se cuide delas como se crianças autênticas fossem. Existem então no Além grandes instituições destinadas a receber e cuidar dessas crianças espirituais, ocupando para isso milhares de almas adultas que escolheram esse tipo de prestação de serviço.
A lei, entretanto, que rege a permanência de almas infantis no Além, difere um pouco daquela que rege a permanência das almas adultas. Enquanto estas terão de aguardar dezenas de anos, séculos até, para poderem voltar à Terra, as almas infantis podem retornar muito mais cedo, sendo que muitas voltam a reencarnar no mesmo lar que deixaram aqui, para alegria dos seus pais que ficaram inconsoláveis. Isto acontece mais frequentemente em virtude do empenho das mães que perderam um filhinho, no sentido de o recuperarem para alegria do seu coração. São, em muitos casos, mães que possuíram um filho apenas, e vêem-no partir de um momento para outro, de volta ao plano espiritual. Estas mães inconsoláveis aproveitam as horas de sono do corpo e partem ao encontro do filhinho querido, suplicando-lhe que regresse, que volte ao seu coração na Terra, porque não podem viver sem a sua companhia. E tanto suplicam, vezes seguidas, que as Forças Superiores, sempre desejosas de atender aos pedidos justos das almas encarnadas, determinam o regresso das almas infantis ao lar materno, onde as mesmas retornam ao coração dos pais anteriores. Este fato é aliás muito frequente, sendo provável que conheçais alguns casos típicos, em que num lar recentemente abandonado por uma criança venha a nascer outra do mesmo sexo com feições inteiramente semelhantes às daquela que dali partira. Deve-se isto aos rogos, às súplicas da mãe inconformada, dirigidas com fervor ao Senhor Jesus, para conseguir a volta do seu filhinho. Pode acontecer então, e já tem acontecido, a um lar que apenas hospedara um filho, receber dois ou mais filhos, para maior alegria dos pais.

As almas infantis assim regressadas à vivência terrena são portadoras do mesmo plano de vida que antes trouxeram e não puderam cumprir por haverem desencarnado. Seu regresso pela desencarnação ao plano espiritual pode ter ocorrido por vários motivos, todos eles independentes da vontade da criança, a qual igualmente os terá lamentado e muito. Juntando-se então no Além, a súplica da mãe inconsolável ao mesmo anseio da alma em voltar à Terra, isto ajuda a determinação das Forças Superiores de autorizarem a respectiva reencarnação. Restam, entretanto, alguns milhares de outras almas infantis nos planos do Além, sendo necessário cuidar delas com o máximo de carinho. Disto se encarregam então as almas adultas que queiram prestar serviço neste setor, encontrando aí a sua oportunidade de aumentar a luminosidade do seu diadema.

Existem, porém, outros tipos de prestação de serviços para todas as almas que desejem servir ao Senhor. Ao Senhor, digo bem, porque todo o trabalho prestado nos planos espirituais é prestado ao Senhor, e por Ele retribuído em onças de luz a quantos o produzem. Há, por exemplo, o trabalho de esclarecimento das almas menos evoluídas, no qual se ocupa um número incontável de almas mais adiantadas, agindo cada qual na sua esfera de conhecimentos. Esta espécie de trabalho inicia-se, a bem dizer, no grau de primeiras letras, para as almas recém-vindas das esferas inferiores, e se estende aos cursos científicos mais adiantados, ministrados por verdadeiros mestres que passaram pelo vosso pequeno mundo. Impossível será dizer-vos aqui qual o número aproximado de almas dedicadas ao esclarecimento de suas irmãs no Alto, como impossível seria para vós dizer-me qual o número de professores em atividade em todos os setores da Terra. O ensino nos planos espirituais, ao contrário do que é ministrado nas escolas terrenas, não versa em absoluto sobre assuntos gramaticais nem teoremas matemáticos. No Alto procura-se desenvolver principalmente o intelecto das almas no sentido das realidades da vida universal, exercitando-as especialmente no discernimento entre o bem e o mal. Este tipo de ensino tem o mérito de desenvolver capacidade de raciocínio das almas, preparando-as para o domínio dos problemas que todas defrontarão no desdobramento de sua existência infinita. O domínio dos idiomas e dos problemas relacionados com as ciências positivas, as almas o conseguirão ao longo de suas vindas ao solo terreno de século em século, quando terão suas oportunidades de produzir algo em favor do progresso do mundo terreno. Aqui sim; as almas em geral se iniciam na escola primária e seguem segundo um conjunto de circunstâncias, em direção aos objetivos fundamentais que trouxeram no seu plano de vida terrena. Aquelas que tendes visto galgar em poucos anos certos postos de destaque, apenas os conseguiram em face de conhecimentos e desenvolvimento trazidos do Além, e aqui apenas despertados. Porque, em verdade, minhas queridas, as escolas terrenas o que fazem é despertar nas almas encarnadas os conhecimentos acumulados em suas mentes, do que resultará o maior ou menor êxito em seus empreendimentos. Esta é uma verdade autêntica, minhas almas queridas. Por esta razão se justifica, quantas vezes, o vão esforço de muitos pais em tentar impulsionar os filhos para a frente e para cima, sem que os filhos possam corresponder a tal esforço. Eu compararei esse fato a um belo automóvel estacionado à vossa porta, muito bem tratado, muito bem polido, mas carecendo de combustível. De nada vos adiantará tentar pô-lo em movimento em tais condições. Com os filhos, contudo, as coisas têm de ser algo diferentes. Aqueles que não puderem corresponder ao esforço dos pais, é claro que não o fazem por falta de combustível; uma vez que eles não são automóveis. A estes filhos faltar-lhes-á então substância, como é bem de ver. Faltar-lhes-á aquela substância resultante de experiências vividas anteriormente, das quais terá resultado a formação de um patrimônio espiritual. De tal patrimônio é que procede a substância à qual me refiro, de cuja posse em maior ou menor grau é que resultará o êxito das almas encarnadas.

Como, entretanto, nem todas as almas vêm à Terra para ascender aos mais altos degraus da vida terrena, mas para desempenhar um determinado papel em sua vida, não devem os pais deixar-se abater com o insucesso dos esforços que fizerem para impulsionar o êxito de seus entes queridos. Para o Senhor Jesus, o mérito de um filho não se encontra no fato de ter o mesmo ascendido às mais altas posições do mundo terreno, porém na linha do seu comportamento em relação aos seus deveres espirituais, segundo o compromisso assumido ao reencarnar. Eu direi, em acréscimo do que aí fica, que mais fácil será a uma alma encarnada cumprir integralmente o que no Alto prometeu, vivendo uma existência modesta ou quase apagada, do que àquela que o seu saber e as circunstâncias houverem guindado a posições de grande destaque. Estas, de muito visadas pela coletividade, e continuamente assediadas pela multidão de interesses contrariados, estão em regra mais sujeitas a se desviarem da rota que se traçaram, e por efeito disto a falirem mais facilmente. Aí está, por conseguinte, em palavras rápidas e simples, a razão de não poderem todas as almas encarnadas alcançar idênticos objetivos materiais na vida terrena, sem que isso as diminua perante o Senhor Jesus. A verdade, porém, é que todas a seu tempo serão provadas nas mesmas posições e circunstâncias, não importa a existência nem o século, minhas almas queridas.


Deixo-vos aqui a bênção que o Senhor vos envia por meu intermédio, e a minha própria que eu vos ofereço de todo o coração.