Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Capítulo V - Livro: Elucidário – pelo espírito de Paulo de Tarso através do médium: Diamantino Coelho Fernandes. A humanidade é uma só - A ajuda constante das Forças Superiores - Modificações substanciais na estrutura terrena -Tratai de arrumar as vossas coisas - Minha desencarnação nos arredores de Roma foi um grande bem para mim



Se me perguntassem os meus irmãos encarnados de todas as regiões do mundo terreno, por que tanto se empenham os Espíritos de Luz em vir aconselhar normas de procedimento a quantos se encontram no gozo perfeito do seu livre arbítrio, eu lhes responderia que, sendo a humanidade uma só, quer se encontre uma parte dela encarnada e outra desencarnada, esta parte, desejosa de contribuir para a maior felicidade e bem-estar da parte encarnada, empenha-se em ministrar-lhe ensinamentos e conselhos capazes de a conduzirem mais rapidamente àquele objetivo.

É certo que o homem dispõe de sua vontade e livre arbítrio para se conduzir como quiser em sua vida terrena, cumprindo ou não compromissos livremente assumidos ao se preparar para vir à Terra. Tem sido constatado, porém, que durante séculos e séculos de vidas terrenas, o progresso alcançado pelos Espíritos encarnados ficou muito aquém do mínimo que lhes cumpria alcançar. Por este motivo, pois, deliberado foi pelas Forças Superiores a vinda ao meio terreno de numerosos Espíritos mais e menos evoluídos, a transmitirem aos seres humanos uma palavra de incentivo, de ensinamento e de conselho, no sentido de os ajudar a percorrer com êxito o caminho em que hoje se encontram, e de impedir que no amanhã que vem próximo, se desesperem a lamentar o que todos desejamos evitar.

Já foi dito por outros mensageiros de Jesus em várias oportunidades, que a esfera terrestre se prepara para receber modificações substanciais em sua estrutura, modificando e aprimorando condições necessárias à vivência dos seres humanos.  Como é bem de ver, sempre que haja necessidade de introduzir modificações em qualquer estrutura, o que nela houver estabelecido deverá ser previamente removido para deixar livre a superfície a modificar. Assim terá de acontecer ao vosso pequeno mundo em dias que se aproximam numa velocidade igual à da sua própria rotação, e necessário se torna que sejais disso prevenidos com alguma antecedência, a fim de que possais arrumar as vossas coisas, os vossos pertences de ordem moral, para os levardes convosco se a vossa partida vier a ocorrer em meio aos acontecimentos esperados. Referindo-me às vossas coisas e aos vossos pertences, estou certo de que bem compreendereis o meu pensamento. Não me refiro, é claro, as vossas instalações domésticas, por modestas ou luxuosas que sejam, nem aos vossos haveres em valores de bens terrenos ou depósitos bancários, porque nada disso constitui patrimônio do Espírito que realmente sois. Quando me refiro ao que devereis tratar de arrumar como quem se preparasse para empreender viagem, refiro-me exclusivamente às boas obras que houverdes podido praticar ao longo da vossa existência terrena, ao bem que possais ter proporcionado aos vossos contemporâneos, e ainda ao que em vossas orações diárias houverdes solicitado do Alto para as almas sofredoras que tanto carecem da oração dos que vivem na carne. Estas são, em verdade, as coisas a serem convenientemente arrumadas por todos e cada um dos seres humanos, não havendo, porém, a meu ver, nenhuma dificuldade em arrumá-las. Para colaborar um pouco convosco, leitores meus, eu direi qual a melhor maneira de proceder a essa arrumação, que deve ser iniciada imediatamente, a fim de prevenir qualquer antecedência na chegada do navio. Fareis então apenas o que vou dizer, metodicamente, diariamente, com toda a vossa tranqüilidade de Espírito. Elevareis o vosso pensamento àquela Fonte de todo o bem que existe em algum ponto do Universo, e rogareis mentalmente a graça do seu apoio à vossa presença na Terra enquanto permanecerdes, e a misericórdia do seu amparo desde o momento em que tiverdes de partir de regresso ao vosso lar espiritual. Nada mais do que isto se faz necessário. Um pensamento assim dirigido, traduz milhões de coisas que não conseguiríeis dizer em palavras. A Fonte de todo o bem, entretanto, sabe interpretar os pensamentos que diariamente lhe são dirigidos de todos os recantos do mundo, neles traduzindo fielmente, seja um voto de alegria, seja um pedido de ajuda, ou um grito de socorro de alguém em estado de aflição. Indispensável porém, para que tais pensamentos logrem atingir aquela Fonte, é que o posto emissor, no caso os seres humanos, estejam em situação moral de poderem emitir pensamentos de tal categoria.

Para que isso aconteça, para que os seres humanos possam encontrar-se nas condições ideais de poderem dirigir-se à Fonte, é suficiente estabelecerem um regime de vida em perfeita harmonia com os seus semelhantes, isto é, não lhes façam nem desejem senão o que para si também desejem. E se, por acréscimo ao seu merecimento, houverem contribuído de alguma maneira para minorar ou cessar o sofrimento a algum de seus contemporâneos, este fato eleva de muito o grau de penetração do seu pensamento de ajuda própria nas camadas superiores do mundo em que vive, e atinge seguramente o seu objetivo: a ajuda solicitada, ou o socorro imediato.

Quando eu me encontrava na Terra e tive a suprema felicidade de abraçar a doutrina de Jesus, e me lancei através de várias nações a propagá-la aos povos de então, eu tive muitas ocasiões de sentir diante de mim uma espécie de barreira ao prosseguimento da minha pregação, tão enegrecidas eram ainda as mentes dos povos aos quais eu me dirigia. Ocasiões eu tive, inclusive, de sucumbir à violência de atos praticados contra mim e meus companheiros de pregação, tendo numa dessas ocasiões sido abandonado por meus verdugos em estado de morto. Desejo dizer-vos com isto, leitores meus, que me valeu nesses momentos a fortaleza do Espírito, para reanimar a matéria amolecida pelas violências recebidas, o que sucedeu mais de uma vez. Ligado, porém, o meu Espírito ao Espírito de Jesus, naqueles tempos como ainda hoje a minha Fonte de todo o bem, a Ele eu apelava nas circunstâncias descritas, e o socorro eu o recebia prontamente.

Direis vós, provavelmente, que da última violência recebida nos arredores da grande Capital da Itália, o socorro teria falhado, porquanto aí desencarnei da maneira que todos conheceis. Eu vos esclareço, porém, que muito ao contrário do que possais supor, o socorro me foi enviado da maneira mais conveniente possível, não para o corpo exausto de caminhar centenas de milhares de milhas através de montes e vales, cidades e vilas, da Ásia Menor ao Mediterrâneo, padecendo de todos os males e privações habituais das regiões citadas; o corpo sentia ânsias de repousar para sempre, tal o sentido de aniquilamento que então me dominava, e somente o Espírito vivia, lutava, pregava e orava as vinte e quatro horas do dia.

Em tais circunstâncias, um único desejo a vida me sugeria, embora meu Espírito se recusasse a aceitá-lo por absolutamente incompatível com as leis de Deus: o aniquilamento total, por minhas próprias mãos. Foi então que os meus pensamentos, interpretados pela Fonte de todo o bem, levaram os homens a promoverem minha libertação da carne pela degola, como sabeis, um ato que imediatamente me atirou nos braços do Senhor Jesus, cessando de todo os meus sofrimentos físicos. A História registra o fato como violência criminosa praticada contra mim, apenas idêntica a quantos milhares de outras que então se praticavam, sem quaisquer escrúpulos de consciência. Eu, porém, vos declaro, que a violência que me eliminou do plano terreno, serviu a dois grandes objetivos: traumatizando como o fez, os povos por mim visitados desde a Ásia Menor, a Grécia, o Egito e ilhas do Mediterrâneo, consolidou em seus corações os princípios que eu lhes havia ensinado, levando-os a propagá-los por sua vez em toda a região com excelentes resultados para o Cristianismo nascente; e o segundo resultado foi o abalo sofrido pelo próprio imperador romano, que em breve também se converteu, sendo hoje um dos mais dedicados servidores de Jesus. Não necessito de mencionar aqui o grande bem que minha morte me proporcionou, libertando-me de todos os sofrimentos físicos e morais que o meu apostolado me impunha naqueles dias de há dois mil anos.

Deste resumo que faço em torno dos fatos em que fui parte no início do Cristianismo, e dos quais resultou o maior foco de luz já recebida por meu Espírito, ficareis sabendo sem mais nenhuma sombra de dúvida, que todos vos encontrais em condições de pedir e receber qualquer espécie de socorro de que possais necessitar, assim como de alcançar poderoso foco de luz em recompensa de qualquer empreendimento social ou espiritual a que vos dedicardes, com o objetivo de servir à coletividade, servindo igualmente aos desígnios de Jesus.

Podereis argumentar que os tempos são outros, muito diversos daqueles em que fui Paulo de Tarso, e eu concordarei convosco, apenas para afirmar que muito mais fácil hoje se torna a tarefa de servir ao Senhor do que o era naqueles tempos. O grau de adiantamento alcançado pela humanidade de hoje, muito favorece a realização de novos empreendimentos espirituais na Terra, sem os riscos em que incorriam os apóstolos de há dois mil anos. Já se não torna necessária como dantes a pregação da amorosa doutrina de Jesus, porque ela se encontra no âmago de todas as criaturas humanas, do Oriente ao Ocidente, a despeito da existência de numerosas seitas religiosas diferentes na aparência, porque no fundo todas se irmanam no belo princípio do amor ao próximo. Há vários setores de trabalho espiritual na Terra que podem ser trabalhados por quantos seres humanos se sentirem desejosos de servir a Jesus, servindo aos seus contemporâneos e até, em certos casos, aos que hão de vir.

No setor da educação, por exemplo, há um grande campo de trabalho na Terra para ser atendido. Os milhões de irmãos nossos que vivem no mundo impossibilitados de usar o alfabeto para enriquecimento dos seus conhecimentos, estão à espera de alguém verdadeiramente cristão, que empreenda essa enobrecedora tarefa.

É necessário semear escolas em todos os recantos onde vivam filhos de Deus, mas escolas onde, além dos conhecimentos necessários à vivência humana, se ensine a amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo, tal como nos ensinou Jesus de Nazareth. É indispensável transformar, através do ensino, as criaturas humanas em seres espirituais apenas temporariamente encarnados, ensinando-lhes como princípio de todos os conhecimentos, a doutrina do Amor, da Bondade e da Fraternidade, para erradicar de seus corações a idéia prejudicial de grandeza e domínio, como objetivo da reencarnação na Terra.

Os tempos anunciados vêm aí e ninguém poderá detê-los, estais disso perfeitamente informados. Isto não quer dizer que vos lanceis ao chão de joelhos e permaneçais orando, para poderdes escapar-lhes. Melhor que tudo, para que os tempos passem por vós, em vez de passardes vós com eles, será empreenderdes algo de útil ao bem estar espiritual dos vossos semelhantes, seja prepará-los espiritualmente para o que vier a acontecer, seja proporcionando-lhes aquilo que de bom e de útil esteja em vossas mãos realizar. Isto equivalerá a uma preparação do vosso Espírito para ingressar na vivência de planos de vida bem mais felizes do que este, não importando a maneira pela qual venhais a encerrar a vossa presente vida terrena.