Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Capítulo XLIV - Livro: Elucidário – pelo espírito de Paulo de Tarso através do médium: Diamantino Coelho Fernandes. Modificações reclamadas desde muito - Os tempos não podem mais esperar - A finalidade das mãos - A fortuna material pertence à Terra - O monte de neve - As almas partem de mãos vazias - O recado do Criador





Os acontecimentos em vias de aparecimento na Terra não são de molde a assustar nenhum dos habitantes deste pequeno mundo terreno. São acontecimentos destinados, como já o sabeis, a preparar a superfície da Terra para abrigar confortavelmente o grande número de almas que já estão partindo para cá, para constituírem a nova civilização há muito tempo anunciada. Se ocorrerem desencarnações em maior número que habitualmente em conseqüência desses acontecimentos, todas as almas que forem por eles atingidas depressa verificarão que isso aconteceu para a sua felicidade e não para sofrimento seu.

As modificações em processo de execução haviam sido preparadas para alguns séculos antes, visto como este pequeno globo desde muito reclamava as modificações só agora deliberadas pelas Forças Superiores. Já foi dito e é uma verdade, que nisso se cogitava à época da vinda de Jesus de Nazareth ao solo terreno em corpo humano. Era porém de tal modo endurecida naqueles tempos a mentalidade humana, que esse vultoso empreendimento teve de ser adiado para melhor oportunidade. Tomaram então as Forças Superiores a deliberação de enviar à Terra numerosos emissários com o objetivo de revolver pela palavra aquele endurecimento da mentalidade humana, muito já tendo sido feito com relativo êxito.

Chegado é entretanto o momento decisivo, porque os tempos não podem mais esperar, e a transformação da Terra em planeta espiritualizado, está estreitamente relacionada com o progresso de outros planos de vida semelhantes. Não há, pois, motivo para apreensões por parte dos atuais habitantes deste pequeno mundo, e isto por várias razões, sendo uma delas a transitoriedade da vida terrena para todos os seus habitantes, cuja existência atual é apenas mais uma entre dezenas e dezenas delas já aqui vividas. O fato, por conseguinte, de se verificarem desencarnações em maior número em face de algum fenômeno telúrico, nada mais significa do que o cumprimento de uma lei à qual todos nós estamos sujeitos. E quando se sabe que todas as providências estão sendo tomadas pelas Forças Superiores para receber e acomodar carinhosamente as almas que vierem a desencarnar em tais circunstâncias, deve ser isto motivo da maior tranqüilidade para os viventes de todas as regiões ou latitudes da Terra.

Podereis porventura argumentar na intimidade do vosso ser, que será uma pena que isso venha a acontecer àqueles que tanto se empenharam em reunir bens e valores ao longo de sua presente existência, e se vejam de um instante para outro retirados do seu ambiente para regressarem ao Espaço de mãos completamente vazias. Aos meus estimados leitores que pensarem dessa maneira eu responderei que de mãos completamente vazias, regressam habitualmente ao Espaço todas as almas que cumpriram sua peregrinação terrena. As mãos que a Divina Providência houve por bem conceder aos seres humanos desde o início da criação, têm a mais elevada finalidade em sua vida terrena, qual seja a de usar os instrumentos de trabalho com os quais possa adquirir o sustento do corpo. Essa é uma das elevadas finalidades das mãos como parte importante do corpo humano. Há uma outra finalidade no uso desses dois membros superiores, que é a de, terminados os trabalhos do dia, juntarem-se as duas em atitude de prece, enquanto a alma se dirige ao Criador para agradecer as bênçãos recebidas nesse dia. As demais finalidades das mãos, que são inúmeras, servem para a recreação da própria alma, em tantas e tantas modalidades quais sejam as que mais agradem a si própria, todas, entretanto, pertencentes inteiramente à esfera da vida terrena. Não falarei aqui do mau uso que infelizmente muitos seres humanos ainda fazem das mãos que a Divina Providência lhes concedeu, cujas conseqüências os levam a terem de suportar numa existência futura, ou a ausência desses dois importantes membros superiores, ou uma vida de sofrimento bastante lamentável.

Vazias, entretanto, regressam todas as mãos ao mundo espiritual, visto como nenhum elemento da Terra elas podem conduzir. A fortuna mais ou menos volumosa adquirida pelo homem em sua existência terrena, pertence inteiramente ao mundo em que foi adquirida e nele tem de permanecer. Eu compararia a fortuna material construída pelos seres humanos à custa de trabalhos mais ou menos árduos, de par com algumas privações, a um monte de neve desses que as crianças tanto prazer sentem em construir. Por maior e mais belo que esse monte de neve possa ser, sua duração tem de ser curta, até que o calor do Sol o desfaça em questão de minutos. Assim é, mais ou menos, a fortuna reunida pelos homens na Terra: o Sol, no caso, é a partida de regresso ao mundo espiritual daqueles que a reuniram com o mesmo afã com que as crianças construíram o seu monte de neve.

A fortuna assim deixada na Terra, quase sempre se dissolve também, formando então pequenos montículos de neve sujeitos aos raios solares mais ou menos intensos. Fica portanto absolutamente claro, que todos os seres humanos partem da Terra de mãos vazias, qualquer que tenha sido a posição social em que aqui tenham conseguido viver.

A fortuna que todos podem e deviam conduzir ao se despedirem do solo terreno para viajar em direção ao seu plano de vida espiritual, essa, estimados leitores, cabe inteiramente em seu coração, por mais agigantada que possa apresentar-se. Essa desejada fortuna por quantos se empenharam no Espaço em conseguir uma nova encarnação na Terra, deve ser a soma de todos os atos bons que o homem ou a mulher tenham podido praticar ao longo de sua existência, e se lhes apresentará no Alto em forma de belo foco de luz para o seu Espírito. Essa é a única fortuna que na Terra se integra definitivamente na personalidade espiritual de cada um, e nenhum poder humano ou astrológico poderá jamais desintegrar. E são tantas as almas que aportam no seu plano espiritual de tal modo iluminadas pela luz que souberam conquistar na Terra, na prática de ações meritórias e na ajuda a quantos puderam ajudar, que Nosso Senhor se empenha em recebê-las Ele próprio, para entregar-lhes o belo galardão a que fizeram jus. Claro fica, por conseguinte, que a grande preocupação dos homens não deve consistir em ter cheias as mãos do ouro e bens perecíveis da Terra, mas sim, dos bens eternos que possam adquirir em cada uma de suas passagens pela Terra.

Em seguida eu referirei um fato que reputo interessante para o vosso desenvolvimento espiritual. Este fato passou-se há muitos anos na Terra, tendo tido grande repercussão na sua época. Tratava-se de introduzir no meio terreno a revelação da existência de um elemento inteiramente desconhecido dos habitantes de então, com o objetivo de lhes proporcionar a utilização desse novo e importante elemento no seu processo alimentar. Para se conseguir a comunicação com os seres humanos, havia necessidade de que alguém servisse de intermediário entre eles e as Forças Superiores, para lhes explicar da melhor maneira o uso e utilidade do elemento em causa. Os ascendentes mediúnicos eram nesse tempo muito raros, e daí a dificuldade que se apresentava às Forças Superiores empenhadas no objetivo. Depois de várias tentativas frustradas, surgiu a idéia definitiva que veio resolver a dificuldade. O novo processo consistia na maneira de os homens da época poderem utilizar certo cereal bastante rico em proteínas, encontrado em abundância na região, mas inteiramente inaproveitado pelos seres humanos. Só os animais o aproveitavam na sua andança pelas pastagens. O Alto chegou então à forma definitiva no objetivo em vista, esforçando-se em conseguir que certo jovem servisse de intermediário da idéia do aproveitamento do referido cereal. E isto foi conseguido da maneira a mais conveniente e completa. O fato passou-se então da seguinte maneira. O jovem em referência, considerado dentre os habitantes da região o mais adequado pela posse de um princípio muito relativo, é certo, de ascendente mediúnico, passou a ser assistido por algumas Entidades do mundo espiritual, as quais todas as noites o visitavam e com ele conversavam a respeito do objetivo em vista, a fim de bem prepararem o seu Espírito para a oportunidade que se apresentasse. Esta fora escolhida entre aquelas em que a população se reunia em determinada época do ano para render graças ao Criador pelas colheitas que lhes havia proporcionado. Essas reuniões eram sempre cercadas de muita alegria, finos manjares acompanhados dos melhores licores, para que bem testemunhassem ao Criador o profundo agradecimento de todos. Nesse ano, contudo, as colheitas haviam sido por demais deficientes, e a ausência da alegria costumeira bem refletia esse fato. A festividade realizava-se nesse ano, então, mais com objetivo de suplicarem todos ao Criador, maior fartura para o ano próximo, do que para agradecer a obtida no ano findante.

Já se havia conversado bastante e todos se haviam servido à farta de quanto havia em alimentos e licores, quando inesperadamente o jovem citado, galgando pequena elevação do terreno, despertou as atenções gerais para a sua pessoa. Dirigiu-se então claramente aos presentes àquela festividade, para lhes dizer que tinha um recado do Criador para transmitir, e do maior interesse. Foi geral a surpresa que as suas palavras causaram a todos, visto como se tratava de um jovem pertencente a uma família de humildes assalariados, não tendo cursado nenhuma escola que o autorizasse a um tal pronunciamento. Contudo, foi-lhe prestada a maior atenção.

- Meus irmãos, iniciou o jovem o seu breve discurso. Tenho um recado muito importante para transmitir a todos, o qual me está sendo dito ao ouvido. Prestai, pois, vossa melhor atenção. O Criador do Mundo está-me dizendo que existe em nossas terras uma planta capaz de suprir a redução das colheitas do ano, a qual deveis tratar de colher sem demora pela sua fartura e utilidade.

E disse qual era a planta. A surpresa cresceu ante aquela revelação feita por um jovem humilde. Existia realmente a planta por ele nomeada e em grande abundância em toda a região, a qual, entretanto, ainda não havia sido considerada de utilidade para os seres humanos. Acercaram-se todos do jovem que acabara de falar curiosos de saber por que meio teria o mesmo recebido o recado que acabava de divulgar. Este, porém, na sua simplicidade, revelou apenas que alguém o instara para que subisse àquela elevação e dali divulgasse o recado. O espanto era geral, como é fácil de compreender, ao mesmo tempo em que a multidão insistia em considerar o fato uma revelação divina, e se precipitava a examinar o cereal mencionado em fase de amadurecimento.

O resultado foi o enriquecimento do processo alimentar da região com a adição do cereal até então inaproveitado, cuja colheita se iniciaria em breve. Esta planta era ali colhida em estado de madura para servir de forragem para o gado no inverno, não se tendo cogitado antes do aproveitamento dos grãos. Data de então a descoberta e utilização desse valioso cereal, hoje difundido por vários países, da maior utilidade na alimentação humana.

Estou a adivinhar a curiosidade dos meus estimados leitores em conhecerem o nome do cereal cuja descoberta na Terra acabo de referir. Vou satisfazer a vossa curiosidade dizendo-vos ser ele o que conheceis com o nome de cevada até então somente utilizadas as hastes da planta nativa como forragem dos animais. Tratada desde então com maior carinho pelos respectivos habitantes, e semeada em áreas mais favoráveis daí em diante, sua produção cresceu em quantidade, melhorando conseqüentemente em qualidade, sendo hoje bastante apreciado em todo o mundo este belo produto da terra.

Outras descobertas semelhantes se aproximam, também destinadas ao enriquecimento dos elementos nutritivos dos seres humanos, elementos estes que estão sendo trazidos do Alto para a sua implantação no solo terreno. De um destes elementos posso antecipar-vos que terá o mérito de nutrir o organismo humano de modo a poderdes dispensar totalmente o uso da carne como atualmente fazeis. Esse e alguns outros elementos nutritivos estão sendo implantados no solo terreno em fase experimental, sendo de notar que as Forças Superiores estão bastante satisfeitas com os resultados obtidos até agora. Outros elementos semelhantes se encontram em escala regular no meio terreno, apenas ainda desconhecidos do homem, os quais, entretanto, estão sendo indicados aos vossos pesquisadores e estudiosos, para que os experimentem no laboratório, nos quais encontrarão bastantes proteínas, sais minerais e ferro de que o organismo humano tanto necessita. Estes elementos são encontrados especialmente nas áreas ricas em umidade do solo, do qual retiram a enorme quantidade de substâncias que se dispõem a oferecer ao homem.

Eis aí alguns elementos de informação que me propus a oferecer-vos, estimados leitores, como uma antecipação das grandes modificações a operarem-se também no campo alimentar dos nossos irmãos que povoarão a Terra muito brevemente, entre os quais poderão encontrar-se, aliás, senão a totalidade, a grande maioria dos meus estimados leitores que isso desejarem. Raciocinemos então um pouco a este respeito. Eu disse que a maioria dos meus leitores poderá encontrar-se entre os habitantes da Terra. E por que não a sua totalidade? Eu desejaria que isto se desse, não com a maioria apenas, mas com a sua totalidade. E por que não? Certo como já sabeis que devereis encontrar-vos em algum lugar do Universo ao encerrardes esta vossa encarnação, e se já vos acostumastes à vivência terrena nestes decênios em que aqui vos encontrais, e se estais sabendo que a Terra, com as transformações pelas quais está passando se tornará, podemos dizê-lo, um mundo ideal para nele se viver, por que então, não vos esforçardes desde hoje para merecerdes de Jesus a necessária permissão para voltar à Terra, após a necessária fase de repouso que passareis no Alto?

Se no Alto permanecerdes, apenas conservareis os tesouros espirituais constituídos de luzes e bênçãos que tiverdes podido levar da Terra; mas isto, apenas, talvez não chegue a corresponder à vossa ânsia de progredir continuamente, e então o melhor para vós será pleitear o regresso à Terra em condições mais propícias que as atuais. Este problema é inteiramente vosso, meus queridos. Se desejardes voltar a este plano na continuação do vosso desenvolvimento espiritual, podeis fazê-lo com todo o êxito. Começai então desde agora; procedei a um exame atento do que vos convém; de como devereis comportar-vos a partir de hoje, certos de que tudo podeis fazer nesse sentido.

Este é um dos objetivos visados por todos os emissários de Jesus em serviço no ambiente terreno. Nosso Senhor sentir-se-á particularmente contente se puder contar com uma grande maioria dos viventes atuais da Terra para formarem a civilização do terceiro milênio. Preparai-vos pois, vós todos que tivestes a felicidade de entrar em contato com este irmão que vos fala, com quem podeis contar desde agora para facilitar vossa tarefa espiritual. Reajustai-vos a vós mesmos em vossa personalidade espiritual. Alijai da vossa bagagem atual tudo quanto não possa contribuir para o vosso
desiderato, e vereis como um novo sentimento de alegria e felicidade vos envolverá. Estareis dessa maneira contribuindo poderosamente para vos constituirdes desde agora em elementos preciosos ao Senhor na formação da nova civilização da Terra, porque tendes as necessárias condições para isso. Eu, de minha parte, muito me empenharei no sentido de que todos os meus leitores, todos, sem exceção de nenhum, estejam em condições de participar da civilização que se aproxima. E eu provavelmente me encontrarei no vosso meio.