Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

XXXII - FASE DECISIVA PARA TODOS - Livro: Vida Nova – Ditado pelas “Forças do Bem”, psicografada por Diamantino Coelho Fernandes.





Os desígnios humanos, projetados e cumpridos desde o inicio da criação do homem, são tão perfeitos e tão sábios, que nada tem sido necessário modificar no sentido de dar ao homem mais do que aquilo que lhe foi atribuído e vem sendo cumprido através dos milênios. Os Espíritos livres no Espaço conhecem de sobra esses desígnios e sempre prometem e desejam cumpri-los ao pleitearem junto às Forças Superiores a concessão de uma nova peregrinação no solo terreno, a fim de adquirirem ou aprimorarem as qualidades morais de que necessitam para a sua ascensão a mais elevados planos do Universo.

Sucede entretanto, e isto se tem verificado em todas as épocas, que o envolvimento do Espírito pela roupagem carnal peculiar ao mundo terreno, consegue fazê-lo olvidar aqueles seus compromissos anteriores à encarnação, em face do que, uma vez firmado no solo terreno, o Espírito facilmente se adapta aos costumes da maioria, e aqui permanece durante anos seguidos sem qualquer resultado para o seu adiantamento espiritual. É certo que no período em que o corpo se entrega ao sono cada vinte e quatro horas, o Espírito é assistido pelos seus Protetores invisíveis, e por eles alertado acerca do que lhe compete fazer no seu próprio benefício. Se um grande número de Espíritos consegue recordar no dia seguinte os conselhos que recebeu durante o sono do corpo e procura segui-los da melhor maneira, é certo que a maioria se esquece completamente do que ouviu, porque os interesses materiais superam neles os espirituais. Ao fim da encarnação acontece virem esses Espíritos a lamentar profundamente, mas sem remédio, o esquecimento que deles se apoderou, e o não aproveitamento de mais uma encarnação, às vezes tão dificilmente conseguida.

Isto aconteceu durante milênios em todo o planeta, e acontece ainda nos dias que correm a uma enorme percentagem dos seres humanos. Sendo, porém, a presente fase da vida humana, como que decisiva para quantos se encontram na Terra, decidiram as Forças Superiores sob a chefia de Nosso Senhor Jesus, enviar ao meio terreno emissários a transmitir por meio da palavra falada e escrita, uma série de conselhos e informações destinados a despertar no Espírito encarnado a idéia da necessidade inadiável de retomar o caminho e a prática de seu maior Interesse antes que certos fatos, ou melhor dizendo, certos fenômenos se positivem.

Esses conselhos e essas informações aí estão grafados nos livros do Irmão Thomé e nas páginas deste, tendo Nosso Senhor determinado que aqui viessem tantas Entidades a redigi-lo, quantos sejam os seus capítulos. Convidado também pelo Senhor Jesus, aqui se encontra um de seus menores servidores para grafar este capítulo, com o objetivo, ainda, de comprovar perante os menos crédulos que o que morre não é jamais o Espírito, mas apenas o corpo. O Espírito, ao terminar a sua encarnação em cada viagem a Terra, segue o caminho do plano espiritual a que pertence, do qual se deslocou para cumprir uma nova peregrinação terrena.

Pena é que numerosas escolas filosóficas persistam em ensinar erradamente aos seus adeptos que o Espírito — a alma — é criado para ocupar o corpo desde o nascimento, e dele se afasta para sempre após o fenômeno da morte. Puro engano esse, e altamente prejudicial à evolução de cada um. Ensinando assim erradamente à criatura humana que nada mais encontrará além da morte do corpo, essas escolas estão contribuindo para a estagnação dos Espíritos, tirando-lhes todo o estímulo a se devotarem à preparação de uma próxima reencarnação, após o necessário estágio nos planos do Além. Mediante esse princípio tão difundido na Terra, poucas criaturas se esforçam pela prática de obras capazes de a ajudarem em seu regresso ao mundo espiritual, porque desconhecem toda a beleza de uma vida inteiramente devotada ao bem e ao amor do próximo, como sementeira de luzes e bênçãos para si própria no mundo espiritual.

Para comprovação do que digo, encontrais reunidos neste volume capítulos redigidos por Entidades que a história humana registra como viventes desde o primeiro século do nascimento do Senhor Jesus na Terra, fato que o resumo biográfico que lhes segue pode elucidar. Ora, essas Entidades que em tão longas eras se destacaram pelo esforço despendido em suas vidas pelo bem do próximo, não poderiam ter sido criadas na ocasião do seu nascimento na Terra, com todo o seu saber de que deram provas, sendo este o resultado de muitas e muitas vidas anteriores, todas elas vividas na Terra desde tempos imemoriais. O saber demonstrado pelo homem em cada uma de suas vidas terrenas não é senão o resultado das experiências acumuladas em vidas anteriores. O Pai Celestial não criaria tal desigualdade de Espíritos para ocuparem uma única vez um corpo humano, concedendo a uns idéias, inteligência e possibilidades extraordinárias, enquanto recusaria os mesmos dons a outros filhos. Deus não enviaria a Terra com a mesma idade espiritual, filhos com a missão de dirigir, governar frações da população terrena, dispondo de recursos e meios excepcionais, enquanto a outros nada mais concederia além da obrigação de servir e obedecer àqueles, uma existência inteira.

Todos os Espíritos foram criados nas mesmas condições e com iguais possibilidades. Uns conseguem avançar mais depressa no caminho do seu aprimoramento, graças a uma boa orientação recebida da parte de seus genitores, mestres ou companheiros de jornada terrena, despertando suas qualidades latentes em benefício do seu mais rápido progresso espiritual. Outros, por motivos óbvios, como que estacionam durante encarnações seguidas, só muito lentamente alcançando os objetivos com que vieram àTerra. Isto sucede, aliás, em vossas escolas terrenas: há nelas alunos que se destacam, se agigantam pelo estudo e dedicação ao curso, vencem os primeiros lugares, ao passo que outros, muitos infelizmente, encaram as matérias com certa displicência, e só as vencem como uma obrigação imposta pelos seus maiores.

Assim pois, deveis convencer-vos de que todos vós tendes vindo à Terra seguidamente desde muito antes da era cristã, sendo muitos de vós contemporâneos de quase todas as Entidades que assinam capítulos deste livro. Todos nós que aqui viemos para o mister de colaborar em VIDA NOVA, verificamos encontrarem-se presentemente na Terra, provavelmente em sua última encarnação, Espíritos já possuidores de grande luminosidade, e aqui se encontram também em missão de dar exemplo de bom procedimento, de boa moral e de espiritualidade aos demais. Estes Espíritos, pela sua evolução, são extremamente modestos, vivem vida honrada e humilde, e sua palavra aborda invariavelmente temas dos mais elevados. Há-os em todas as classes sociais: entre os humildes como entre os doutorados, podendo os mais perspicazes identificá-los pela bondade e renúncia de que freqüentemente dão provas. São Espíritos missionários estes irmãos, também a serviço do Senhor. Eles podem ser comparados a pequenas partículas luminosas entre um conjunto de areias mais ou menos opacas, a demonstrar o grau a ser atingido por todos os grãos desse conjunto de areias. Sua vida presente, antes de ter sido motivo de solicitação sua, terá sido resultado duma solicitação do próprio Senhor Jesus a fim de iluminarem pela ação, pela palavra e procedimento, a quantos no momento aqui se encontram encarnados. Certo é que entre os leitores deste livro não poucos irmãos missionários se encontram. Uns já terão posto em ação a sua superioridade moral através dos seus atos e palavras, seja transmitindo a outros as suas experiências, seja ajudando, orientando irmãos no caminho que lhes convém. Outros muitos, porém, provavelmente adormecidos no envolvimento da carne de que se acham revestidos, apenas contemplam o desenrolar da vida comum sem nela intervirem com a sua experiência, luz e bondade de que são possuidores. É então a estes irmãos que desejo dizer aqui algumas palavras que são as seguintes:
— Meus queridos: vossa presente existência terrena pode elevar-vos imediatamente àquela categoria espiritual que tanto cobiçáveis quando no Alto, ao regressardes de vossa penúltima viagem a Terra, quando pudestes constatar que vos faltam poucos degraus para alcançá-la. Presenciastes muitos de vós, o galardoamento de vários contemporâneos vossos, feito pelas próprias mãos do Senhor, com o qual puderam alçar-se àquela ambicionada categoria. E todos vos entristecestes pelo fato de não vos encontrardes no meio deles nessa ocasião, e com eles vos elevardes também na escala da espiritualidade. Pois bem, meus queridos irmãos: a vossa oportunidade está agora em vossas mãos. Depende exclusivamente da vossa determinação na vida presente, para muitos a partir de hoje, ascenderdes em breve também àquele luminoso plano a que todos aspiráveis ainda há pouco. Despertai já e já as excelentes qualidades que em muitos se conservam adormecidas no âmago de cada um, e movimentai-as com amor a serviço do bem comum da coletividade, porque o fareis em verdade a serviço do Senhor. Como proceder? Bem facilmente irmãos estimados. Necessário se torna, precipuamente, entrar em contato com o Senhor a fim de receberdes do Divino Mestre as necessárias instruções. Dizendo instruções estarei dizendo idéias, sugestões, modalidades de agir, que são inúmeras em cada setor da vida humana. O contato com o Divino Mestre, segundo o processo longamente divulgado nas páginas deste e dos livros do Irmão Thomé, é a coisa mais fácil e agradável para cada um de vós, visto resultar de sua prática uma concepção inteiramente nova da vida terrena, dando-lhe a medida exata do que ela é. As idéias, sugestões e modalidades que tal contato vos trará, habilitar-vos-ão a transformar-vos de simples seres humanos a viver quase que automaticamente uma nova vida terrena, em vos sentirdes imediatamente Espíritos fortes, valorosos, capazes de operar até verdadeiros milagres, pela concentração e emprego de recursos até agora esparsos ou desperdiçados ao longo dos vossos dias decorridos. Vós todos que estas linhas estudardes, eu vo-lo afirmo sinceramente, podeis tornar-vos ainda na presente encarnação autênticos mensageiros do Senhor Jesus a serviço da coletividade a que pertenceis.

Eu vos asseguro igualmente, por estar para isso devidamente autorizado, que nenhum dos pensamentos de ajuda, súplica ou de auxílio que na hora certa dirigirdes ao Senhor Jesus, nenhum deles será desprezado ou desatendido. Nosso Senhor que me incumbiu de vos falar desta maneira, anseia por ver elevarem-se à categoria a que acima me referi, em seu regresso ao mundo espiritual, todos os Espíritos cursando presentemente esta escola terrena. Assim pois, meus queridos, não existe nenhum obstáculo para que todos vós alcanceis a vivência espiritual a que fizerdes jus, o que fareis já então portadores do almejado galardão que constitui o preço do ingresso de cada um.

Lá, nesse plano a que em breve ascendereis, várias surpresas das mais agradáveis vos ocorrerá. Uma delas será o encontro com amigos milenares de muitas vidas contemporâneas, os quais, pelo empenho com que aqui se devotaram ao serviço do Senhor, lograram há muito a sua elevação a esse plano de vida. Lá se hão de encontrar certamente, e alegremente vos receberão, Entidades que foram vossos progenitores, vossos filhos, vossos irmãos consangüíneos, e não poucos afeiçoados e grandes amigos feitos durante milênios de vidas vividas neste planeta de lutas e sofrimento. Dizendo-vos estas palavras redigidas, com o meu coração, para atender ao pedido do Nosso Senhor Jesus, sinto-me envolvido numa onda de amorosas vibrações que delas se desprende ao serem grafadas no papel, as mesmas que hão de envolver a todos vós, queridos irmãos, ao experimentardes pôr em prática o que minhas palavras traduzem.

Que Nosso Senhor vos ilumine com sua Divina Luz, e em breve vos encontreis no tão desejado plano espiritual, são os votos sinceros e ardentes deste vosso irmão e amigo
JACQUES MONT-SAINTE

Not. biogr. — Escritor e filósofo francês do século XVIII. É de admirar que as enciclopédias não lhe registrem o nome e as obras que escreveu, que foram várias. É uma Entidade de grande luminosidade, muito estimada no mundo espiritual, inteiramente devotada ao serviço de Jesus, de quem recebeu convite para colaborar nesta obra.