Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

XXXVII - FORMAÇÃO MORAL DA JUVENTUDE – Livro: Vida Nova. Ditado por diversos espíritos – Psicografia de Diamantino Coelho Fernandes.



Os acontecimentos programados para este fim de século na Terra, e que devem estar em pleno desenvolvimento quando estas linhas estiverem circulando como parte de VIDA NOVA, são de natureza a modificar em boa parte numerosos pontos que há muito necessitam de ser modificados. O crescimento da população da Terra,  exige uma série de modificações na estrutura física do planeta, a fim de que seus campos de cultura adquiram condições de alimentar os vários milhões de bocas que estarão incorporadas à população humana que puder transpor este novo ciclo de vida terrena. As modificações planificadas abrangem numerosos setores da vida terrena, não constituindo mesmo nenhum erro dizer que tudo na Terra será modificado para melhor, em relação ao que existe atualmente neste plano físico de vida. Cuidados especiais, contudo, têm sido postos no que tange à vida das crianças, no sentido, particularmente, do que diz respeito aos cinco primeiros anos de vida, para evitar o que ainda se observa por toda à parte. Verifica-se um tão grande número de fracassos em relação ao nascimento de crianças, que é verdadeiramente de estarrecer. Sabendo-se, como sabemos no Alto, quais as dificuldades que se apresentam para o mergulho de um Espírito na carne a fim de cumprir tarefa de serviço ou de aprimoramento espiritual próprio, é de estarrecer, repito, a falta de um tratamento adequado nos lares em que esses Espíritos nascem, face à fragilidade natural do organismo físico e à ausência dos necessários cuidados com que ainda se defrontam. Impõe-se, por isto, um decidido avanço na medicina terrena em relação à técnica da pediatria, para evitar o elevado número de desencarnações nos primeiros cinco anos de vida terrena, de Espíritos que em certos casos aguardaram várias dezenas de anos a sua oportunidade. A formação de novos médicos pediatras já em pleno desenvolvimento, deverá preencher a lacuna existente, e bem assim a aplicação ao caso de meios e processos muito mais eficientes do que os atualmente usados.

Sendo a reencarnação de um Espírito um dos atos mais importantes em sua vida infinita, foi o assunto largamente estudado no Alto por verdadeiros especialistas na matéria, tendo-se em vista a necessidade de preservar a vida de todas as crianças nascidas na Terra, cercando-as de cuidados especiais ao seu desenvolvimento, de maneira a reduzir a mais ínfima a percentagem dos insucessos.

Vossas estatísticas a respeito atestam por toda à parte a carência de algo que está sendo implantado na Terra já nos dias que correm. Numerosas das crianças que alegram os lares terrenos são Espíritos vindos ao mundo no desempenho dessa e de outras tarefas igualmente importantes em relação ao progresso dos vários setores da vida terrena. Cuidai delas com carinho, todos vós que merecestes do Senhor a graça de as receberdes como filhos; procurai auscultar sua verdadeira tendência, vocação ou aptidões, usando a faculdade que Nosso Senhor vos concedeu neste sentido. Evitai de toda maneira aplicar castigos físicos às vossas crianças, cujas faltas ou desobediências serão devidas mais à inconsciência dos atos que praticam do que ao propósito de desobedecerem. Todas as crianças que se encontram na Terra em todas as regiões do planeta, são Espíritos já bastante evoluídos que aceitaram ou pediram mais este mergulho na carne com a finalidade de se empenharem ao máximo no serviço divino, destinado ao aprimoramento das condições gerais da vida neste mundo em que também sois hóspedes. Um conselho aqui eu vos darei a todos vós que tendes crianças nos vossos lares, assim como àqueles que virão a tê-las no futuro. Este conselho é no sentido de as encarardes com o pensamento de que elas sejam, no seu pequeno desenvolvimento físico, Espíritos de maior ou menor envergadura que ainda se ocultam por detrás de seus rostinhos mimosos, mas que vos espreitam, ouvem e compreendem em seu patrimônio multimilenar. Tudo quanto lhes disserdes ou fizerdes, elas o aceitam igualmente, e se imprime no seu subconsciente, passando então a contribuir para o êxito ou fracasso de sua presente encarnação. Devem os pais, por conseguinte, ter sempre presente à circunstância de que a criança de tenra idade não pode formular raciocínios seguros acerca do que lhes disserdes ou fizerdes, porém isso se imprime automaticamente no subconsciente, para despertar mais tarde em sua memória.

Se, como infelizmente ainda constatamos em grande número de lares menos abastados, as crianças são por vezes admoestadas ou repelidas em suas travessuras de maneira absolutamente imprópria e por isso condenável, quantas vezes até aos gritos, essas crianças podem adquirir complexos tais de inferioridade, capazes de aniquilar de futuro as suas iniciativas construtivas. O mau hábito seguido por não pequeno número de mães especialmente, de admoestar os filhos com palavras de sentido depressivo, pelo fato delas, as mães, se encontrarem no momento irritado ou esgotado física ou moralmente, pode constituir um mal inimaginável a essa criança no decorrer de sua existência, uma espécie de peso morto que a mesma é forçada a conduzir, para seu demérito nessa nova vida. Tende muito cuidado, pois, com as palavras com que admoestardes as vossas crianças, porque podereis por esse meio contribuir para o seu fracasso.

O meu conselho é, então, no sentido de que procureis conversar com elas como se o fizésseis com pequenos alunos aos quais desejásseis ajudar a vencerem na vida. Conversando com elas, e encaminhando o assunto para o objetivo da falta cometida, fazendo-o com o pensamento voltado para o Senhor Jesus que vos observa do Alto, eu vos asseguro que tereis nesse momento a inspiração e assistência dos seus mensageiros para que vossas palavras mansas, pacíficas, calem fundo no subconsciente dos vossos filhos ou alunos. O Senhor vos recompensará generosamente a paciência, o carinho e atenção que dedicardes às crianças, como se a Ele próprio o fizésseis. Tende presente este conselho em vossas mentes, todos vós que lidardes com crianças, sabendo que elas irão reproduzir futuramente as palavras e os gestos que de vós receberam.

Em seguida desejo abordar outro assunto que a convite de Nosso Amado Jesus eu preparei para encerrar o capítulo que me coube redigir neste importante trabalho mediúnico. Desejo abordar o assunto relacionado com a educação moral da juventude, na parte que cumpre aos pais realizar. Da educação moral proporcionada no lar à juventude irá depender todo o êxito da criatura em sua nova existência. É necessário por isto, que os responsáveis pela juventude se encontrem em condições morais impecáveis, seja no lar ou no trabalho, para que seus conselhos e exemplos tenham força bastante para formar o caráter moral dos filhos ou agregados. Um jovem criado sob a influência de uma moral correta como norma em seu lar, e recebendo dos pais ou responsáveis ensinamentos capazes de contribuir decisivamente para a sua formação moral, esse jovem está devidamente preparado para enfrentar quaisquer vicissitudes que possam surgir em seu caminho, mas que serão por ele vencidas, graças à sua perfeita formação moral. Uma formação moral perfeita, adquirida na tradição e fortalecida pela observação do jovem através dos fatos ocorridos ao longo de sua trajetória, constitui o escudo mais poderoso contra a maldade do mundo, e também o grande fator da vitória contra a adversidade.

Se prestardes atenção ao que em vosso mundo se passa, e mais particularmente em vosso próprio meio, havereis de constatar que os indivíduos sobre os quais a voz pública chega a manifestar-se de maneira surpreendente, sensacional ou desprimorosa, indivíduos não raro ocupando posições de relevo que se desmoronaram, esses indivíduos se descuraram total ou parcialmente do princípio moral e enveredaram por caminhos perigosos. E como todos os caminhos perigosos conduzem, em regra, ao fracasso daqueles que os seguem, preferível é evitá-los de toda a maneira, o que se torna sempre possível quando se possui uma perfeita formação moral.

Analisemos mesmo sucintamente o que poderá levar o homem a seguir caminhos perigosos em sua vida. Comecemos esta análise pela forma eliminatória, para chegarmos à melhor conclusão. Não envereda por caminho perigoso aquele cuja moral lhe ensinou que tudo quanto desejarmos nos seja concedido com a aquiescência da Misericórdia Divina, por ser justo e razoável o que pretendemos. Procedem assim o comerciante e o industrial que estabelecem margens honestas de lucro sobre os artigos de seu comércio. Assim procedendo, estes irmãos estabeleceram uma retribuição justa e razoável pelo seu trabalho, harmonizando-se inteiramente com a mais perfeita moral. Não envereda igualmente por caminho perigoso, o profissional liberal que presta serviço técnico eficiente aos seus irmãos encarnados, mediante uma retribuição justa e razoável, que em sã consciência ele considera suficiente para viver com os seus e se manter na profissão. Essa remuneração, em tal caso, obedece à condição de moral perfeita, em vez de extorquir do semelhante uma retribuição que importaria para o mesmo num sacrifício. Uma retribuição justa, honesta, tem a virtude de impulsionar a fortuna e prosperidade do profissional que assim procede, exatamente porque, obedecendo à condição moral, recebe a aprovação e as bênçãos divinas. Não envereda igualmente por caminho perigoso o trabalhador que presta serviços limpos, honestos, em troca do salário com que se mantém e aos seus. Para que o trabalhador logre alcançar continuamente melhor retribuição pelo seu trabalho, deve munir-se de toda a sua capacidade de operar animado da melhor boa vontade para com aqueles que lhe pagam o salário, no que estará agindo com a mais perfeita moral O trabalho prestado em tais condições recebe as bênçãos divinas que o fazem desenvolver-se e prosperar. A paga assim recebida igualmente se desenvolve e prospera, promovendo esse trabalhador a situações e postos quantas vezes inesperadas. Ora bem; quais serão então os seres humanos que enveredam pelos caminhos perigosos? — perguntareis vós. São todos os encarnados que, julgando-se provavelmente mais hábeis ou mais inteligentes que os demais, armam situações aparentemente lucrativas, às quais, entretanto, faltam alicerces de perfeita moral. Situações em que o homem tido como hábil ou inteligente, vislumbre unicamente o lucro pessoal mediante certo procedimento duvidoso ou falho de base moral, que a seu ver deva produzir lucro apreciável; esse irmão encarnado estará apenas vivendo sob um teto mal seguro porque sujeito a desabar face a um temporal mais forte, e um dia efetivamente cairá sobre ele. A linguagem é figurada mas todos a compreendeis. Ela aplica-se a toda espécie de aventuras que surgem freqüentemente nos grandes centros de negócios, e, se conseguem viver e prosperar seus autores certo período de tempo, um dia sua estrutura se desgasta pela ação corrosiva da própria aventura e o teto desaba fragorosamente sobre os seus autores ou construtores.Aí tendes figurada a imagem dos caminhos perigosos a serem evitados por quantos aspiram viver vida tranqüila, material e espiritualmente, possuidores que são de convicções de perfeita moral. Mesmo na hipótese em que, por caminhos perigosos chegue alguém a construir fortuna apreciável de bens terrenos, seu reflexo no mundo espiritual é inteiramente desfavorável àquele que a construiu, em vista da precariedade de sua construção, quantas vezes até com grave prejuízo para os seus semelhantes. Disto se conclui, portanto, que um único caminho se abrirá à frente de quantos se encontram na Terra, caminho que os conduzirá à realização mais perfeita dos objetivos que cercaram sua existência presente: é o caminho em cuja construção preponderaram os sãos princípios da moral, do bem e da fraternidade humana. Fora deste caminho tudo não passará de mera ilusão; e como ilusão conduzirá seus adeptos por fim à própria desilusão, com o conseqüente arrependimento que nunca falta.

Encerro aqui minha tarefa, queridos irmãos terrenos, com os votos que faço ao Senhor Jesus pela felicidade de todos vós, e que vos afasteis dos caminhos perigosos. Apelai para Jesus quando vos sentirdes tentados a enveredar por esses caminhos, certos de que o Senhor vos conduzirá àquele que realmente vos convém. Recebei, pois, os votos que pela vossa felicidade aqui vos deixa o Espírito de RAMATÍS

Not. biogr. — Ramatís — Não se conhecem dados biográficos acerca deste Grande Espírito, por serem desconhecidos também os nomes com os quais viveu suas últimas encarnaçoes. Os dados que se seguem foram extraídos, d. v., do livro “A Vida no Planeta Marte e os Discos Voadores”, pág. 12. edição de 1955, segundo o seu médium Dr. Hercílio Maes, de Curitiba, Paraná. São os seguintes: “Ramatis informa que sua última encarnação na Terra foi no século X, tendo seu trespasse ocorrido no ano 993, na Indochina, após ter fundado e dirigido um Templo iniciático, que era frequentado por dezenas de discípulos.
“Em trabalho íntimo Ramatis já nos assinalou vários de seus antigos discípulos reencarnados no Brasil, os quais, efetivamente, estão cooperando com entusiasmo nas tarefas daqueles que o conheceram na Indochina, na Índia, no Egito ou na Grécia, e os mais afins com ele viveram, na Atlântida e Lemuria. Não temos autorização para maiores informações a seu respeito, mesmo porque ele as considera inoportunas. Em reuniões privativas, temos sabido que Ramatís vem operando, no plano astral, há muito tempo; pois conhecendo o trabalho sideral da humanidade terrena, ele se esforça para cooperar na sua evolução.
“O triângulo com a cruz que lhe pende sobre o peito é a sua insígnia de integrante da Fraternidade da Cruz e do Triângulo, ordem desconhecida para nós. Por vezes, menciona os inúmeros iniciados que passaram pelo nosso mundo pregando a Verdade em todas as latitudes do nosso orbe e acentua que Jesus de Nazareth foi o mais fiel intérprete da Mente Divina.”