Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

quarta-feira, 27 de abril de 2016

CAPÍTULO VII - UM CASO SEMELHANTE AO VOSSO Livro: Derradeira Chamada – pelo espírito do Irmão Thomé – psicografado por Diamantino Coelho Fernandes.




 As nossas preces elevadas diária e ininterruptamente no Alto ao Criador de todos os mundos, são invariavelmente pela boa compreensão dos Espíritos ora encarnados na Terra, dos seus compromissos e deveres para com Nosso Senhor Jesus de Nazareth. Nestas preces em que depositamos o máximo de nosso fervor pelo entendimento e compreensão dos nossos queridos irmãos encarnados, nós desencarnados, esperamos e temos a certeza de alcançar o nosso objetivo. Nesta altura de nosso empenho constante em favor de todos vós, leitores ou não dos meus conselhos, modificações de alguma forma sensíveis já estão sendo registradas pelos sismógrafos espirituais, o que denota a direção acertada em que estão ingressando muitos milhares de Espíritos encarnados, até então voltados exclusivamente para os seus interesses puramente terrenos.

Nosso Senhor regozija-se com este primeiro resultado do trabalho empreendido pelos emissários Seus na Terra, e espera por uma decisão mais firme de todos, no encaminhamento definitivo para sua salvação.

Se permitido me for relatar-vos sucintamente um fato verificado há muitos séculos em determinado planeta habitado por um tipo espiritual muito semelhante aos encarnados de hoje na Terra, eu o farei aqui o mais resumidamente possível. O planeta a que desejo referir-me estava como a Terra deste fim de ciclo, em vias de passar por uma transformação substancial em toda a sua estrutura, assim como sucede entre vós quando necessitais de demolir velho solar para em seu lugar erguer belo edifício. Assim também o planeta em referência estava para ser demolido para a necessária transformação.

O Governador Espiritual desse planeta, distribuiu emissários por toda a parte, no afã de conclamarem os habitantes à união de pensamentos para o bem, ao desapego progressivo dos interesses materiais e apuramento de suas qualidades morais, em face do que anunciado estava, de acontecimentos extraordinários, tal como estamos nós hoje fazendo a vós outros, estimados irmãos encarnados. O trabalho ali crescia de vulto à proporção em que as datas se aproximavam, devendo dizer-vos resumidamente que apenas uma terça parte dos habitantes daquela esfera acreditaram no que se lhes dizia, e trataram de pôr em prática os ensinamentos ministrados pelos divinos mensageiros. Chegadas que foram as datas previstas, toda a esfera foi sacudida por violento impulso que lhe alterou completamente o ritmo e a rotação. Com o impulso e conseqüente sacudidela recebida, é fácil de adivinhar o que então sucedeu: construções de todos os tipos vieram abaixo em muitos lugares, as águas de seus mares invadiram as partes mais acessíveis, como se elas próprias se tivessem assustado com o acontecido, submergindo completamente áreas até então habitadas pacatamente por muitos milhares de seres viventes.

Como apenas um terço da população estivesse preparada para o que havia de acontecer, essa parcela foi conduzida pelos seres espirituais incumbidos dessa tarefa, para planos de paz e tranquilidade no Além, onde foi recepcionada com demonstrações de grande afeto, pelo Governador Espiritual do planeta e seus luminosos auxiliares.

E o que sucedeu aos demais? - perguntareis vós. Eu responderei com bastante pesar amiguinhos meus, que uma parte daqueles dois terços despreocupados, para não dizer rebeldes, recordou em meio à tempestade o que ouvira dos emissários do Senhor, e apegou-se aos seus avisos como tábua de salvação encontrada ao acaso em mar revolto. Agarrando-se desesperadamente aos conselhos dos divinos mensageiros pode dizer-se que essa parcela de seres aflitos foi também salva e conduzida a solo enxuto ao fim de mais algum tempo. Esses irmãos planetários puderam afinal ser conduzidos após certo período de desesperação, durante o qual conseguiram afinar e aplicar a força de seus pensamentos, abertamente dirigidos à Fonte de todo socorro invisível. Uma regular parcela desses irmãos planetários porém, - ai Deus meu! - custa-me muito dizê-lo: debateu-se em aflições irremediáveis durante tanto tempo que não serei capaz de dizer se foram séculos ou milênios, completamente inacessível aos esforços de quantos invisíveis tentaram socorrê-los.

A transformação planetária, assim como a da Terra, e a de muitas outras esferas, projetada milênios antes, realizou-se por fim, vivendo ainda hoje no seu antigo mundo, muitos dos seres dali retirados carinhosamente a salvo dos abalos que o mundo sofreu.

Esta é a pequena história que aqui vos ofereço, na qual existe não pequena similitude com o que poderá vir a suceder em vosso pequeno mundo, tão pequeno que alguns de vossos contemporâneos estão cansados de lhe dar volta em pouco mais de noventa minutos.

Pois bem: todo o empenho de Nosso Senhor Jesus, manifestado através deste e de outros enviados Seus, é no sentido de reduzir ao mínimo, à insignificância, a parcela dos seres humanos que se mantenham despreocupados em face destes e de outros conselhos, e que noventa e nove por cento da população terrena, se possível, possa ser conduzida e salva carinhosamente aos planos que lhe são próprios quando soar a hora do salvamento.

Sabendo-se, por conseguinte, que a Terra sofrerá modificações em profundidade em sua estrutura, com afundamento provável de algumas de suas áreas e emersão de outras, e que, em consequência, muitas coisas não ditas poderão acontecer, uma só conclusão, uma única se impõe a quantos tiverem ouvidos de ouvir: também os seres encarnados sofrerão modificações em suas normas atuais de vida, estejam ou não preparados para isso. E se assim terá de ser, duas saídas se oferecerão a seu tempo: ligar-vos desde agora, firme e empenhadamente a Nosso Senhor, que vos espera de braços paternalmente abertos para vos acolher em seu coração magnânimo, ou esperar que os acontecimentos se precipitem para tomardes só então as vossas decisões.

Quero acreditar entretanto, e este é para mim o maior consolo, que, dada a antecedência com que vos falo por determinação do Senhor meu e vosso, que nem mesmo a insignificante parcela de um por cento dos Espíritos encarnados à época dos acontecimentos, estará despreocupada e cairá em aflições do tipo daquelas de que vos falei na minha pequena história. Foi precisamente para evitar esse desagradável registro que Nosso Senhor, ciente do acontecido à população da esfera de que falei, deliberou destacar mensageiros a todas as latitudes da Terra, com a mesma incumbência deste que vos fala, a prevenir seus guiados desde agora para que todos possam ser salvos a seu tempo.

Bem sei que as expressões salvar e Salvador de tão usadas e repisadas em pregações doutrinárias de vários credos religiosos, chegaram a ficar quase sem sentido pelo desconhecimento dos acontecimentos que estão por vir. Salvar entretanto, é agora a expressão mais adequada que podemos usar em nossos conselhos, porque traduz exatamente o objetivo do empenho de Nosso Senhor para com seus guiados terrenos: salvá-los das aflições em que porventura possam encontrar-se; salvá-los das garras dum infortúnio mais ou menos longo, se despreocupados ou alheios se mantivessem, aos conselhos que por meu intermédio mandou trazer a todos os homens e mulheres deste agitado fim de ciclo. Assim pois, amigos e irmãos meus, tudo foi deliberado e está sendo executado na face do vosso pequeno planeta, para que preparado esteja o vosso coração e o vosso Espírito, para atender prazerosamente ao chamamento do Senhor quando o momento chegar.

Finalizando o presente capítulo, desejo deixar-vos um novo ensinamento para que nele vos exerciteis desde agora, com real proveito no futuro. Refiro-me à aplicação do vosso ouvido espiritual à palavra que frequentemente vos é dirigida por vossos amigos e Protetores invisíveis. Para que possais receber facilmente essa palavra, através da qual vos são dirigidos conselhos verdadeiramente preciosos, pouca coisa em verdade tereis a fazer. É tudo uma questão de exercício para despertar vosso ouvido espiritual para a faculdade auditiva. Sempre de preferência à noite, já acomodados silenciosamente em vosso leito, procurai aplicar o ouvido espiritual ao ambiente que vos cerca, com o pensamento voltado para o Alto, desejosos de ouvir e compreender algo do que for dito em vosso ambiente. Praticando este exercício diariamente, após, naturalmente, haverdes orado e meditado, descarregando dessa maneira as vibrações materiais desse dia de trabalho, conseguireis não apenas ouvir a palavra de vossos Protetores, amigos ou até entes queridos que se foram, como até conseguireis entabular pequena conversação com eles. Fazei isto pacientemente, porque tudo requer um período de adaptação para que possais obter resultados; e todos quantos perseveram os obtêm. Dir-me-eis um dia quão útil e agradável este exercício se vos tornou e para sempre.