Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

CAPÍTULO VI - Livro: Corolarium – ditado pelo Espírito de Maria de Nazareth ao médium Diamantino Coelho Fernandes. A alma, suas origens e crescimento. — O sopro divino. — Integração no núcleo de vidas da escala animal. — Sua chegada à condição de ser espiritual. — Possível retorno ao planeta primitivo. — Cruzada Espiritual Feminina. — Eliminação do sofrimento físico na Terra.






Um assunto que eu considero da maior importância para conhecimento das almas encarnadas, é sem dúvida a origem de suas numerosas vindas à Terra durante séculos e milênios, com o fim de aqui aperfeiçoarem qualidades e aptidões para poderem alcançar, de degrau em degrau, toda a escala espiritual. 

Devo começar então por dizer às minhas queridas filhas terrenas, que suas almas se originaram de um quase nada, e simples desejo do Criador em dar vida a novos seres, no início de cada um uma simples idéia na Mente divina. Uma vez a idéia mentalizada, foi projetada na imensidade do éter universal, onde perdurou por milênios de milênios como um átomo em processo de desenvolvimento. 

Passados os períodos de tempo necessários, a idéia mentalizada pelo Criador adquiriu luminosidade e se movimentou em busca de crescimento, dentro das suas possibilidades. A idéia foi pouco a pouco adquirindo a consciência de si mesma como ser existente no Universo, tratando então de buscar em torno,  condições e ambiente que lhe permitissem o próprio desenvolvimento.

Certamente, a idéia já não estava sozinha em seu núcleo de vida. Muitos milhares de outras idéias semelhantes assim conviviam. na absoluta ignorância de tudo quanto não fosse ela própria, assim como todas as demais. Com o perpassar dos milênios foi a idéia agraciada com o que eu poderei denominar o sopro divino, que é o sopro de vida emanado do Criador, e a idéia se metamorfoseou em alma, em toda a simplicidade e pureza.  

Uma segunda fase então se manifestou ao longo dos novos milênios de milênios, num processo de crescimento anímico para esse ser pouco mais do que imperceptível, durante o qual ele próprio passou a reunir e absorver do núcleo a que pertencia, os elementos constitutivos de que carecia para o seu desenvolvimento anímico. 

A esta altura, a idéia mentalizada na Mente divina, já progredida na categoria de ser anímico, passou a viver sua própria vida e a se movimentar segundo as suas possibilidades anímicas. A continuidade dos tempos e a atividade desenvolvida no campo mental da sua existência, granjearam-lhe novos graus de luminosidade, chegando desta maneira a se constituir no que poderei denominar uma fagulha divina, embora sem qualquer espécie de autonomia no campo mental da sua existência.  

Nesta altura de sua constituição, foi o ser anímico conduzido à vivência no plano físico, integrando o núcleo de vidas dos seres mais ínfimos da escala animal, onde peregrinou durante milênios, com alternativas de idas e vindas do plano físico ao mental e vice-versa, galgando lentamente os degraus que lhe tiver sido possível galgar dentro do respectivo núcleo de vida. 

Concluída a escala na qual tiver ingressado, esse ser anímico logrou transferir-se a outro setor de vida animal, a fim de despertar e desenvolver o próprio sistema, e conquistar novas aptidões de autodefesa, já então em maior contato com novos elementos de progresso na circunscrição da sua vivência.     

Desnecessário será descrever todo o processo de desenvolvimento anímico enfrentado e percorrido pelo ser até alcançar o reino animal mais desenvolvido, conseguido finalmente ao cabo de uma trajetória tão longa e sofrida, que não será possível traduzir em números de séculos ou milênios. O certo é que, cumpridas as existências necessárias em meio a todas as vicissitudes da espécie, e que muitas foram, para todos os seres, chegou o ser anímico a seu tempo à condição de ser espiritual, desprovido, porém, de experiência em todos os setores, necessitando, então, de mergulhar num veículo físico para adquiri-la. 

Isto equivale a dizer que chegada foi a fase em que o sofrimento começa para as almas, com o mergulho que se lhes depara num mundo onde a luta constante pouco difere daquelas que tiveram de sustentar em sua vivência puramente animal. Nesse mundo em que vai ingressar receberá um veículo de forma humana, é verdade, porém bastante mais grosseiro e rude do que os da Terra, e nesse veículo a alma aprenderá a conviver com milhares de outras iguais, em cujo contato se desenvolverão novas aptidões, mercê das lutas que terá de enfrentar para sobreviver. 

Não estará, porém, abandonada a alma ingressada nesse mundo inferior. Ela terá a seu lado Guias e Protetores espirituais empenhados em a proteger contra os percalços, de lhe inspirar idéias necessárias à sua felicidade relativa, e, através dessa inspiração e ajuda a alma desenvolverá preferencialmente a sua faculdade intuitiva da maior utilidade em toda a sua vida ocasional e futura.  

A permanência duma alma nesse mundo bastante primário de vida não obedece a um período determinado de tempo. Em regra, porém, contam-se por doze a quinze mil anos os períodos de vivência das almas primárias nesse mundo, com alternativas de regresso e repouso no Espaço que lhe é próprio. Há, porém, numerosos casos em que almas de tal modo se empregaram na sua vivência nesse plano, que lograram alcançar o termo de sua experiência relativa em pouco mais de cinco mil anos.

Desenvolvendo empenhadamente várias das aptidões peculiares ao plano físico, muitas almas têm logrado alcançar justa promoção a mundos melhores, mais adiantados, tendo inclusive algumas delas sido trazidas a encarnar na Terra.  Bem verdade é, contudo, que algumas destas aqui se perturbaram ante a absoluta liberdade que encontraram em sua vivência, e tais distúrbios praticaram, que estão sendo devolvidas àquele mundo donde vieram, provando com isto que ainda não mereciam a promoção recebida. 

E essas almas retiradas da vossa convivência após períodos mais ou menos longos entre vós, não irão, certamente, voltar ao estado de materialidade no qual lá se desenvolveram. Tendo aprendido em sua estada na Terra muitas coisas que lhes permitirão implantar novidades e descobertas de grande utilidade nesse plano físico de vida primitiva, as almas retiradas da Terra e a ele recambiadas estão aptas a conquistar a admiração e o respeito dos seus contemporâneos. 

Entre os seres humanos em referência, muitos há de haver que aqui se relacionaram no campo da física e da mecânica, assim como nos transportes e também na indústria alimentar, estando por isso em condições de implantar nesse mundo em que vão reingressar os melhoramentos que puderem recordar nesses setores, o que lhes granjeará a auréola de grandes inventores.

Bem, minhas filhas muito queridas, toda esta longa história, se bem que apenas sintetizada, em torno das origens da alma, eu quis trazê-la para vós com este grande objetivo: fornecer-vos uma idéia do estado de adiantamento em que já vos encontrais a esta altura da vossa existência multimilenar, após haverdes percorrido os caminhos mais áridos e pedregosos que jamais podereis rememorar. 

Desde a simples idéia criada na Mente Divina até ao vosso estado presente de almas superconscientes como já o sois, responsáveis por todos os vossos atos e pensamentos, capazes inclusive de operar o próprio milagre ao vosso semelhante, eu não errarei em vos dizer que sois nesta altura de vossas vidas autênticos pequenos deuses, porque realmente o sois. 

E se assim é, dada a posse das excelentes qualidades e sentimentos que lograstes conquistar ao longo dos vossos quase cem mil anos desde o sopro inicial do Criador, eu venho dizer-vos ao vosso coração de filhas que muito quero e estimo, que a partir de agora vos considereis cada uma, uma representante minha  na Terra, para operar em meu nome todo o bem que entenderdes possível operar. 

Sempre que uma oportunidade se vos deparar em que podereis realizar uma ação meritória, não vacileis em fazê-lo em meu nome, que eu me prontifico a confirmar o vosso ato. Sempre, pois, que no vosso entender puderdes proporcionar ao vosso semelhante um conselho necessário, uma vibração amorosa num caso de sofrimento ou acidente, eu vos peço e autorizo: enviai-me um pensamento de prece, e eu estarei prontamente convosco para confirmar a boa ação que praticardes. 

Eu desejo manter-vos bem perto de mim desde agora, minhas queridas filhas, um dos motivos pelos quais resolvi descer à Terra para ditar este livro. E mantendo-vos bem perto de mim, minhas queridas, nós constituiremos juntas uma força poderosa quanto eficiente, contra a qual nenhuma vibração maligna poderá prevalecer. 

Assim autorizadas por mim, cada uma das minhas filhas terrenas  terá oportunidades várias de usar o poder que eu aqui lhes confiro, e com ele enxugar muitas lágrimas à sua volta. Fazei isso, minhas queridas! Eu estarei atenta no Alto a todos os vossos pensamentos, e atenderei no mesmo instante aos pedidos que me dirigirdes. A distância que só aparentemente separa este plano do plano espiritual, nossos pensamentos — o meu e os vossos — a transpõem numa fração de segundo, um milésimo, quando muito.

No Estatuto que espero enfeixar ainda neste livro, regulando a Cruzada Espiritual Feminina já organizada no plano espiritual, encontrareis, segundo espero, as regras e maneiras de vos conduzirdes como membros da Cruzada e minhas representantes no ambiente terreno. Isto constituirá apenas o início da vossa cooperação nos meus trabalhos espirituais, porquanto, uma vez ingressadas na Cruzada na Terra, sereis automaticamente consideradas minhas auxiliares categorizadas também no plano espiritual, quando a ele regressardes.  

Agora algumas palavras apenas para concluir o capítulo. Dir-vos-ei, então, minhas filhas, que se prepara no Alto, igualmente, uma atividade a ser implantada no meio terreno, destinada a reduzir ao mínimo o sofrimento das almas encarnadas, mediante a aplicação de certos princípios já em curso em planetas mais adiantados.  Um destes princípios consiste, por exemplo, no uso de determinadas fórmulas mentais para minorar ou mesmo eliminar sofrimento físico, de grande eficiência. Eu não estou autorizada por enquanto a pormenorizar o de que se trata, porém desejo assegurar-vos que isso não demorará, segundo o conhecimento que tenho do andamento do assunto.  

Nosso Senhor Jesus muito se preocupa em minorar os sofrimentos peculiares ao meio terreno, a fim de tornar bem mais alegre e feliz a permanência das almas encarnadas neste planeta. Um regular número de Entidades assessoras se empenha no momento em ultimar os trabalhos necessários à implantação neste plano físico, de vários processos para aquele fim. Aguardai, pois, filhas e filhos meus, o que muito breve conhecereis, segundo o que venho de antecipar-vos. Meu empenho, muito grande também, de me aproximar de vós todas que vos encontrais na Terra, tem o objetivo de vos unir a mim numa estreita união de vontades, a fim de que, assim unidas, possamos colaborar com grande eficiência nos trabalhos do Senhor neste plano terreno. 

Os dias que se aproximam hão de requerer muita união de pensamentos e de esforços, e eu assumi para com o Senhor o compromisso de conclamar as minhas filhas terrenas para fazerem parte da obra que pretendo realizar. Juntas, eu do Alto e vós na Terra, mas unidos os nossos pensamentos, havemos de operar maravilhas de socorro e atendimento aos necessitados de toda a esfera terrestre. Havemos de expandir de tal modo as vibrações puríssimas do nosso amor ao semelhante, e em tal magnitude o faremos, que os vossos e o meu Espírito celebrarão a seu tempo, no Alto, a confraternização gloriosa que nos reunirá para sempre.

Devo esclarecer ainda, minhas filhas, que abrigais cada uma no vosso coração uma tão grande parcela de poder, que se vos dispuserdes a utilizá-la para o bem e só para o bem, está claro podereis tornar-vos cada uma, uma Segunda Maria Santíssima no sentido do bem-fazer. Havemos de somar, então, o meu e o vosso poder em favor dos nossos irmãos terrenos, pela alegria e felicidade que isso proporcionará aos nossos Espíritos. E mais tarde, quando o tempo chegar, eu terei a satisfação de vos levar pela mão à presença do Senhor e lhe dizer: Eis aqui, Senhor Jesus, uma filha que  muito nos ajudou na Terra. Ela bem mereceu esse galardão que ora vem receber pela minha  mão!  

Deixo-vos aqui a bênção que o Senhor vos envia por meu intermédio, e a minha  própria que eu vos ofereço de todo o coração.