Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

segunda-feira, 23 de junho de 2014

CAPÍTULO IV – 2ª Parte – Livro: Vida de Jesus ditada por Ele Mesmo. Insiste em que sua nova manifestação entre os homens, sob esta forma, não constitui outra cousa senão a continuação da obra começada por ele, em nome de Deus.



Já vos disse, irmãos meus, que, pois que Deus consentiu em enviar seu filho para a salvação do homem, caído tão abaixo de sua pureza primitiva, devido à sua falta de progresso, ele não pode deixar sem cumprimento seu propósito. Assim, pois, truncados pela morte do corpo esses divinos propósitos, só podiam ser cumpridos no momento, pois não podia a vontade do Pai estar sujeita à dos verdugos de seu enviado senão enquanto a obra deles pudesse servir de instrumento eficaz, embora cego, para o cumprimento da vontade divina,¹ que nunca pode deixar de ser cumprida. Cumpre-se, pois, novamente agora repito-vos, a obra do Pai, aparentemente interrompida por minha ausência material de entre vós e comporta especialmente dito cumprimento em estabelecer a verdade, tal qual ela foi dita. Se certamente a palavra que recolhestes de minha anterior predicação, cheia era de ambigüidades para vossos entendimentos tão atrasados então, e de contradições aparentes com relação ao que agora vos digo, preciso é que compreendais que a verdade há de buscar-se na essência do ensinamento e não em sua forma, posto que esta há de ser da que se aproveite o meio em que se fala e o ambiente em que o ensinamento se produz. É, portanto, no que à palavra se refere, dando a entender sobre as chamas eternas, sobre as potestades infernais e outras cousas que foram ditas, que se deve compreender a necessidade, para o Mensageiro, de falar a língua dos que suas mensagens haviam de receber e preciso lhe era também ainda vestir seus ensinamentos com a roupagem das idéias imperantes. Se outro houvesse sido o modo de minhas palavras, ninguém as teria escutado e estéril teria resultado a vinda do Messias, o que não podia acontecer pelo que já vos disse com relação ao necessário cumprimento dos desígnios de Deus. Assim, pois, tudo aconteceu como devia acontecer. Assim também acontece, hoje, que minha palavra não é acreditada, como já antes disse: Mas quando vier o Filho de Deus, pensais que encontrará fé na Terra? Esses também, os que se dizem mestres de minhas palavras e os que se julgam o porta-voz de meus ensinamentos, vão mal, porque lhes falta a fé, que só é dada aos humildes de coração, aos que sofrem perseguição pela justiça, aos que resignados choram e aos que padecem sede e fome de verdade e de amor. Onde estão vossas aflições pelo bem? — Onde estão vossos grandes sofrimentos pela verdade? — Onde vossos sacrifícios para que frutifique em vossa mísera morada a semente que semeei e que hoje volto a regar com lágrimas ardentes, por vossa pertinaz cegueira?

Recordai o que antes vos falei do homem que tinha uma figueira em sua vinha, foi buscar seu fruto e não o achou. E disse ao que lavrara a vinha: Olha, três anos há que venho buscar fruto nesta figueira, e não o encontro; corta-a pois; para que há de ocupar ainda a Terra?

Venho pois agora buscar o fruto da figueira que plantei na vinha do Senhor, e não o encontro. Esperais que a figueira seja cortada pela raiz e lançada ao fogo?

Oh! irmãos meus, crede de uma vez na palavra que novamente vos trago, para recordar-vos o nenhum valor das cousas humanas, o enganoso de toda a felicidade que não seja do espírito, a falsidade de toda a aspiração posta nas cousas passageiras da vida e o vazio de toda a esperança que não veja mais além do corpo.

Muitas cousas vos poderia dizer, mas, de que vos valeriam se cegos vos obstinais em permanecer, com a alma acorrentada aos torpes apetites do corpo? — De que vos serviria que vos mostrasse melhor luz, se vós teimais em manter fechados vossos olhos?

Não acreditais muitos de vós que sou eu quem vos fala, e nem mesmo vendo-me o acreditaríeis e tampouco o acreditaríeis se novamente crucificados vos exibissem meus pobres despojos; porém, isto é porque fechados conservais os olhos de vossa fé, fechadas as portas da humildade, fechados os caminhos de vosso coração!

Oh! — Quão distante vos encontrais de onde deveríeis encontrar-vos! — Por isso muda é minha palavra para vós, sem calor meu sentimento, sem eco a voz de meu constante chamado.

Sede sábios, porque de Deus vem também a ciência. Mas não olvideis que toda a sabedoria e toda a grandeza nada são sem a fé, sem a humildade e sem a caridade. Pedi, pois, a Deus sobre todas as cousas, estas três: fé, humildade e caridade

¹ Efetivamente, foram os verdugos de Jesus quem, com o martírio do Gólgota, engrandeceram e imortalizaram a obra do Nazareno, contribuindo involuntariamente para que a vontade do Pai se cumprisse. — Nota do Sr. Rebaudi.