Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

terça-feira, 24 de junho de 2014

CAPÍTULO VII – 2ª Parte – Livro: Vida de Jesus ditada por Ele Mesmo. Refere-se o Messias à sua passagem e predicação por terras distantes e cita Cafarnaum como o ponto onde sua predicação começou a assumir caráter de eficácia para seu apostolado.



Cafarnaum, da tribo de Nephtali, sobre a costa do Mar de Tiberíades, ou também Genezareth, onde me foi dado encontrar meus primeiros discípulos no Senhor, foi também a pedra primeira do edifício de meus trabalhos na fé daquele que me enviou. As gentes simples e ignorantes, mais dadas às ocupações em proveito do corpo que do espírito, entregues estavam ao mercantilismo de seus afazeres para conseguirem bens terrenos, e as palavras do Messias saído das mesmas terras na Judéia, mais faziam ruído em seus ouvidos que entretenimento eficaz para o bem de seus espíritos. Foi-me possível, não obstante, estabelecer alianças dos sentimentos dos que escutavam minha palavra, entre os rudes pescadores do lugar principalmente, com os propósitos de minha sementeira na fé do Pai e no amor que dele vem.

Depois da larga estada em Jerusalém que minha educação exigira, meus ensinamentos, levados mais além do território da Judéia, se certamente encontraram acolhimento de afeição e reconhecimento, apenas recolheram elementos para a obra futura; não ganhou aí em alianças nem meios para o cumprimento do que o motivara, a vinda à Terra do Filho de Deus e o que devia ter repercussão em todos os âmbitos do mundo.

Mas os propósitos do Messias chegaram a formas melhor definidas e fizeram-se mais apropriados ao objetivo proposto, conseguindo também firmar-se melhor em seu espírito, pela afabilidade com que ele se viu acolhido, escutado e atendido; sem dúvida mais amado que compreendido era justamente o que os secretos desígnios de Deus lhe haviam preparado nessas terras distantes, como para a conservação, por sua lembrança mais tarde, do valor que o devia acompanhar na empresa de tanta transcendência para a qual destinado era. Na mesma Cafarnaum não podia encontrar sua verdadeira base meu apostolado, cujas raízes em Jerusalém tão somente haviam de achar-se, para dar nascimento, no porvir, à árvore frondosa de minhas doutrinas, sob cuja sombra benéfica se haviam de acolher as gerações futuras, saboreando seus doces frutos de amor e de verdade.

Havia-me sentido, não obstante, débil no grande centro da Cidade Santa, débil pelas insídias do fanatismo, pelas prevenções do clero, que em repetidas ocasiões havia levantado desconfianças e resistências contra mim; entretanto via-me quase órfão de elementos de valor que me apoiassem.

Meus primeiros passos tinham sido, no entanto, afortunados e as vezes que fizera ouvir minha palavra no templo foi sempre com vantagem para as novas doutrinas. Mas assim também aumentou contra mim a mal dissimulada cólera dos sacerdotes. Isto foi justamente o que afastado me teve por algum tempo de Jerusalém, andando por Damasco, Tiro, Sidon e outras cidades distantes, onde certamente muito melhor se vira Jesus acolhido que nas terras de seu próprio nascimento. Mas, ainda que seguido e agasalhado, não foi daí, senão recentemente de Cafarnaum, de onde a doutrina do Messias começou a tomar realmente corpo, dando expansão ao que já de Jerusalém trazia, principalmente no que, como conjunto de ensinamento, se podia compreender.

No tempo de minha educação em Jerusalém também no que se refere ao alívio dos males do corpo havia-me ocupado, porque as ciências, então ainda em sua infância, todas estavam reunidas, e assim também dos ensinamentos da Cabala, muito tinha aprendido para tudo o que havia de ser em benefício do povo; tudo o que tinha contribuído para o prestígio da fé como que me iam envolvendo. Essa fé pôde bem fazer milagres, porquanto já dito está que a fé transporta montanhas, mas se certamente algumas curas inesperadas, porque julgavam-se enfermos incuráveis, cercaram o Filho de Deus da admiração e quase até da adoração de alguns homens excessivamente entusiastas, não menos certamente vos asseguro que tais cousas não foram filhas de uma virtude especial do Messias, que o tornasse superior aos demais homens neste caso, mas sim quanto à atmosfera benéfica que a seu derredor espalha todo espírito puro e desejoso do bem de seus semelhantes. Isto é justamente o que aproveitado foi por meu discípulo predileto para erigir ao Filho de Deus o culto que só a Deus mesmo é devido.

Irmãos meus, filhos meus, amigos meus, pelo grande amor que vos professo e pela ternura dos sentimentos que me inspira a desgraçada situação vossa, peço-vos que isto compreendais de uma vez para sempre: “Que um só é o Deus criador do Universo e a fonte de todo o poder, de toda a grandeza, de todo o saber, de todo o amor e de toda a justiça. Só a ele portanto toda a adoração deve ser consagrada. Só dele todo o bem havemos de esperar. Só nele a pureza de nossa fé há de descansar. Tão-só para seu excelso trono nossas orações devem se elevar e de suas mãos tão-somente hão de baixar sobre a Terra todos os dons que hão de elevar até o céu todos os seus filhos”.

Crede, pois, na palavra desse Deus único, que pela boca de seu filho vos diz:

“Tende fé no porvir da alma, porquanto para todos os homens, ela há de chegar até à cúspide da montanha, cuja encosta destinados estais a subir penosamente. Mas o passo com firmeza dado antes de vós por aquele que haveis chamado O Mestre, vos sirva de guia, de ensinamento e de amparo para vossos próprios passos, que atrás dele hão de ser dados, se diretamente e com presteza ao fim quereis chegar.

“Desprendei-vos de vossas paixões, colocai-vos acima dos vossos desejos imoderados e contrários aos interesses de vossa alma, que é do único de que deveis cuidar. Mova-vos em vossos atos mais o amor por vossos semelhantes que o interesse por vossas pessoas. Tende como bem certo que quanto por vosso próximo fizerdes, centuplicado vos será devolvido por meu Pai que está nos céus.

“A alma sopro é que de Deus vem e o que de Deus vem, eterno é como a mesma essência de que saiu. Mas só é a essência aquilo que de tão alto recebeu, porque tudo o que mais tarde há de conseguir do que em seu caminho encontre há de consegui-lo com paciência e trabalho.

Tão-somente o amor é viático que as jornadas abrevia e que forças dá ao homem para com maior presteza os maiores obstáculos vencer. Portanto, quanto mais ameis mais próximos vos encontrareis da libertação da vossa alma, das cadeias que a sujeitam à maldade e ao vício, que dificultam a emancipação da alma, pela cegueira que vos produz e pelo domínio que sobre vós têm estabelecido. Por isso assim foi dito, e bem o foi: Ama a Deus sobre todas as cousas e a teu próximo como a ti mesmo, estes são os profetas e os mandamentos”.


Com estas palavras de amor, amorosamente me despeço hoje de vós.