Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

sexta-feira, 19 de maio de 2017

CAPÍTULO XLV – Livro: Corolarium – ditado pelo Espírito de Maria de Nazareth ao médium Diamantino Coelho Fernandes. O perfeito funcionamento de tudo que conheceis — O encurtamento da vida humana e o uso do álcool. — A constituição de um lar representa uma bênção divina. — O desmoronamento como consequência da falta de espiritualidade.




As circunstâncias que cercam a execução dos trabalhos em desenvolvimento neste pequeno mundo terreno devem envolver numerosas almas de todas as idades, conduzindo-as de regresso aos respectivos planos do mundo espiritual. É possível que este fato seja interpretado por elas, ou pelos seus familiares, como uma desgraça, uma infelicidade talvez, porém eu vos afirmo que o não é absolutamente. Em princípio, nada acontece por acaso, seja em que sentido for, porque todo o desenvolvimento da vida universal tem uma causa, um motivo, a determinar inclusive os menores acontecimentos. Esta a razão do perfeito funcionamento de tudo que conheceis, desde o nascer do Sol todas as manhãs ao desabrochar das flores nos prados e nos jardins na época que lhes é própria. Da mesma maneira sucede a tudo o mais, desde o vosso nascimento na Terra, à partida de regresso ao Alto, segundo o plano e condições que se relacionam com a reencarnação de cada alma.

A circunstância, pois, de virem a desencarnar numerosas almas em virtude dos acontecimentos que devem ocorrer, deveis recebê-la como perfeitamente normal e para a vossa maior felicidade. As almas que vierem a desencarnar em tais condições, ou concluíram já o seu curso terreno, e por isso devem regressar a novo plano de luz no Alto, onde passarão a viver uma vida nem sequer imaginada, ou, em certos casos, nada lucrariam em permanecer na Terra por alguns anos mais de trabalho e canseiras. Uma verdade, por, conseguinte, devem guardar todas as almas encarnadas em seu coração: a Divina Providência nada faz ou determina para o mal ou sofrimento dos seus filhos. Partindo deste princípio, podeis estar certos de que o que vier a ocorrer a qualquer de vós ou à vossa roda, o será exclusivamente para a maior felicidade de todos e de cada um de vós.

Abordarei em seguida um novo tema de grande transcendência para quantos se encontram na Terra, pelos efeitos que pode provocar ao longo da vivência de cada um. Quero referir-me ao hábito ainda tão arraigado entre os seres humanos, de se entregarem aos prazeres do álcool em maior ou menor intensidade, principalmente desde a mocidade, quando precisamente se inicia a formação da personalidade. Ignoram então as pessoas que se afeiçoam ao uso das bebidas alcoólicas a extensão do mal que começam a adquirir ao ingerirem diariamente a sua porção maior ou menor. Em primeiro lugar lhes direi que o encurtamento da vida humana é devido em grande parte ao uso do álcool, responsável pela corrosão dos condutos circulatórios e também dos tecidos, cujas células se atrofiam muito cedo. A incorporação do álcool à circulação sanguínea no organismo produz um efeito semelhante ao da ação salitrosa do mar nos objetos de ferro e aço que lhe estão próximos, terminando por desintegrar suas moléculas. As pessoas que residirem próximo ao mar hão de compreender melhor o que digo, pelo fato de poderem observar os efeitos salitrados do oceano em suas janelas e portas; assim como em quaisquer outros objetos de metal que possuam. No organismo humano sucede fenômeno semelhante, com a diferença apenas de que, havendo no organismo uma atividade constante de renovação, a ação desintegradora das células e condutos sanguíneos é mais demorada do que a dos metais expostos à ação do mar. Desta maneira regressam inúmeras almas aos seus planos de vida espiritual com seus corpos fluidicos minados pela corrosão do álcool, cuja ação, deteriorando prematuramente o organismo físico, atingiu o corpo fluídico da alma. Chegam estas almas também prematuramente nos seus planos espirituais quantas delas bastante entorpecidas em virtude da ação corrosiva do álcool, havendo casos muito frequentes de internamento demorado em instituições especializadas, uma espécie de hospitais recuperadores. Muitas destas almas que usaram em demasia as bebidas alcoólicas na Terra chegaram de regresso aos seus planos como que atordoadas, semi-inconscientes, incapazes portanto de comparecer perante as Entidades a quem deveriam prestar contas de sua recém-finda encarnação. Nós lamentamos de todo o coração este fato, porém é tarde demais para corrigi-lo, como é fácil de compreender. Vindo então ao meio terreno ditar este livro, no qual eu procuro deixar exarado tudo o que possa ser útil às minhas filhas e filhos terrenos, o Senhor Jesus recomendou-me tratar inclusive deste assunto, pela importância de que o mesmo se reveste na vossa vida terrena.

Temos observado com grande melancolia almas possuidoras de um belo índice de evolução, e que no Alto têm desempenhado tarefas de serviço divino, encontrarem-se na Terra inteiramente entregues ao uso abusivo do álcool, com aspecto que muito as deprime no seu estado evolutivo. Ocupando-me, pois, do assunto, eu desejo fazer um apelo a todas as minhas filhas e filhos que eu muito amo, para que meditem demoradamente sobre ele, e aqueles que por fortuna se encontrarem imunes, secundem este apelo na extensão que puderem, na certeza de que estarão realizando uma tarefa do serviço divino, prestado à coletividade. O Senhor Jesus, que isto me recomendou, retribuirá generosamente este serviço a cada um dos filhos que assim puderem cooperar para a extirpação dos males causados pelo álcool às almas encarnadas.

Prosseguirei com outro assunto que muito apreciareis também, pelo interesse que ele certamente despertará em todos vós que compulsais este volume. Este assunto relaciona-se com a vida de todos vós, sobretudo com aqueles que já constituíram um lar em sua vida atual e nele devem encerrar a sua felicidade terrena. Desejo dizer ao coração destes filhos e filhas, que o fato de haverem conseguido constituir o seu lar terreno, representa a posse de uma bênção divina que tal coisa lhes permitiu. Efetivamente, nenhuma alma jamais constituiu um lar no mundo terreno sem que para isso houvesse recebido a bênção divina, ou seja, a divina permissão. Sucede porém, e ultimamente muito mais do que no passado, divergirem de tal modo as duas almas componentes dos lares, que eles facilmente se desfazem, assinalando isto um lamentável fracasso humano. As Forças Superiores têm-se empenhado muito seriamente em inspirar entendimento e amor nas almas responsáveis pelos lares terrenos, desejosos de que esses lares perdurem pela existência em fora, para o que foram constituídos. Têm sido por isso averiguadas as causas determinantes dos inúmeros desentendimentos ocorridos entre os cônjuges, chegando-se à conclusão de que as principais se têm originado da falta de espiritualidade das almas. A falta de espiritualidade nas almas encarnadas na Terra é muito mais séria e prejudicial à felicidade humana do que talvez possais imaginar. Ao construírem um lar na Terra, por mercê de Deus, vamos dizer assim, as duas almas estão, em regra realizando um compromisso celebrado no Alto, no momento de baixarem à Terra, sendo, em não poucos casos, almas que isso mesmo realizaram em vidas anteriores. Estas descem então ao solo terreno com aquele compromisso guardado em seus corações, embora não o recordem em sua memória física, como é óbvio a um compromisso assumido no Alto. As Forças Superiores, porém, acompanhando o desenvolvimento da vida terrena de cada alma, conseguem aproximá-las de tal modo que uma corrente de simpatia se apresenta e elas se unem finalmente sob as bênçãos de Deus na Terra.

Agora vejamos os fatos que podem determinar o desentendimento e consequente desmoronamento de tantos lares onde a harmonia e o amor deixaram de existir. É preciso dizer com franqueza que motivos podem determinar o desmoronamento dos lares terrenos nessa proporção imensa que todos conheceis. Comecemos por apontar como motivo principal a falta de espiritualidade numa ou nas duas almas construtoras do lar. Elas devem ter presente em suas mentes, que o fato de se terem unido para a formação de um lar na Terra, constitui um ato de aprovação divina, e por isso deve merecer de ambas o maior respeito e consideração. O Senhor Jesus que foi solicitado a lançar a sua bênção sobre a união das duas almas, observa com alegria ou tristeza o comportamento de ambas, e muito se abate ao verificar os primeiros vestígios de desentendimento. Se, entretanto, as duas almas tiverem sempre presente, que a finalidade da constituição de um lar tem por objetivo proporcionar a vinda de outras almas à Terra, em busca de novos conhecimentos e de aprimoramento moral, as duas almas colunas do lar se empenharão em proporcionar a essas almas que a Divina Providência lhes concedeu como filhos, um ambiente cem por cento harmonioso e feliz para que os filhos possam nele ingressar e se desenvolver.

E por que isso não acontece em todos os lares da Terra? Vamos examinar o assunto detidamente para chegarmos à sua conclusão. O que acontece muito frequentemente é a falta de oração e vigilância da parte das almas construtoras dos lares. Eu chamarei então a isso falta de espiritualidade. Encerrando um dia e começando outro, as duas almas, preocupadas ao máximo com os problemas de sua vida diária, esquecem-se de elevar ao Senhor a sua prece de agradecimento e pedido de proteção para os dias porvindouros. Este pedido, meus filhos e filhas queridas, tem uma significação muito mais importante do que talvez possais imaginar. A prece de agradecimento diário ao Senhor pelos favores e proteção recebidos durante um dia vivido na Terra é um dever indeclinável das almas encarnadas, num reconhecimento do que muito devem ao Senhor. O pedido de proteção, porém, representa uma necessidade inadiável para todos, para evitar sabe Deus quantos perigos a que estão sujeitas as almas na Terra. Nessa necessidade de proteção se inclui — muito importante isto — a segurança do afeto que deve existir entre as duas colunas do lar, em meio aos incontáveis perigos existentes no ambiente terreno. À esposa, principalmente, conferiu a Divina Providência o poder de irradiar a sua influência protetora sobre a família, inclusive a sua alma irmã que parte de manhã para o trabalho santo de cada dia. Esta alma que parte diariamente para o trabalho, principalmente nas pequenas e grandes cidades, está exposta a maiores perigos em função mesma de suas atividades. Se, entretanto, aquela que permanece no lar como rainha que é da família tiver um coração devotado à oração diária impulsionado pela fé nas Forças Superiores que dirigem a vida terrena e penetram em todos os lares, e nesta oração fervorosa rogar a divina proteção para a sua alma irmã que parte diariamente para o trabalho, a fim de que nenhum perigo ou maldade humana possam atingi-la, pode a alma do lar, a rainha da família, estar segura de que a harmonia e o entendimento perdurarão para sempre no lar. Quem, então, muito lucrará serão os filhos que a Divina Providência houver encaminhado a esse lar feliz. Crescendo e vivendo num lar harmonioso, os filhos poderão facilmente desenvolver as aptidões e capacidades que trouxeram, tendo assim também o elemento básico da sua felicidade terrena.

Apontarei então, ainda uma vez, a falta de espiritualidade das almas encarnadas como a causa principal do desmoronamento do maior número de lares na Terra. Isto não só em relação à rainha do lar como também ao chefe da família. É muito importante que o homem saiba que no seu caminho e em suas relações se encontram numerosos abismos a espreitá-lo, de cuja existência ele nem sequer suspeita. Muitos se precipitam neles inconscientemente pelo fato de se haverem tornado possivelmente invigilantes, quando se terão deixado conduzir pelos fatos. Os homens fracassam muito mais frequentemente pela sua invigilância do que de moto próprio. Por isso eu aqui recomendo a todos os meus queridos filhos que por nada se descurem da sua oração noturna, na qual se abram de coração ao Senhor, e roguem a continuação de sua proteção para as dias seguintes. Devo dizer a todos que o Senhor aprecia devidamente a oração que lhe dirigem as almas femininas viventes na Terra, mas aprecia ainda mais as que lhe dirigem as almas que se encontram vivendo em corpos masculinos. Ao receber uma prece fervorosa dum coração masculino, o Senhor tem logo a idéia da segurança que nesse coração ou nessa alma se encontra, quanto ao seu encaminhamento na Terra. Isto porque o Senhor bem sabe que um homem devotado ao cumprimento dos seus deveres espirituais já é um elemento seguro e firme no caminho do seu progresso espiritual. Assim, pois, ao receber a oração de um chefe de família principalmente, já recebeu o Senhor a certeza da harmonia e entendimento reinantes nesse lar, muito grande sendo então a sua alegria. Orai, pois, meus filhos, orai muito, orai sempre, pela vossa e pela felicidade dos filhos que a Divina Providência houve por bem confiar-vos na Terra, numa perfeita retribuição do muito que vós próprios deles mesmos ou de outros tereis recebido em vidas anteriores.

Concluindo então as razões principais do desentendimento e consequente desmoronamento de tantos lares terrenos, chegamos à evidência de que isso se deve em noventa e nove dos casos à falta de espiritualidade das duas almas por eles responsáveis. Mas eu não vos falei das consequências desses desmoronamentos na vida futura das almas responsáveis. Espero poder dizê-lo ainda neste livro, num outro capítulo.

Por hoje deixo-vos aqui a bênção que o senhor vos envia por meu intermédio, e a minha própria que eu vos ofereço de todo o coração.