Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

terça-feira, 4 de agosto de 2015

VIII - INTROVERSÃO PLANETÁRIA - Livro: Vida Nova – Ditado pelas “Forças do Bem”, psicografada por Diamantino Coelho Fernandes.





Sempre que a humanidade terrena tiver de ascender a um novo grau na escala da espiritualidade, sobretudo quando esta ascensão tiver de ser coletiva, sinais desse auspicioso acontecimento serão difundidos por toda a superfície terrena. Na era que todos estamos vivendo, quer os Espíritos no Espaço quer os seres humanos na Terra, esses sinais serão não apenas visíveis mas também sensíveis por toda à parte, e deles todos os homens e mulheres da era presente tomarão perfeito conhecimento. A vida dos planetas assim como a dos seres, obedece a um ciclo evolutivo que pode ter a duração de anos como de séculos ou milênios, ao fim dos quais um novo ciclo se apresenta para impulsionar o respectivo progresso. Estamos assim antevendo já o que na Terra se passará em breves anos, para o encerramento de um e início de outro ciclo de vida deste pequeníssimo planeta.

Um fato que todos haveis de presenciar porque será verificado nos cinco continentes, é o que denominarei introversão planetária, ou seja a reversão de várias áreas do planeta ao seu interior por efeito de movimentos telúricos, com o aparecimento de outras presentemente ocultas às vossas vistas. E como se processarão esses fenômenos? Duas explicações podem ser dadas à vossa compreensão, meus irmãos encarnados. A primeira delas é que em conseqüência de movimentos operados no centro do planeta, grandes porções do mesmo serão expelidas com tal poder de expansão, que as camadas superiores se desintegrarão e serão absorvidas pelo vácuo produzido pelo fenômeno da expansão. Desta maneira, podem interiorizar-se no âmago do vosso planeta grandes áreas atualmente iluminadas pelo Sol na superfície, vindo outras ocupar seu lugar, ou, pelo menos se apresentar às vossas vistas e passarem a fazer parte da nova superfície da Terra. Esta é uma das explicações ao alcance da vossa compreensão.

A segunda é a da necessidade de modificar, em alguns pontos do globo terráqueo, a topografia existente há centenas de milênios, com o fim de tornar produtivas para a vida humana, largas áreas terrenas até agora completamente improdutivas. Este trabalho há de parecer-vos talvez ciclópico pela sua grandiosidade, irmãos encarnados, e em verdade o é. Obedece porém a planos meticulosamente traçados no Alto há mais de quatro mil anos, aguardando a época conveniente à sua execução.

Estou adivinhando o que em vosso cérebro se passará ao tomardes conhecimento das coisas que estou aqui vos dizendo, e bem percebo o temor que de muitos se apoderará, quanto à mortandade que a execução deste plano poderá determinar entre as populações terrenas. Tranqüilizai-vos porém, eu vos peço, irmãos meus, porque em se tratando de medidas executadas por Forças Superiores, como no caso se trata, e mais ainda, sob a supervisão do Nosso Amado Jesus, só o podem ser, como efetivamente são, para a felicidade e bem-estar de quantos forem atingidos, e jamais para infelicidade ou sofrimento de seus guiados terrenos.

Sabendo-se que nenhum ser humano da era presente está na Terra pela vez primeira, aqui tendo nascido, vivido e morrido um sem número de vezes, não há que temer o que possa ocorrer em face dos fenômenos a se registrarem no planeta, desde que todos se convençam de que a morte do corpo apenas se dá para libertar o Espírito, porque a vida deste sendo como é eterna, infinita, aqueles cuja matéria perecer em conseqüência das transformações operadas na Terra, têm assegurado no mesmo instante, não apenas a sua liberdade espiritual, como ainda uma nova modalidade de vida tranqüila e feliz, já por todos vivida antes da presente encarnação.

O mundo terreno, como sabeis, possui uma área de solo fixo três vezes inferior àquela que se encontra coberta pelas águas, o que reduz de muito a parte habitável pela sua população. Sendo necessário incrementar o volume da população da Terra, para possibilitar a vinda ao planeta de muitas milhões de almas de há muito aguardando oportunidade para reencarnarem, tornou-se necessário reajustar a topografia da Terra, criando e ampliando áreas até então ocultas, capazes de atender às necessidades de uma população algumas vezes maior do que a atual.

Ao mesmo tempo em que esse fato se verificará na Terra, constata-se no Alto também um grande empreendimento destinado a receber, confortar e instalar todos os Espíritos que deverão deixar a Terra, e serão provavelmente alguns milhões, de maneira a que todos estes possam bendizer quanto lhes houver sucedido, como determinante de sua partida. 

Bem sei que ao lerem estas palavras, todos os meus irmãos começarão a pensar naqueles que formam o seu núcleo familiar, pela circunstância de poderem deixá-los a seu tempo. Meus queridos: recordar-vos-eis por acaso das inúmeras vezes em que tendes estado na Terra como parte de outros núcleos familiares iguais ao vosso de hoje? Bem sei que não podeis recordar-vos. Entretanto, eu vos digo que o fato já se verificou um sem número de vezes, e Nosso Divino Mestre Jesus sempre tomou conta, abençoou, dirigiu e protegeu os que ficaram, ao mesmo tempo em que recebia a cada um de vós no plano espiritual a que todos fostes conduzidos em seguida à vossa desencarnação.

Assim sendo, não há porque vos impressionardes por tal motivo. A vida espiritual de cada filho de Deus é uma seqüência de idas e vindas do Espaço para a Terra e desta para o Espaço ao fim de cada nova existência de aprendizado nesta escola terrena. Estas alternativas podem perdurar por milênios e milênios, e só terminam quando o Espírito de cada ser humano tiver alcançado determinado grau de conhecimentos e experiência, que determinarão o respectivo grau de evolução espiritual.

No Alto, meus estimados irmãos encarnados, a distinção que se conhece entre os Espíritos, decorre de sua própria luz, denunciadora do seu grau de aprimoramento espiritual. Este se adquire exclusivamente ao longo das numerosas reencarnações de cada um, segundo o esforço de cada Espírito encarnado, no sentido do aprimoramento de suas qualidades morais. Morrer, por conseguinte, não pode causar temor a ninguém, porque todos vós como eu próprio, já nascemos, tornamos a nascer e a morrer um sem número de vezes. Quanto a mim, embora eu tenha já completado há muito o meu curso de aprendizado terreno, ao longo de encarnações vividas nas mais diversas circunstâncias, estou-me preparando para voltar a Terra como humilde vivente entre vós, para o que apenas aguardo a palavra de ordem do meu amado Jesus. Estou tratando de pôr em ordem os meus conhecimentos e experiências, que formarão a bagagem que pretendo trazer à Terra,  rogando ao Senhor que me ampare e inspire, a fim de que eu possa dar o mais fiel desempenho à minha tarefa entre vós.

Vós sois também, amigos encarnados, outros missionários do Senhor, pelos conhecimentos e experiências adquiridos no passado. Se porventura não ocorrer à vossa memória física a tarefa que prometestes realizar na Terra, então aceitai este conselho: colocai vosso joelho em terra antes de vos entregardes ao repouso do corpo, dirigi-vos de coração a Nosso Divino Jesus, e rogai-lhe que faça brotar em vossa memória o sentido verdadeiro de vossa presente encarnação, enquanto for tempo de dela vos desempenhardes. Seria para lamentar profundamente que ao vos libertardes do vosso veículo carnal, viésseis a certificar-vos de um fracasso a mais em vossa existência atual, por esquecimento ou desídia quanto aos deveres sagrados que assumistes ao receber vossa presente encarnação.

Praticando o que vos aconselho, meus queridos amigos e irmãos encarnados, uma certeza eu vos dou: é que ao regressardes ao vosso grande e belo lar espiritual, onde vos aguardam centenas e centenas de amigos e familiares de muitos milênios, podereis dizer com a maior tranqüilidade a todos, que desta vez sim; desta vez cumpristes fiel e completamente quanto a Nosso Senhor prometestes executar. E nessa oportunidade sentireis integrar-se em vossa personalidade espiritual a mais bela, a mais desejada, a mais útil de todas as recompensas: uma chuva de luzes espirituais se incorporarão ao foco que possuís, ascendendo em conseqüência à mais alta categoria de Espíritos de Deus, de quem vos tornastes mensageiros na Terra.

Filhos do meu coração: este irmão que vos fala, o faz como se falasse a verdadeiros filhos da carne, pelo desejo imensurável de contemplar oportunamente o progresso de cada um de vós. Se necessitardes de mim em qualquer momento, aqui ou no Além, pensai firmemente no Espírito de

SÃO LUIZ DE GONZAGA

Not. biogr. — São Luiz de Gonzaga — 1568-1591. Nasceu em Roma, filho de D. Fernando de Gonzaga, marquês de Castiglione. Tendo seguido para a Espanha, ingressou na corte do rei Phelipe II, como pajem de seu sobrinho Thiago. Possuindo grande inclinação para o sacerdócio, cedeu seus direitos e bens a seu irmão Rodolfo em 1585, entrando no noviciado dos jesuítas em Roma, onde a sua grande inteligência fez a edificação de todos. Dedicado em extremo ao serviço da caridade, principalmente aos empestados, veio a su-cumbir muito jovem, aos 23 anos, contaminado pela doença. É considerado o padroeiro da juventude cristã.