Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

segunda-feira, 17 de julho de 2017

CAPÍTULO LIV – Livro: Corolarium – ditado pelo Espírito de Maria de Nazareth ao médium Diamantino Coelho Fernandes. A Divina Providência está em todos os vossos atos. — A razão de muitos dos insucessos verificados. — Ensinamentos preparatórios da entrada das almas no mundo espiritual. — A palavra articulada não existe no Além. — Exercício necessário.




A Divina Providência, assim designado o conjunto de Entidades da mais alta elevação do mundo espiritual, a quem neste livro eu tenho feito referência sob a designação de Forças Superiores, está atenta em todos os momentos aos menores acontecimentos desenrolados ao longo da vida terrena. Nada se processa neste plano físico, assim como nos planos espirituais que não seja devidamente anotado pela Divina Providência. Quando um fato se apresenta na vida de cada ser humano, podeis ter desde logo a certeza de que a Divina Providência o anotou, promoveu ou inspirou. Mas deveis ficar certos de que os fatos promovidos ou inspirados pela Divina Providência são invariavelmente para o bem dos seres humanos e jamais contra a sua felicidade e bem-estar. Nesta designação de Divina Providência se incluem as Entidades protetoras dos seres humanos que os acompanham na vida terrena, todas elas suficientemente evoluídas e em condições de protegê-las, ajudá-las, inclusive de lhes inspirarem idéias que julguem necessárias e oportunas. É a Divina Providência, por conseguinte, quem vos transmite constantemente inspirações acerca dos vossos atos, trabalhos e atividades, mediante as quais podereis realizar aspirações sensatas na vossa existência terrena. Eu vos direi, porém, que as inspirações assim transmitidas encontram por vezes forte resistência por parte das criaturas inspiradas, ocorrendo então a prática de atos inteiramente contrários à inspiração recebida. Isto ocorre sempre que a criatura humana se encontre voltada para a prática de atos muitas vezes condenáveis pela própria consciência, deixando de dar ouvidos à inspiração recebida da Entidade representante da Divina Providência. Da prática de atos em tais condições, de todo contrários às normas inspiradas pela Divina Providência é que resulta, por assim dizer, todo o sofrimento de que o mundo está cheio, infelizmente. Tempos, porém, se aproximam, em que as almas encarnadas darão sua maior atenção à inspiração recebida da Divina Providência no bom encaminhamento de sua vida terrena, cessando desde então o sofrimento moral dos dias presentes. 

Ocorre-me aqui uma imagem capaz de dar-vos uma idéia aproximada do valor da inspiração a todos os momentos projetada do Além sobre os seres humanos, que é a seguinte: Imaginai-vos caminhando através de uma região cuja topografia bastante irregular não vos apresente claramente a rota que vos convém seguir a fim de atingirdes o vosso objetivo, que poderá ser no caso aquela bela povoação que mal podeis distinguir ao longe envolvida pela bruma da distância. E imaginai que, se essa tiver sido a vossa tarefa na Terra, percorrer semelhante região, é porque nela deve existir bem nítido o caminho que devereis trilhar, mas apenas o não enxergais bem claramente. Em tal caso, o recurso a utilizar será parar um instante, concentrar as vossas vibrações mentais no vosso objetivo e pedir à Divina Providência uma orientação segura para a continuação da caminhada. Isto é o que têm a fazer as pessoas sensatas, prudentes, desejosas de proceder com acerto, a fim de não se afastarem do caminho certo e resvalarem talvez num dos abismos que se abrem a cada passo aos vossos pés. Aqueles que procederem desta maneira, recorrendo à inspiração da Divina Providência, e se dispuserem a seguir-lhe o conselho, podem ter a mais absoluta certeza de que alcançarão a povoação distante com toda a segurança. Aqueles, entretanto, que preferirem insistir numa trajetória conscientemente errada, mas que nela insistem às vezes por simples teimosia, subestimando a ajuda da Divina Providência, poderão concluir algum dia a viagem, sabe Deus com quantas dificuldades e tropeços, mas poderão também resvalar num dos precipícios à margem do caminho e jamais concluírem a jornada na presente encarnação. Esta imagem ilustrará um pouco as recomendações que fazemos a todas as almas encarnadas, no sentido de que se dirijam respeitosamente às Forças Superiores sempre que sentirem necessidade de uma orientação segura em sua caminhada na Terra. As Forças Superiores que constituem a Divina Providência mantêm-se permanentemente atentas às necessidades das almas encarnadas, e possuem inspirações e conselhos para todas as eventualidades. Só as podem fornecer, porém, quando solicitadas, para que as mesmas possam ser ouvidas pelas almas delas necessitadas.

Se vos dispuserdes a meditar por alguns instantes sobre o que venho de dizer-vos, haveis certamente de admirar o quanto é perfeita a organização da vida dos seres humanos quando presentes neste pequeno mundo terreno, mas igual, em todos os sentidos, àquela que vivem muitos milhões de almas nos planos espirituais. Dessa conclusão a que todos vós chegareis pela meditação haveis certamente de erguer louvores do vosso coração à Divina Providência, pela perfeição e sabedoria com que tão bem organizou a vida de todos os seres e a ela preside pelos milênios em fora. Haveis de concluir igualmente pela beleza da vida universal, vivida por um número incontável de criaturas absolutamente independentes entre si, mas unidas nos mesmos propósitos de perfeição e progresso. Admirareis finalmente toda a sabedoria demonstrada pela Divina Providência no atendimento pronto, infalível, a todas as almas que a ela recorrem em seus momentos críticos, encontrando nessa poderosa organização espiritual tudo quanto imaginem necessitar para sua própria felicidade na Terra. E haveis de concluir, então, almas queridas, que a razão de quase todos, se não mesmo de todos os insucessos verificados na vida de muitas criaturas humanas decorre unicamente de sua falta de apelo à Divina Providência, ou da desobediência à sua inspiração. Isto vós decerto haveis de constatar, minhas almas queridas. E à medida em que se processe a evolução moral dos seres humanos, maior será a sua atenção para os conselhos e inspiração da Divina Providência, um verdadeiro manancial de sabedoria à disposição de todas as almas encarnadas. Dessa maior atenção aos conselhos da Divina Providência resultará então a diminuição dos sofrimentos que tanto mortificam neste século os viventes do mundo terreno, e um consequente estado de felicidade e bem-estar. O advento do terceiro milênio da era cristã já chegou, e a vida na Terra se tornará verdadeiramente alegre e feliz como se vivida em mundos atualmente mais adiantados.

Falemos agora um pouco a respeito de um detalhe da vida espiritual bem pouco conhecido na Terra, e de grande utilidade para todas as almas aqui encarnadas. Quero referir-me ao momento em que as almas penetram no seu plano espiritual apenas separadas do corpo físico deixado no solo terreno. Este momento que todas as almas vivem no Além oferece margem a alguns ensinamentos preparatórios enquanto na Terra, numa antecipação de sua entrada no mundo espiritual. Quero referir-me à dificuldade de muitas almas em se comunicarem com os seus entes queridos que as esperam no Além, pela falta de preparação para se comunicarem mentalmente, uma vez que a palavra, tal como as usuais neste mundo, não pode existir no Além, por falta dos órgãos articuladores pertencentes ao corpo. Assim, uma dificuldade maior ou menor se apresenta às almas que chegam no Além completamente despreparadas, não conseguindo durante certo tempo comunicar-se com seus parentes e amigos. É que no mundo espiritual tudo é pensamento, ao contrário deste mundo terreno onde tudo são palavras. Há, por isso, toda a conveniência em vos exercitardes desde a Terra no uso do pensamento como meio de comunicação, com o fim de eliminardes com esse exercício a dificuldade enorme de vos fazerdes entender e também de entenderdes as almas que lá vos esperam.

Um exercício que eu recomendarei a todas as minhas filhas e filhos encarnados é o de procurarem dizer as coisas mentalmente, como se as estivessem pronunciando. Este exercício é até bem fácil de executar, principalmente se o fizerdes em seguida à meditação da noite. Sentados calmamente, procurareis relatar um fato qualquer por meio do pensamento, com os detalhes necessários, imaginando que o vosso interlocutor apenas perceba o que mentalmente lhe disserdes. Com a continuação verificareis com alegria a facilidade e clareza com que vos pronunciais mentalmente, o que representará um grande progresso para vós. Assim perfeitamente exercitados desde a Terra, quando ocorrer a vossa chegada no mundo espiritual, haveis de sentir a mesma alegria do viajante que desembarca num país estrangeiro, dominando perfeitamente o seu idioma. Bem sabeis a dificuldade com a qual se defrontam no exterior as pessoas que apenas falam a própria língua, necessitando de um intérprete para se fazerem entender ou para entender os outros. No Alto surge o caso da linguagem mental. Uma vez aprendida e desenvolvida, esta linguagem torna-se perfeitamente audível pela alma, tão clara e perfeita quanto a linguagem terrena. Procurai então exercitar-vos enquanto na Terra, com vistas ao vosso amanhã próximo ou distante, certos de que estareis eliminando dificuldades do vosso próximo futuro.

Temos verificado frequentemente no Alto, que as almas chegadas da Terra em sua quase totalidade necessitam de um período de aprendizado que varia segundo o preparo intelectual de cada uma. Algumas melhor preparadas conseguem exercer a linguagem mental nos dois sentidos, o de falar e ouvir, num período de dois a três meses, enquanto outras almas necessitam em regra do dobro desse tempo para se prepararem. Nesse intervalo as almas fazem-se entender de várias maneiras, ora esforçado-se em pronunciar uma palavra que não conseguem por falta do órgão vocal, ora por meio de mímicas que as outras almas fazem por entender. Em face dessa dificuldade, será da maior conveniência para todas as almas encarnadas irem-se exercitando desde agora, uma vez que lhes é de todo impossível adivinhar o dia, mês e ano do seu regresso ao mundo espiritual.

Eu gostaria de trazer ao vosso conhecimento e apreciação enquanto estiverdes na Terra um grande número de detalhes da vida que nós vivemos no mundo espiritual, na qual todas vós, almas queridas, reingressareis algum dia, ao concluirdes a vossa existência atual. Temos no plano espiritual certos usos e práticas que embora conheçais bastante, espiritualmente, não podeis recordar enquanto encarnadas. Temos lá por exemplo, o hábito muito comum, porque bastante apreciado, de se reunirem as almas em número elevado ou não, para emitirem vibrações de amor e luz em favor de outras bastante necessitadas e às vezes até sofredoras. As almas bondosas reúnem-se então, em determinado dia, o que tanto pode ser feito num templo de oração como numa praça pública, para enviarem, reunidas num feixe, as suas vibrações de luz e amor àquelas que se encontrem necessitadas. Este ato é então tão positivo e eficiente, que o efeito desejado se produz no mesmo instante em favor das almas a quem tiver sido enviado. Para melhor poderdes compreender a eficiência de um ato destes, imaginai, por exemplo, uma instituição do mundo terreno, uma casa de recolhimento, um asilo ou hospital onde haja carência de recursos para a manutenção das pessoas ali internadas. O que então aqui se torna necessário é reunir recursos financeiros para atender às necessidades da instituição. Saem pessoas bondosas nesse mister, ou se promovem festividades cujo produto seja destinado ao socorro da instituição. Com os recursos assim adquiridos, a instituição supre as suas necessidades de alimentos e outras, tranquilizando-se por algum tempo. É fato conhecido de todas vós, e vós mesmas certamente já participastes desse tipo de socorro.

No Alto, entretanto, como não existe a necessidade de ordem material, mas unicamente a espiritual, há que atender a esta, não menos premente, é verdade, do que a outra. Isto porque, vivem no mundo espiritual segundo o plano a que pertencem, almas muito pobres de conhecimentos espirituais, paupérrimas mesmo, vamos dizê-lo, vivendo muito mais da caridade de suas irmãs do que do próprio esforço. Neste ponto eu vos direi que o elemento preguiça também existe nos planos espirituais a dominar bom número de almas. Como as necessidades alimentares do mundo terreno não existem no mundo espiritual, muitas e muitas almas fracamente desenvolvidas se entregam à prostração em vez de se empregarem na aquisição de luz no exercício de alguma atividade produtiva de luzes e bênçãos. O resultado disso é encontrarem-se muitas almas habitantes dos planos inferiores do mundo invisível, não raro à míngua de algumas onças de luz para que possam locomover-se, o que pode ser considerado como carência absoluta. É para remediar tais situações que as almas caridosas se reúnem periodicamente para enviar vibrações de amor e luz às almas necessitadas de outros planos. O efeito deste processo é tão positivo e eficiente, que as almas beneficiadas o recebem no mesmo instante e logo se reanimam, como se houvessem saboreado na Terra um prato do mais saboroso alimento. Mas pensais, talvez, que isto lhes sirva para sempre, e que as mesmas se ergam e caminhem em busca de trabalho? Infelizmente não é isto o que sucede. Em sua maioria estas almas sentiram-se atendidas e confortadas em sua necessidade presente, e, como têm muitas delas a preguiça como companheira, deitam-se novamente no aguardo de novo socorro, tal como acontece a algumas criaturas na Terra. Eis, minhas queridas, um detalhe tipico da vida em determinados planos espirituais.

Deixo-vos aqui a bênção que o Senhor vos envia por meu intermédio, e a minha própria que eu vos ofereço de todo o coração.