Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Capítulo X - Livro: Elucidário – pelo espírito de Paulo de Tarso através do médium: Diamantino Coelho Fernandes. O bem e o progresso de todos os seres - Fatos que já estão ocorrendo - Um núcleo de influência espiritual - Consultai a consciência - A mancha da camisa - Processo comum a todos - Um sol em miniatura



Sempre que as Forças Superiores do Universo sentem necessidade de modificar, reformar ou reconstruir alguma parcela dos mundos habitados que se encontram suspensos de suas próprias forças no vácuo do infinito, elas se reúnem para debater o assunto, em busca da melhor solução para cada caso específico. Não será necessário esclarecer que essas reuniões visam exclusivamente o aceleramento do progresso evolutivo dos seres espirituais viventes em cada um dos mundos estudados. Isto decorre da própria necessidade sentida pelas Forças Superiores, ao se reunirem no Alto, visto como só o bem, o progresso espiritual de todos os seres, constitui objeto de suas preocupações.

O que está planejado para ocorrer nesta esfera terrestre, a fim de prepará-la para o século XXI, quando uma nova humanidade aqui estará vivendo, só constitui novidade para quantos dos seres humanos aqui se encontram, porque fatos semelhantes têm ocorrido em diversos outros planos de vida. A bem dizer, esses fatos já estão ocorrendo desde agora em vários pontos da Terra, segundo podeis verificar dos registros diários dos órgãos da imprensa, citando o número maior ou menor de mortos em conseqüência dos fortes temporais desencadeados por aí além. Esses fatos foram igualmente previstos como uma das maneiras de ir afastando do solo terreno os Espíritos que devem partir e que são muitos, numerosos mesmo, a fim de se prepararem para novas encarnações neste ou em outros planos de vida.

Uma coisa, porém, eu desejo informar a todos os meus leitores, que passarão a constituir uma espécie de núcleo de influência espiritual de minha responsabilidade pelos tempos em fora. Aqueles dos meus irmãos encarnados que se sentirem em condições de poderem partir do solo terreno a qualquer momento, isto é, aqueles cuja consciência lhes diga que nada existe que possa empalidecer a sua luz espiritual, como conseqüência de atos praticados em desacordo com as leis divinas ao longo de sua existência terrena, esses que em tais condições se encontrarem, nenhum receio, por mínimo que seja, podem alimentar, quanto à sua partida inesperada deste plano físico. Mas, se dentre os meus estimados irmãos leitores, alguns houver em cuja consciência se encontrem registros de fatos que hoje não seriam capazes de praticar, por absolutamente incompatíveis com a evolução alcançada por seus Espíritos com o decorrer dos anos vividos e da observação feita sobre o que é e o que não é correto, lícito ou decente ao homem praticar na plenitude de sua consciência, se alguns dos meus estimados irmãos leitores se encontrarem em tais circunstâncias morais, eu lhes direi de todo o coração que não se abatam por isso absolutamente. Partindo do princípio divino de que a vida de todos os seres constitui um constante progredir, e que os seres humanos tendem por isto ao aprimoramento de suas qualidades em cada período de vinte e quatro horas, prevista está, portanto, a ocorrência de fatos na vida de cada um que eles não repetiriam hoje, por incompatíveis com a evolução já alcançada. Por conseguinte, eu aqui lhes direi, a quantos a seu juízo assim se encontrarem, que não se abatam e nem se considerem inaptos a alcançarem o estágio espiritual idêntico ao de nossos outros irmãos. O que então se torna apenas necessário, importante, para a maior felicidade espiritual de cada um, é, em primeiro lugar, o reconhecimento daquilo que a seu juízo possa ter influído negativamente em suas vidas. Este reconhecimento terá o mérito de evidenciar os fatos negativos que houverem sido registrados pela consciência, servindo então para eliminar dela esse registro, assim como quem encontrou uma mancha desagradável em sua camisa e trata de lavá-la com carinho.

Assim podeis todos vós, por conseguinte, eliminar de vossas consciências toda e qualquer mancha desagradável que lá se encontre, a vosso juízo. E como lavá-la? — perguntareis vós. Muito facilmente é a minha resposta. Se para lavar a camisa necessitais de usar algum elemento detergente, como é natural, visto como a água simples não vos satisfaria, para tirar as manchas porventura impregnadas na consciência usareis este extraordinário detergente, que é único, insubstituível: a prece. Sim, meus estimados leitores. Para eliminar da vossa consciência, o que vale dizer, do vosso arquivo espiritual, o registro que lá houver de algum fato ou procedimento menos digno ocorrido ao longo dos vossos dias na Terra, usai este extraordinário detergente, mas usai-o sem parcimônia, todos os dias se quiserdes, porque com isto eliminardes totalmente qualquer mancha que possa trazer-vos preocupação nos dias atuais, em relação à vossa próxima partida de regresso ao vosso plano de vida espiritual.

Há, necessariamente, diversos tipos de fatos ou procedimentos na vida dos seres humanos, capazes de originar preocupações futuras na mente de cada um, fatos ou procedimentos dos quais verdadeiramente eles se arrependem, e que hoje não os praticariam de maneira nenhuma. Devo então esclarecer nestas linhas, para desanuviamento da consciência de muitos dos meus leitores, que a Divina Providência sabe muito bem quais os fatos em que o ser humano tenha sido parte consciente, e aqueles em que o homem ou a mulher tenham sido induzidos a praticá-los. No primeiro caso, o registro feito na consciência de cada um é mais nítido, mais positivo, por haver sido praticado de livre vontade, de modo próprio e, portanto, conscientemente. No segundo caso, o que acontece a muitos, senão a todos os seres humanos em todos os tempos, o registro é apenas notado, porque menos positivo, por haver sido originado pela prática de atos ou procedimentos a que o ser humano tenha sido induzido por forças estranhas às suas. Neste caso, tanto o homem como a mulher foram simplesmente uma espécie de pólo negativo da ação em que tomaram parte, embora daí tenham resultado conseqüências desagradáveis à luz da espiritualidade. As manchas, originadas desta espécie de fatos ou procedimentos, são facílimas de eliminar sob a ação da prece de arrependimento. Se esta espécie de fatos houver prejudicado, por sua nocividade, a algum ou alguns companheiros de jornada terrena, então, para que a eficácia da prece seja completa, aquele que sente a responsabilidade de havê-los praticado, rogará à Divina Providência ou à Jesus, no decorrer da prece, compensação em luzes e bênçãos para aqueles que houver prejudicado. É esta uma forma segura, positiva, de eliminar do caminho a percorrer certos obstáculos que de outra maneira lá estarão a dificultar futura caminhada. Aqueles que de modo próprio tiverem incorrido na sanção das leis divinas, proporcionando prejuízos ou sofrimento aos semelhantes, usem também deste infalível recurso de prece em favor dos prejudicados, como uma maneira de obterem o perdão do que houverem feito, certos de que assim estarão preparando dias melhores e mais felizes para si próprios.

Assim perfeitamente entendido este assunto, como suponho, eu tratarei de outro também bastante útil ao conhecimento dos meus leitores, porque lhes será necessário em dias que podem estar bem próximos de cada um. Referir-me-ei, então, ao processo a que todos os seres humanos devem submeter-se tão logo tenham cerrado os olhos da carne neste plano físico. Há os que o fazem após um período mais ou menos longo de repouso no leito, motivado por enfermidade que se tornou incurável; há os que partem inesperadamente, no gozo aparente de excelente saúde, e ainda aqueles que se tornaram vítimas de acidente fatal. Convêm esclarecer que uns e outros obedeceram apenas ao que determinado estava ao partirem para a Terra, tendo assinalado em seu plano de existência terrena ano, mês, dia e hora em que teriam de regressar. Disto têm todos os Espíritos perfeito conhecimento ao abrirem os olhos espirituais no plano a que forem conduzidos após a sua desencarnação.

Consta, então, o processo a que devem submeter-se os desencarnados, do seguinte: — Uma vez separado o Espírito da matéria, aproximam-se dele os seus Protetores espirituais incumbidos de o receberem no plano espiritual. Neste momento da maior importância para o desencarnando, é que se evidenciam as belas qualidades de que for portador, se na realidade as possuir. Se o desencarnando houver atendido em sua existência terrena às recomendações recebidas ao reencarnar, isto é, manter sua mente sempre voltada para o lado superior da vida material; orar permanentemente ao Senhor do Mundo pelo esclarecimento do seu Espírito na Terra, e também pelos seus irmãos necessitados — esse Espírito recebe no momento de sua desencarnação um poderoso foco de luz que ele próprio construiu com suas orações e procedimento superior. De posse desse poderoso foco de luz, um Sol em miniatura, esse Espírito sente-se desde logo um dos mais felizes dos seres viventes do Universo, porque tudo quanto desejar para si em matéria de felicidade e bem-estar, depende exclusivamente de sua própria vontade.

Imaginemos como meio de melhor vos esclarecer a respeito, que um de vós, leitores meus, desejasse neste momento conhecer as grandes cidades, países ou determinados lugares do vosso mundo. Usando para isso a faculdade da própria vontade, acionada pelo simples querer, ele sentir-se-ia transportado imediatamente aos lugares escolhidos pela sua vontade, sem nenhuma outra condição para isso. Nesse caso estaríeis usando apenas a vossa faculdade volitiva. Pois o mesmo se dá com os Espíritos que logram partir deste plano físico no gozo de uma perfeita consciência de haverem sido justos, corretos em todos os seus atos, sobretudo para com os seus contemporâneos, com a circunstância especialíssima de terem vivido como autênticos filhos de Deus, orando e vigiando por si próprios. Ao abrirem os olhos do Espírito, como disse, esses afortunados irmãos não encontram expressões suficientes para testemunharem o seu agradecimento à Providência Divina pelo que então lhes é entregue nessa ocasião.

E os outros? O que acontecerá àqueles que viveram sua existência um pouco semelhante aos irracionais? Sabemos que só aos irracionais é tolerado comer, dormir e acordar, completamente esquecidos de deveres que não possuem. Ainda assim, contudo, há nesta classe de seres em evolução, não poucos que inconscientemente se dirigem a algo que não conhecem mas sentem que existe. A prova é que muitos irracionais têm seus momentos de alegria, melancolia e tristeza, decorrentes de suas próprias vibrações sentimentais. Que haja, porém, seres humanos que se comportem numa linha de vida completamente isentos de deveres que lhes são inerentes por sua própria natureza de seres humanos já possuidores de discernimento, é o que não se compreende, e muito o lamentamos todos nós do plano espiritual.

Mas infelizmente os há ainda em grande número, em toda a Terra. E o que é que lhes acontece então, ao desencarnarem? Apenas isto: da mesma maneira que sua matéria vai sendo conduzida à sepultura para a decomposição necessária a outras vidas, o Espírito é conduzido numa espécie de torpor a determinado plano para um período de repouso mais e menos duradouro, segundo o estado de embrutecimento em que se encontre. E são felizes os que lá conseguem repousar; porque inúmeros deles se apresentam de tal maneira assustados, apreensivos ou aflitos, que receiam ficar sozinhos. Estes são os infelizes que desencarnam sobrecarregados de delitos contra os semelhantes, e temem, horrorizados, caírem em poder de suas vítimas.


Vedes pelo que aqui vos deixo, uma parte do processo a que devem submeter-se quantos regressam ao seu plano de origem após o desfrute de mais uma existência na carne, em que não poucos se haverão considerado pequenos deuses, reis ou senhores dos seus semelhantes. Por isto é que os enviados de Jesus ao vosso meio não se cansam de recomendar a todos, sem distinção de credo religioso, de cor ou de raça, a necessidade de permanecerem diariamente em contato com a Providência Divina por intermédio do Senhor Jesus, desejosos de poderem contemplar um dia a sua chegada ao plano espiritual, entre claridades e harmonias incomparáveis, aí recebendo o pequeno Sol que eles mesmos construíram com seus belos atos e orações. Isto é um detalhe apenas, da verdadeira felicidade que vos espera, leitores amigos.