Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

sábado, 31 de janeiro de 2015

Capítulo XVI - Livro: Elucidário – pelo espírito de Paulo de Tarso através do médium: Diamantino Coelho Fernandes. A imagem da Terra - Vaidade e ambição como causa dos conflitos guerreiros - Ignorância espiritual - Punição dos responsáveis cumprindo encarnações penosas - Origem do progresso atual - Captação de grandes idéias - O ar está cheio de idéias



A imagem que da Terra fazem os habitantes de outros mundos mais evoluídos, é que a vida nesta pequena esfera transcorre entre desentendimentos constantes entre os seus habitantes, de maneira a tornar a vida terrena um verdadeiro pesadelo. Os Espíritos aqui encarnados sabem que assim não é totalmente, mas algumas Entidades de planetas mais adiantados sempre têm sua razão. Haverá, porém, necessidade dos habitantes da Terra se desentenderem tão freqüentemente como até agora, com o objetivo de tornar a vida mais feliz para os seus contemporâneos? Claro que
não, é a resposta certa.

Examinando-se atentamente as causas dos desentendimentos humanos em todas as épocas da História terrena, como tem sido examinada no Alto, uma conclusão se encontra para todos os conflitos desencadeados pelos dirigentes dos povos que os promoveram. Em todos eles têm preponderado estas duas causas: vaidade e ambição. Exatamente estas foram às causas principais de todos os conflitos guerreiros desde os tempos imemoriais e não outras. Nenhum daqueles conflitos teve por base o bem-estar, o progresso ou a felicidade dos governados de cada dirigente ocasional na Terra, mas unicamente a intenção de domínio sobre maiores áreas da população humana, para satisfação da vaidade e ambição de grandeza de quantos se encontraram ocasionalmente à frente do governo das nações guerreiras. Bem examinadas as circunstâncias, entretanto, como realmente o foram pelas Forças Superiores que a tudo presidem no Espaço, chegou-se sempre à mesma e única conclusão: as guerras fratricidas deflagradas pelos governantes terrenos de numerosas nações, tiveram invariavelmente por causa a vaidade e a ambição, sinais evidentes do estado de ignorância espiritual de seus responsáveis. Sim, estimados leitores; somente o estado de profunda ignorância espiritual é capaz de arquitetar a deflagração de um conflito armado contra seres humanos viventes em outras áreas da Terra, sabendo que o resultado infalível será, antes de tudo, a interrupção de muitos milhares ou milhões de vidas tão preciosas como a sua própria, a título de satisfazer possível vaidade ou ambição de poderio maior. Nada mais injusto do que tais procedimentos, meus estimados leitores, e tão vastos têm eles sido infelizmente em toda a História da humanidade. Seus responsáveis, porém, com algumas
exceções, têm pago bem caro o mal que causaram aos seus contemporâneos, e disso se arrependeram muitos deles bem amargamente, através de reencarnações em que muito padeceram. Podereis talvez me perguntar porque eu disse acima que isso aconteceu com algumas exceções. A razão de que nem todos os conflitos humanos se originaram da vaidade e ambição de grandeza
dos respectivos governantes, é que em alguns casos esses conflitos surgiram da necessidade de despertar os seres humanos do estado letárgico em que por vezes têm mergulhado, mercê de interesses e práticas sentimentais nada condizentes com os objetivos superiores de suas vidas terrenas. Senhores do seu livre arbítrio, vários povos se entregaram de tal maneira aos prazeres dos sentidos em diversos estágios da humanidade, que para os despertar desse estado se tornou necessário usar o ferro e o fogo dos conflitos guerreiros, sempre com o resultado esperado. Antes, muito antes mesmo de uma tal decisão por parte das Forças Superiores, outros recursos foram tentados através de emissários e profetas junto às populações humanas assim desviadas de sua verdadeira conveniência, procurando acordar nelas o sentimento do bem e do progresso espiritual, razão exclusiva de sua vinda ao solo terreno.

Quando, entretanto, se constatou a insuficiência da palavra iluminada ante o endurecimento dos corações, outro recurso não existiu senão a provocação de conflitos em que tais populações se vissem envolvidas e cessassem de todo o desvirtuamento de suas vidas, em face do sofrimento em que mergulhavam. Nestes casos, que têm sido vários nos dois últimos milênios, os elementos que tais conflitos desencadearam na Terra, foram Espíritos escolhidos para essa tarefa pelo seu valor e determinação, sendo por isso galardoados em seu regresso ao plano espiritual. Ao passo que os demais, aqueles em quem tem recaído a responsabilidade dos morticínios que promoveram, movidos pela sua grande vaidade e ambição de grandeza terrena, aqueles que assim se conduziram, têm amargado, como disse, esses crimes contra a vida e felicidade do próximo, cumprindo encarnações penosas na Terra, durante as quais têm conseguido eliminar de todo tão graves defeitos.

É certo que boa parte do progresso ostentado hoje em dia nesta pequena esfera terrestre, adveio precisamente através dos conflitos humanos em que os Espíritos encarnados se empenharam no descobrimento de processos e meios de aniquilamento da parte contrária, que eu não designarei de inimigo. Com isto muitos instrumentos novos surgiram em todos os setores da vida humana, com geral benefício para a coletividade. De algum modo, pois, os desentendimentos têm sido úteis ao progresso da humanidade. Melhor seria, contudo, que os cientistas ocasionalmente na Terra se
entregassem ao estudo dos meios de promover o progresso do mundo terreno e conseqüente felicidade de seus habitantes, mas o fizessem em ambiente de paz e harmonia entre as nações. Isto é possível, perfeitamente possível, desde que os Espíritos ocasionalmente encarnados se mantenham, como necessitam, em ligação constante com as Forças Superiores, para receberem das mesmas a inspiração que os ajudará a planificar no plano terreno novas e grandiosas descobertas. Isto tem sido igualmente possível nos mundos mais adiantados, onde foram de todo abolidos os conflitos armados, e esses mundos continuam a progredir em todos os sentidos. Eu direi ainda aos homens preparados, que à sua disposição se encontram numerosas idéias de há muito inspiradas pelas Forças Superiores, flutuando sobre o ambiente da Terra. Sua captação pelas mentes preparadas depende exclusivamente de um pouco de tempo para meditação, durante a qual a mente se descarrega e se torna apta a receber as idéias que se encontram inteiramente à mercê da mente humana. Uma disposição favorável para isso, já o sabeis, consiste na limpeza do campo mental de cada um ao fim de um dia de trabalho, em que o trato de vários assuntos deixa vossa mente envolvida numa espécie de nebulosa que a torna impenetrável às grandes idéias. Para dissolver a nebulosa mental, nada tão eficiente como a prece pronunciada ou mesmo mentalizada em recolhimento, cuja projeção luminosa elimina totalmente não só a condensação nebulosa ali acumulada, como produz no campo mental de quem a faz uma intensa luminosidade que completa a sua limpeza. Se, em seguida à prece, o ser humano entra no estado de meditação durante alguns minutos, dez a quinze no máximo, então é certo que grandes e belas idéias lhe ocorrerão a partir desse momento, captadas entre aquelas que mais se harmonizarem com as possibilidades de sua mente. Todos vós, leitores meus, tendes as vossas possibilidades neste sentido. Relacionadas com a vossa profissão e aptidões, existem no plano mental de que falei, idéias magníficas à espera de quem as possa captar e assimilar para o progresso e bem-estar de todos. No campo dos motores de toda espécie, no de usos domésticos, dos transportes individuais ou coletivos, no da alimentação, sua conservação e acondicionamento, da navegação aérea e marítima, da indústria em geral e muitos outros, existem idéias à disposição das mentes humanas para serem aplicadas na Terra.

Com o objetivo de facilitar o vosso trabalho neste sentido, eu darei em seguida mais alguns esclarecimentos. É natural que nem todos os leitores aspirem captar várias idéias ao mesmo tempo, porque não poderiam ocupar-se de todas elas. Vamos usar, por conseguinte, um método que eu reputo excelente porque jamais falhará. Assim o leitor que se dedicar, por exemplo, à especialidade de máquinas e motores, gostará de descobrir um aperfeiçoamento novo nessa especialidade, e então sua meditação se fará em torno desse setor. Pense nas suas máquinas ou motores, mas pense demoradamente, vendo em pensamento esses objetos. Como algo de novo existe neste setor, com toda a segurança a idéia a respeito lhe será inspirada do modo mais claro à sua compreensão. Essa inspiração pode vir a tornar-se positiva até ao dia seguinte, mas virá
infalivelmente.

No campo das demais profissões ou especialidades, o processo é o mesmo. Cada qual no seu ramo de atividade ou paralelo, encontrará sempre uma idéia que lhe será muito útil, mesmo daquelas chamadas de geniais. O essencial é pôr a mente a funcionar. O industrial que desejar introduzir um melhoramento na sua indústria, um novo e mais útil processo de embalagem, por exemplo, não tem mais a fazer do que mentalizar esse desejo em sua meditação diária. O que de melhor existir no particular ser-lhe-á transmitido à mente, uma, duas ou mais vezes seguidas, de maneira a que possa ser aplicado em sua indústria. É já bem antigo o adágio que todos conheceis de que o ar está cheio de idéias novas; é só aplicá-las. E isto é uma grande verdade. O processo de atrair essas idéias é um só: a meditação. E como a meditação se encontra na própria vontade de cada um, e nada vos custa além dos dez a quinze minutos diários, todos estais habilitados a captar grandes e valiosas idéias, tanto para o progresso terrestre quanto para o vosso próprio engrandecimento. Eu acrescentarei ainda o seguinte: a circunstância de um Espírito encarnado desejar fortemente realizar algo de novo e útil ao progresso da coletividade, a começar pelo seu próprio, e nisto ocupar a sua mente durante a meditação diária, pode conduzir mesmo esse Espírito durante o sono do corpo à região espacial em que tal melhoramento existe, para que o contemple de perto e possa melhor gravá-lo no seu subconsciente. Isto ocorre, aliás, muito freqüentemente em todo o planeta, comparecendo milhares e milhares de almas encarnadas em visita aos setores onde tenham interesse ou necessidade de conhecer seja o que for para aplicar em sua atividade terrena. No dia seguinte ou nos subseqüentes, essas almas sentem-se aptas à realização daquilo que muito desejavam realizar e foram aprender durante o sono. Eis aí, leitores meus, o método facílimo, pelo qual podereis dar a vossa contribuição ao progresso do mundo em que presentemente vos encontrais, e ao vosso próprio progresso e bem-estar. Se minha ajuda, modesta embora, desejardes em qualquer momento em favor de vossas aspirações na Terra, eu me coloco desde agora à vossa disposição no Alto para aquilo em que possa servir-vos. É bastante que me chameis pelo nome, seja este com o qual assino o presente livro, que é o mesmo que ainda hoje conservo dos meus trabalhos em prol do Cristianismo, seja por aquele com que me distinguiu a Igreja de Roma. O título de São ou Santo existe apenas na Terra; no Alto todos usamos com muito agrado o de Irmão, que melhor define o sentimento de fraternidade de todas as almas no Universo. Como, porém, o chamamento de qualquer Entidade é sempre acompanhado de um pensamento da fonte emissora do chamado, é este pensamento o que nos chega mais rapidamente, antes mesmo que o som produzido pela pronúncia do nome. Assim pois, meus estimados leitores, eu estarei à disposição do vosso chamamento onde quer que me encontre, e com grande alegria vos conduzirei ao setor espiritual que desejeis visitar para nele aprenderdes seja o que for para aplicar em vossa vivência terrena. Mas ainda desejo esclarecer-vos não ser eu o único a servir-vos, caros leitores. Ficai certos de que um pedido vosso nesse sentido irradiado mentalmente no instante de vossa meditação, encontra um número incontável de Entidades prontas a servir-vos, pelo desejo exclusivo de serem úteis a irmãos encarnados como nós, que desejam aprender algo no Espaço. Guardai bem isto em vossas mentes.