Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Capítulo VIII - Livro: Elucidário – pelo espírito de Paulo de Tarso através do médium: Diamantino Coelho Fernandes. Todos os seres humanos elaboraram um plano de vida -Desvios a que estão sujeitos - Somente a oração pode impedir os desvios - Estrutura moral das leis da vida - A verdadeira fortuna - O choque de retorno




As coisas que acontecem na vida dos seres espirituais, assim como na dos seres humanos que são Espíritos encarnados na Terra, constituem meras lições que uns e outros vão assimilando em benefício da sua evolução. Quando um ser espiritual recebe permissão para descer à Terra em uma nova encarnação, ele traz consigo um plano pacientemente elaborado no mundo espiritual, plano que corresponde à necessidade da aquisição de conhecimentos e experiência, para que ao regressar da Terra possa alcançar novos degraus em sua escala evolutiva.

Isto se dá com todos os seres espirituais que reencarnam, não de agora mas igualmente em todos os tempos decorridos. Sucede entretanto, lamentavelmente, que após o nascimento e crescimento do organismo físico na Terra, os seres humanos vão sendo quantas vezes desviados da rota que deveriam seguir, devido a influências várias que atuam em sua vontade e determinação, ocorrendo serem os mesmos levados a objetivos contrários aos seus verdadeiros interesses. Isto acontece em conseqüência de vários fatores ou circunstâncias. Pode verificar-se esse desvio pela educação deficiente que receberam no lar, pela influência de companheiros de mentalidade inferior, como pela ação de forças espirituais empenhadas em perder essas criaturas, seja por simples maldade dessas forças, seja por espírito de vingança que se empenham em exercer sobre elas. De maneira que, tanto o homem como a mulher estão sujeitos na Terra a um sem-número de coisas que podem influir e influem realmente em sua vida de Espíritos em peregrinação no ambiente terreno.

Poderá alguém desejar fazer então uma pergunta mais ou menos nestes termos: — E não haverá um meio seguro de impedir o desvio dos seres humanos de seguirem o plano de vida que necessitam de seguir? Minha resposta é absolutamente afirmativa, porque esse meio existe, e faz parte do próprio plano de vida elaborado no Alto pelos que baixam à Terra. O meio eficaz, e contra o qual nenhuma força material ou espiritual pode opor-se, é a oração diária, sincera, tranqüila, dirigida ao Senhor Jesus ou a Deus indistintamente. A oração possui uma força tão poderosa quanto eficiente na vida de todos os seres, que, quando os homens estiverem capacitados dela, cessarão todas as lutas e divergências que tanto tem ensangüentado esta pequena esfera terrestre. Devem por conseguinte, capacitar-se homens e mulheres viventes neste plano de vida, que o hábito da oração diária, já foi dito algures é tanto ou mais necessário à vida do que o alimento para o corpo. E por que a necessidade de orar? Por vários motivos, todos de grande importância. A oração tem o mérito de estabelecer o contato direto entre aquele que ora e a cúpula espiritual da Terra, na qual se encontra sempre atento aos seus guiados terrenos, a excelsa grandeza de Nosso Senhor Jesus Cristo, assessorado por quantas Entidades, cuja preocupação consiste em receber e anotar as vibrações mentais emitidas pelos seres humanos em todos os recantos da esfera terrestre. Esclarecido fica, portanto, que nenhum filho ou filha se encontram na Terra abandonados das Forças Superiores, assim como nenhum de seus pensamentos e atos deixa de ter o seu registro firmado no lugar competente do mundo espiritual. Mas a oração serve ainda como força protetora contra as influências deletérias do mundo invisível, responsáveis quase sempre pela prática de atos condenáveis por parte de numerosos filhos de Deus, que aqui vieram para buscar novos elementos de progresso e não de perturbação para os seus Espíritos.

A concessão do livre arbítrio aos seres deste mundo terreno, ainda é relativamente nova e muito tem contribuído nos séculos decorridos, para a perturbação de não poucos seres humanos que usaram e abusaram dessa luminosa faculdade. Tem sido inclusive necessário às Forças Superiores intervir em várias ocasiões, para impedir que o uso do livre arbítrio por certos indivíduos continue a produzir fatos dolorosos para os seus contemporâneos. Tem sido necessário até retirar da Terra Espíritos que encarnam munidos de sentimentos e projetos os mais elevados e santos em favor da melhoria das condições de vida dos seus semelhantes, porém à certa altura, mal assessorados material e espiritualmente, se desmandam, se envaidecem e portanto se perturbam em sua serenidade, e eis que se transformam por completo em seus objetivos. Essas criaturas afastaram-se da oração sincera, diária, durante a qual deviam comunicar-se com as Forças Superiores, dando-lhes conta, primeiro, dos atos praticados nesse dia e justificando-se, e em seguida pedindo a necessária inspiração para o dia seguinte. A falta deste preceito é que tem levado ao fracasso o grande número de homens que encerram tristemente os seus dias na Terra, regressando ao mundo espiritual muitos deles envoltos na treva de suas perturbações. Isto acontece a todos os homens que após terem alcançado os primeiros êxitos, se esquecem que toda a sua força vem de Deus por intermédio do Senhor Jesus, sem a qual sua jornada não chega ao fim; interrompe-se no meio ou pouco mais, para desgosto e sofrimento de cada um.

Assim tem decorrido a vida terrena desde os primórdios, em razão de que os seres espirituais pertencentes à escola terrena se encontram muito aquém do grau evolutivo que lhes cumpria alcançar. Em razão deste fato, foi que as Forças Superiores do mundo terreno empreenderam a série de reformas a serem implantadas no plano físico deste planeta, concomitantemente com as que estão sendo exigidas dos homens e mulheres do momento presente. É necessário que uns e outras se capacitem de que a vida terrena de cada um nada mais representa do que um dia de aprendizado nesta grande escola que é a Terra, e que por isso deve ser aproveitado por todos como um meio de melhoria de suas condições de seres espirituais, visto como, ao fim de um maior ou menor período de permanência no plano físico, terão de regressar ao lar espiritual que deixaram no Alto.

Nesse lar espiritual deixou cada ser humano dos dias presentes, um grande número de parentes constituídos durante suas numerosas vindas à Terra, e todos os de lá fazem o máximo no sentido de ajudar os que vieram ao solo terreno, da melhor maneira possível, seja orando diariamente ao Senhor por eles, seja enviando-lhes as mais gratas inspirações que os ajudem a bem cumprir suas tarefas.

Verifica-se pelo que aí está, a existência de um perfeito encadeamento entre os seres espirituais e os seres humanos, um encadeamento cujos elos são feitos do mais puro amor, construídos ao longo de muitos séculos de vidas terrenas. Em face desse encadeamento, todos quantos se encontram na Terra, em qualquer oportunidade têm o direito de apelar quando assim o entenderem, para aqueles que ficaram no mundo espiritual, para que os ajudem em determinadas circunstâncias, com a certeza prévia de que seu apelo será imediatamente correspondido. Tudo isto consta da estrutura moral das leis da vida, e pena é que o conhecimento delas ainda se encontre tão ignorado por boa parte dos seres humanos. 

Estes, lamentavelmente, por deficiência de preparação moral desde os primeiros anos de sua vida terrena, lançam-se apaixonadamente à conquista da prosperidade material meramente temporária, sem que paralelamente mantenham viva, atuante, a chama da fé santificante do Espírito. Felizmente para muitos dos encarnados deste século, um regular número de homens e mulheres resolveram sobrepor os interesses do Espírito aos da matéria, conseguindo desta maneira transformar em vivência tranqüila e feliz, a existência que outrora decorria sob a égide das mais sérias preocupações.

Sobrepondo os interesses espirituais aos interesses materiais, transitórios, perecíveis, essas criaturas souberam edificar em torno de si um ambiente vibratório o mais harmônico possível, no qual permanecem envolvidos e imunes às vibrações contrárias à felicidade e bem-estar, que infelizmente ainda prevalecem no mundo em que viveis. E por que conseguiram aquelas criaturas edificar tão belo e harmônico ambiente, no qual vivem e repousam as vinte e quatro horas do dia?

Muito simplesmente. Tendo conseguido despertar a mente espiritual para os objetivos de sua encarnação atual, trataram de adotar a prática da prestação de contas diárias aos seus maiores do mundo espiritual através da oração, eliminando assim cada dia, do seu ambiente terreno, as vibrações pejorativas que circulam abundantemente em todas as direções. Purificado o ambiente doméstico das más influências trazidas pelas vibrações pejorativas, opera-se uma autêntica purificação em torno das criaturas que assim procedem, permitindo a aproximação de quantos amigos invisíveis se empenham em colaborar com elas em prol de sua maior tranqüilidade e bem-estar, o que vale dizer, a sua felicidade terrena.

Será, portanto, da maior conveniência para todos os viventes humanos do momento que passa, suspenderem um pouco as suas absorventes preocupações de enriquecimento material, e meditarem seriamente sobre a grande e verdadeira fortuna que jamais se apartará de si, seja enquanto permanecerem no solo terreno, seja quando sua vez se apresentar de regressarem ao lar espiritual que todos deixaram no Alto. Suspendendo por instantes as preocupações de ordem puramente material, devem colocar-se então num estado de concentração mental ou de meditação, podendo formular mesmo a pergunta que lhes ocorrer acerca do que lhes cumpre fazer na oportunidade. Previamente, porém, utilizarão a força da oração que os colocará em contato com as Forças Superiores, assim como quem coloca inicialmente a torneira na parte inferior do barril de vinho capitoso, a fim de poder saboreá-lo. Seria inútil, como sabeis, ajoelhar até ao pé do barril cheio de vinho com o desejo de saboreá-lo, se para isso se não cumprisse a providência indispensável da colocação da respectiva torneira no lugar próprio.

Assim se cumpre igualmente no que respeita ao mundo espiritual. Para obter que as Forças Superiores que nele vivem, venham ao encontro dos seres que vivem na Terra, é necessário usar também a providência inicial, indispensável, de atraí-las por meio da oração. Isto feito com o necessário respeito devido a tão luminosas Entidades do mundo invisível, podem os seres humanos abrir-lhes o coração e rogar quanto necessitem, seja uma inspiração salvadora em determinadas circunstâncias que ocorrem na vida terrena, seja o auxílio espiritual para poderem encaminhar-se conforme necessitam, ou mesmo qualquer outra modalidade de ajuda de que estejam carecendo.

Um ponto eu desejo deixar firmado ao redigir estas linhas que aí ficam, que é o seguinte: — Nenhum pedido feito da Terra às Forças Superiores do mundo espiritual deixa de ser atendido, se para isso houver merecimento por parte de quem o faz. É a única exceção à lei do pedido; em todos os demais casos o pedido é sempre atendido com a necessária presteza e eficiência. A falta de merecimento por parte de quem fizer um pedido às Forças Superiores deixa-as profundamente tristes ao verificarem este fato, mas ainda assim se procura atender na medida do possível, na esperança de que o merecimento se crie lentamente naquele que pede. Está claro que não terei necessidade de mencionar a propósito, que um pedido de algo que possa resultar em prejuízo de outrem jamais será atendido pelas Forças Superiores. E se acontece vir a sê-lo por outra espécie de forças, as chamadas forças das trevas, ai daquele que tal pedido fizer porque terá de sofrer ele próprio as duras conseqüências de semelhante pedido.

Um pedido atendido pelas forças das trevas contra qualquer ser humano, porá em ação imediatamente a lei de conseqüência, que determina o choque de retorno de toda e qualquer espécie de ação. Se esta foi de efeito prejudicial a outrem, levando alguém ao sofrimento ou perda do bem que possuía, nada poderá impedir que o choque de retorno se produza com toda a eficiência, mais dia menos dia, devolvendo ao responsável o que de mal tenha enviado ao seu semelhante. Não se argumente no caso sobre a influência de Deus, para evitar esse poderoso choque de retorno. É preciso esclarecer que nem Deus nem Jesus tomam conhecimento seja do que for, que venha a prejudicar um ser humano por influência de outro. Absolutamente, queridos leitores. Deus no caso é a lei, e a lei sendo posta a funcionar por um ser humano consciente do seu ato, está perfeitamente capacitada para concluir a operação, devolvendo à fonte inicial o que esta houver produzido, contra ou a favor de outro.

Assim sucede igualmente àqueles que só desejam o bem, que só praticam o bem, em que a mola fundamental dos seus atos é a prática do bem. Esses recebem segura e positivamente em sua personalidade espiritual o que de bem tiverem produzido a outrem.