Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

terça-feira, 21 de julho de 2015

Capítulo LI - Livro: Elucidário – pelo espírito de Paulo de Tarso através do médium: Diamantino Coelho Fernandes. Segunda excursão espiritual - O Senhor Jesus dirige-se ao solo terreno - Grande personagem regressa da Terra – Nossa Senhora comparece ao aeroporto - Entidades especializadas trabalham em miniaturas da Terra - Visita à biblioteca – O Palácio das harmonias




Para prosseguirmos em nossa excursão turística àquele plano de intensa luminosidade que conheceis pela designação de Céu, vamos reunir-nos novamente para tomarmos a nave fluídica que nos conduzirá até lá. Vejamos se estão presentes todos os que constituíram a caravana de ontem. Sim? Estão todos presentes? Vamos embarcar, pois. Não, aguardemos um instante. Aproxima-se da Terra uma nave fosforescente que muito nos interessa apreciar de perto. Ei-la que vem pousar bem perto de nós. Vamos nos aproximar. Magnífico, amigos! Vedes bem quem está deixando a nave? Apurai bem os vossos sentidos. É o Nosso Divino Mestre acompanhado da sua luminosa equipe de assessores que acaba de descer no solo terreno! Não é esta a primeira vez que o faz desde que estou ditando este livro. O Senhor deseja acompanhar de perto os trabalhos em andamento neste plano físico, a fim de determinar as providências que se forem tornando necessárias para atender aos seres encarnados. O Senhor Jesus aqui tem vindo, pois, várias vezes nestes últimos meses, demorando-se de três a cinco dias ou mais até, com toda a sua comitiva.

Faça a sua pergunta, estimado amigo. Eu lhe esclarecerei dizendo que o Senhor Jesus não necessita de hotel nem de pensão para sua hospedagem na face da Terra. Seus mensageiros se incumbem de indicar ao Senhor quais os lares em condições de lhe proporcionar hospedagem. Nós procuramos visitar todos os lares e anotar a situação de harmonia e entendimento existente em cada um, e bem assim o nível moral dos respectivos habitantes. O Senhor, que não necessita de refeições nem de dormitório, apenas deseja instalar-se com a sua comitiva, mesmo sem que as pessoas do lar se dêem conta disso. Os Espíritos dessas pessoas, esses sim, foram consultados previamente e deram o seu consentimento à hospedagem do Senhor e sua comitiva de assessores. É bem possível, pois, que o lar de vários dos meus estimados leitores venha a receber a graça de hospedar o Senhor Jesus ou já o tenha hospedado. Será então da maior conveniência que, cientes deste fato, todos se preparem, tratando de policiar os seus atos e pensamentos a partir de agora.

Tratemos agora de embarcar para a continuação da nossa bela excursão. Aproveitai a oportunidade para apreciar mais de perto os planetas que vamos deixando para trás, aos quais denominais estrelas. Estrelas todos eles são, assim como a vossa Terra vista de longe, com a face iluminada pelos raios solares. Para os habitantes de todas essas estrelas que contemplais, a Terra é também uma estrela.

Bem; estamos chegando novamente ao Céu. Vede como é suave o pouso da nossa nave, tão suave que quase o não sentimos. Desembarquemos. Antes de nos dirigirmos ao exterior do aeroporto, eu desejo proporcionar-vos um espetáculo muito interessante para todos. Vamos nos aproximar daquelas outras naves que estão chegando da Terra. Observai o de que se trata. Vedes que estão desembarcando aqui algumas dezenas de almas ainda dominadas pela inconsciência? Observai como estão sendo recebidas. Há ali macas para conduzi-las ao hospital, porque têm necessidade de socorro médico. Trata-se, neste caso, de pessoas vitimadas num desastre de aviação, e suas almas, atingidas duramente pelo acontecimento, perderam a consciência de si mesmas, e assim foram conduzidas a este plano. Isto que ora presenciais, repete-se, muito freqüentemente, infelizmente. Dentro de alguns anos, porém, segundo está previsto, os transportes aéreos da Terra receberão certos melhoramentos que os tornarão absolutamente seguros, tanto quanto estes que usamos no Alto.

Bem; mas vamos adiante. Observemos o que se passa naquela outra nave. Pelo aparato da recepção deve tratar-se da chegada de algum grande personagem da Terra. Observemos, pois. Vede que bela figura octogenária está desembarcando. Aproximemo-nos um pouco mais. Observai quem está presente à recepção. Entidades de grande luminosidade se deslocaram para aqui a receber e cumprimentar aquela alma que vem da Terra. Como isto é belo, estimados amigos! Como é bela a recepção oferecida no Alto a uma alma que cumpriu os seus deveres na Terra! Esta, entretanto, possui uma particularidade que nem todas possuem. Viveu uma existência terrena de grande simplicidade e muita humildade, aspirando em seu coração somente servir ao Senhor em sua vivência terrena. O Senhor, recebendo as suas aspirações, que eram sinceras, concedeu-lhe a desejada oportunidade. E assim uma alma do nível comum das que se encontram na Terra, conseguiu elevar-se de tal maneira que mereceu esta bela recepção no seu regresso ao plano espiritual. Observai as Entidades presentes. Vedes aquela Entidade luminosíssima que abraça a alma recém-chegada? Sabeis acaso de quem se trata? Aquela Entidade belíssima é Nossa Senhora; é Maria Santíssima, a Mãe Excelsa do Senhor Jesus. Sua presença neste ato bem traduz o valor da alma que acaba de chegar. É acontecimento muito raro, este que vós tivestes a ventura de presenciar.

Mas vamos concluir a nossa excursão ao plano em que nos encontramos, porque o tempo corre célere e necessitais de voltar ao corpo. Visitemos em primeiro lugar aquele majestoso edifício de paredes translúcidas, situado na praça que temos em frente. Ireis admirar nele uma atividade que desconheceis. Entraremos com a devida permissão dos responsáveis. Passemos deste pórtico, tão belamente ornamentado de flores e de plantas, ao salão onde trabalham dezenas de Entidades especializadas. São cientistas encarregados de acompanhar e interpretar os acontecimentos relacionados diretamente com o vosso pequeno mundo. Vedes aquela miniatura gigantesca da Terra? As Entidades especializadas observam e estudam nela o reflexo de todos os movimentos operados no solo terreno, com vistas aos acontecimentos que em breve lá se produzirão, segundo vindes sendo informados. Esta primeira miniatura do globo terrestre apresenta-o tal como ele é no momento, isto é, antes das modificações pelas quais terá de passar. Todos os altos e baixos relevos ali se encontram matematicamente reproduzidos, e sobre eles é que foram projetadas as modificações em curso.

Passemos ao salão contíguo. Aí está diante de vós, outra miniatura da Terra, igualmente de grandes dimensões. Esta miniatura já representa o globo terrestre tal como deverá ficar após a conclusão das modificações projetadas pelos cientistas que elaboraram os planos de sua transformação. Aproximemo-nos um pouco mais, com a devida permissão das Entidades presentes. Reparai nesta coloração esverdeada em meio à tonalidade amarelo-claro. Esta coloração representa a área que deverá suceder à que se encontra na outra miniatura, formando elevações maiores ou menores do solo terreno, as quais deverão ser desmontadas pelos trabalhos já iniciados. Tais elevações são atualmente inaproveitáveis pelos homens para qualquer tipo de produção. Após as necessárias modificações já em curso, estas áreas tornar-se-ão perfeitamente cultiváveis, e portanto, da maior utilidade na produção de alimentos.

Há aqui uma outra grande modificação a ser operada na carta geográfica do vosso mundo. Observai nesta figura da Terra, a inexistência da ligação de dois continentes por aquela faixa de terra que na outra figura aparece separando estes dois grandes mares. Aquela ligação territorial está destinada a desaparecer, para permitir o encontro destes grandes mares, com perfeito acesso à navegação. Sim, entendo a vossa pergunta, e vou tentar respondê-la. As populações existentes na faixa territorial a desaparecer, estão sendo instruídas espiritualmente a se transportarem para outros países, e uma parte delas já o está fazendo. Aquelas que permanecerem e perecerem, serão aqui recebidas com todo o carinho e conforto.

Como, porém, os fatos não ocorrerão de chofre, mas lentamente, há esperanças de que todos os habitantes da região destinada a submergir consigam salvar-se com a ajuda espiritual sempre presente. O nosso tempo é escasso e eu ainda tenho muito o que mostrar-vos. Ingressemos naquele outro belo e grandioso edifício de paredes igualmente translúcidas, de tonalidade azul celeste. É uma grande biblioteca. Entremos. Vede quão portentosa se apresenta esta enorme biblioteca. Faça a sua pergunta, querido irmão. Sim; existem aqui, posso dizê-lo, todas as obras divulgadas no mundo terreno, mas em síntese. Vou solicitar uma delas para melhor apreciardes o processo. Bem; temos aqui a belíssima obra de Dante, a Divina Comédia. Esta obra pode ser apreciada na integra através das lâminas fluídicas aqui convenientemente enfileiradas. Existe igualmente uma síntese, que é esta, que pode ser manuseada por quantas almas o desejarem. Se porventura necessitarem de consultar a íntegra, tê-la-ão também numa questão de segundos. Passemos agora rapidamente ao salão de leitura. Vede o número avultado de seres espirituais devotados à leitura da sua preferência. Uns procuram aperfeiçoar conhecimentos de que vão necessitar proximamente no plano físico, enquanto outros se entregam à consulta de obras técnicas da sua especialidade. O tipo de leitura que menor número de leitores reúne aqui é o romance. Aqui quase ninguém se interesse pela novela amena, e muito menos pela trágica. Já a poesia reúne um regular número de interessados na sua leitura. As chamadas grandes obras poéticas da Terra também são aqui muito apreciadas. Reservo-me de citar autores pelo receio de omitir alguns de igual valor. É este um gênero de literatura aqui bastante apreciado.

Desejo proporcionar-vos ainda um belo espetáculo aos ouvidos e ao coração. Ireis ouvir um pouco da música celeste, da qual, estou certo guardareis as mais gratas recordações. Dirijamo-nos então àquele edifício cinzento, alguns passos à nossa direita, o qual em linguagem terrena poderemos denominar Palácio das harmonias. Entremos, mediante a bondosa permissão que nos concedem os dirigentes. Hoje e todas as noites aqui se reúnem os aficionados da música para encantar os nossos ouvidos e os nossos corações com suas inesquecíveis harmonias. Por isso ficareis conhecendo este edifício pelo Palácio das harmonias. Sentai-vos confortavelmente. Inicia-se precisamente agora um pequeno concerto de órgão, no qual tomam parte dezenas de instrumentos, acionados por verdadeiros artistas da especialidade. Ouçamos, pois, com toda a atenção. Perfeitamente, estimados amigos. Concordo plenamente convosco, em que não há palavras capazes de traduzir a emoção e encantamento que acabamos de sentir, durante estes felizes minutos em que pudemos ouvir as mais belas melodias que a música celeste nos pode proporcionar. Este foi, entretanto, apenas um detalhe da música executada neste luminoso plano de vida. Quando aqui puderdes viver e apreciar devidamente as encantadoras melodias que vos esperam, então, meus queridos, podereis considerar-vos criaturas verdadeira e eternamente felizes.

Por hoje é forçoso que regresseis ao vosso mundo a tempo de poderdes despertar o corpo que vos espera. Eu partirei convosco por estas duas razões: por ser do meu dever conduzir-vos ao vosso mundo de onde vos trouxe até aqui, e por desejar encontrar-me com o Senhor Jesus que lá está em serviço, e eu pretendo agregar-me à sua comitiva. Vamos, pois, tomar a nave que nos aguarda já de motores ligados. Acredito ter-vos proporcionado nesta segunda excursão, motivos de alegria para todos, pelo que vos foi possível observar neste plano de luz, amor e felicidade. Regressemos então à Terra.
* * *
Encerro com estas linhas o trabalho que venho ditando há cerca de oito meses, para elucidação de quantos seres humanos tiverem oportunidade de tomar conhecimento do que vim dizer por determinação do Nosso Querido Jesus. Sentir-me-ei largamente compensado do esforço que fiz, durante esse tempo, para mergulhar no ambiente terreno, se as minhas palavras lograrem merecer a atenção e o acolhimento dos meus estimados irmãos encarnados. No Alto, onde agora vivo servindo ao Senhor, eu atenderei de todo o coração a qualquer chamado dos meus estimados leitores para algum esclarecimento de que possam necessitar. Adeus, então, estimados leitores e amigos. Contai desde agora, também, com a proteção e a amizade deste vosso irmão mais velho que se chamou.

PAULO DE TARSO

Rio de Janeiro, Brasil, abril de 1967.

FIM