Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

quinta-feira, 18 de julho de 2013

100ª MENSAGEM DE ENSINAMENTOS ESPIRITUAIS Ditada pelo Apóstolo Thomé Em 23-5-1971 Rio de Janeiro - Brasil PELA PRIMEIRA VEZ EM DOIS MILÊNIOS ESTA PALAVRA DE LUZ E AMOR – CULTIVEM A ESPIRITUALIDADE ENQUANTO NA TERRA – NECESSÁRIO REFORMAR O ENSINO RELIGIOSO – ALMA MATERIALISTA ADMITIDA NA CORTE CELESTE



ESTA É A CENTÉSIMA MENSAGEM do Senhor Jesus, de uma série em que o Senhor tem falado amorosamente aos seus estimados leitores, aconselhando-os e esclarecendo-os sobre os assuntos dos mais interessantes, não apenas para eles, mas igualmente para todas as almas encarnadas. Pela primeira vez no decurso de dois milênios o Senhor Jesus veio ao solo terreno ditar a Sua palavra de Luz e Amor, num esforço de ajuda a todos os homens e mulheres para que possam alcançar os verdadeiros objetivos de sua vinda mais uma vez à Terra.

Efetivamente, havia necessidade de uma palavra autorizada a todos os homens e mulheres, no sentido de que se voltem um pouco para o mundo espiritual de onde vieram para a Terra, e para onde voltarão ao término de sua atual peregrinação. Tem o Senhor observado por toda parte o reduzido interesse da grande maioria de homens e mulheres pelas coisas do Espírito, inteiramente devotados aos interesses da matéria.

Deseja então o Senhor Jesus lembrar a todas as pessoas que os interesses materiais, perecíveis, ficarão na Terra para serem dissolvidos, enquanto os interesses espirituais acompanham as almas por toda a eternidade.

Há por isto a maior conveniência para todas as almas encarnadas em cultivarem a espiritualidade em paralelo com as coisas da matéria, a fim de construírem o seu patrimônio espiritual enquanto na Terra. Com o objetivo de bem esclarecer os homens e mulheres a tal respeito, foi que o Senhor Jesus deliberou instalar-se no solo terreno e aqui ditar esta série de Mensagens esclarecedoras. 

Deseja o Senhor Jesus, com isto, reduzir ao mínimo o número de almas que aportam constantemente no mundo espiritual desprovidas de luz e de fé que não souberam ou não quiseram construir ao longo de sua vida terrena. São infelizmente em grande número as almas que desencarnam em tais condições, não sabendo muitas delas articular sequer um Pai Nosso à Divindade, porque disso não cuidaram enquanto no corpo.

Deseja o Senhor Jesus repetir ainda uma vez a todas as almas encarnadas, que a vida terrena constitui mera ilusão para todas, dado que a realidade verdadeira está na vida espiritual. A vida terrena, já foi dito e repetido suficientemente, tem por único objetivo desenvolver aptidões e adquirir novas e maiores luzes para as almas que aqui se encontram, após terem aguardado dezenas de anos no mundo espiritual esta sua oportunidade. 

Devem saberain da que uma nova oportunidade não lhes será fácil de conseguir, em face dos milhões de outras almas que aguardam também a sua oportunidade de descer à Terra. Sabido, pois, o que aí fica, não se concebe que as almas encarnadas se descurem de seus verdadeiros interesses, que são os interesses do Espírito, para se entregarem inteiramente ao desfrute da vida terrena. 

Sabe o Senhor Jesus que muito há o que reformar na Terra, para o melhor encaminhamento das almas desde o nascimento e pela vida em fora. É necessário reformar, por exemplo, o ensino religioso ministrado por toda a parte no sentido de esclarecer as criaturas desde tenra idade, a respeito de sua procedência espiritual. 

É necessário ensinar às crianças desde os bancos escolares que elas são Espíritos encarnados, tendo vindo mais uma vez ao solo terreno para desenvolver os seus conhecimentos, aptidões e inteligência, de maneira a adquirirem novas luzes espirituais. E para que as crianças saibam como adquirir novas luzes espirituais, o primeiro ato é a oração diária à Divindade na hora de se deitarem. 

Ensinar-se-á às crianças não ser esta a primeira vez em que estiveram na Terra, porque em verdade já viveram dezenas ou centenas de outras vidas em diversos países tendo tido muitos outros lares. Este esclarecimento ministrado às almas encarnadas desde a primeira infância terá o mérito de formar um lastro de conhecimentos espirituais da maior utilidade em toda a sua existência terrena. Ensinando-se as crianças a orar à Divindade como um dever necessário à sua maior felicidade, um sentimento de espiritualidade se formará em seu coração, o qual muito contribuirá para a sua felicidade.

Mais tarde, quando atingirem a juventude e, portanto, aptas a maior compreensão, dir-se-lhes-á que uma vivência em perfeita harmonia com as leis espirituais, terá o poder de remover numerosos obstáculos do caminho de cada criatura humana, porque a prática das leis espirituais terá, o mérito de atrair a ajuda e proteção de amigos invisíveis desejosos de ajudá-las. É necessário, enfim, generalizar entre a população terrena, para a sua maior felicidade, o princípio de que não se vive uma só vez, mas inúmeras milhares de vezes, sempre com o objetivo máximo de adquirir novas luzes espirituais.

A divulgação deste princípio é necessária para que não se percam os milhares de encarnações em que almas desfrutaram quanto a vida terrena lhes proporcionou, mas numa situação semelhante à dos irracionais, cujo núcleo espiritual ainda não lhes confere capacidade de raciocínio. Mas que assim procedam seres humanos, é profundamente lamentável em face do precioso tempo perdido em sua escala evolutiva. As almas em tais condições regressam mais ou menos embrutecidas ao mundo espiritual, onde assistirão ao decorrer de muitos séculos até que possam voltar à Terra.

O melhor, por conseguinte, é esclarecer as almas desde a infância, plantando desde cedo a semente da fé em seus corações para que a árvore neles se desenvolva, viceje e frutifique pela vida em fora, em favor da própria alma. Tem sido constatado no mundo espiritual que as pessoas que mais se têm distinguido por atos meritórios ao longo de sua existência, são exatamente almas cujos pais ou responsáveis souberam incutir os princípios da fé em seus corações desde sua tenra idade. 

A fé implantada no coração da criança, cujos princípios ela aceita sem discutir, pode ser considerado o elemento mais poderoso da sua felicidade em toda a vida terrena. A fé tem o mérito de abrir sempre um clarão na treva das dificuldades terrenas, mantendo uma espécie de certeza de que algo fará com que elas se afastem. Efetivamente assim é, visto como sendo fé uma chama espiritual implantada no coração das criaturas, a luz irradiada tem o poder de atrair outras luzes capazes de solucionar quaisquer dificuldades. 

Quando as Entidades do mundo espiritual são convocadas a ajudar uma alma encarnada, a primeira observação que lhes ocorre é verificar o grau de fé existente nessa alma. Ao verificarem que a fé existe no coração da alma socorrida, logo a solução se lhes apresenta fácil, porque fácil lhes é também acrescentar a chama existente com a sua própria luz. A alma encarnada em tal situação será ajudada a resolver seus problemas mais ou menos rapidamente, segundo o volume da sua fé. Se esta, entretanto não existir, ou só existir em ínfimo grau, certo é que os problemas da alma serão bem mais difíceis de solucionar.

A fé remove montanhas - todos sabeis dessa assertiva do Senhor há dois milênios, quando entretinha palestra com seus ouvintes. É preciso esclarecer qual o tipo de montanhas a serem removidas pela fé, que não serão certamente montanhas de granito, porém as montanhas de dificuldades que surgem à frente de todos os viventes terrenos. E aqui se dirá então com todo o fundo de verdade logo constatada: “se tiverdes fé do tamanho de um grão de mostarda direis àquele monte: retira-te e lança-te ao mar, e ele se retirará. “ Já sabeis que a afirmativa é verdadeira em relação às montanhas de dificuldades que surgem em vossas vidas. Cultivais, pois a fé, e tereis a confirmação da assertiva do Senhor.

Este fato poderá elucidar-vos um pouco mais. Encontra-se hoje no mundo espiritual uma alma inteligente, valorosa, que viveu até há pouco uma existência terrena de completo materialismo, dizendo-se ela própria materialista cem por cento. Alguém muito amigo desta alma tentou seguidamente abrir-lhe os olhos da alma para as coisas do Alto, porém sem êxito nenhum. 

O materialismo alimentado pela referida alma superava os melhores argumentos. Este instrumento mediúnico muito se esforçou em iluminar a alma em referência, lendo para ela belos capítulos de obras espiritualistas, inclusive alguns do livro Corolarium ditado por Maria de Nazareth. Terminada a leitura a alma assim se manifestou: “tudo isso é muito bonito não há dúvida, mas quem nos poderá provar que essa Entidade existe, e veio ditar esses conselhos? Eu continuo no meu materialismo que não aceita a existência da alma após a morte do corpo.”

A decepção deste instrumento não podia ter sido maior. E resolveu não mais tratar do assunto perante a alma amiga, cuja matéria enferma de longa data, fazia prever uma desencarnação bastante próxima. Efetivamente esta verificou-se dentro de dois a três meses. O instrumento, desejoso de algo fazer em favor daquela alma amiga que partira completamente desprovida de fé no coração, e por isso sujeita a viver envolvida pela treva, fez-me um pedido – fala o Senhor Jesus – que eu prontamente atendi. Mandei visitar a alma em referência, que se havia reunido à alma da esposa desencarnada um ano antes, tendo recebido a informação de que se tratava de duas almas puras, sendo a esposa profundamente religiosa, e o marido materialista. 

Mandei-lhes dizer então, que em homenagem a este instrumento, eu as convidava a se transferirem para a Corte Celeste, como sua moradia desde então. Este convite causou profunda emoção nas duas almas, por absolutamente inesperado. As duas se transferiram imediatamente, tendo a alma dita materialista declarado ao ingressar na Corte
Celeste: “O meu materialismo terminou neste momento; agora eu sou uma criatura absolutamente feliz.

O Senhor Jesus deliberou divulgar este fato para elucidação de muitas outras almas que se recusam a crer naquilo que não podem ver nem sentir, mas que existe fora do mundo visível. Isto resulta da falta da chama da fé nos corações, impedindo as criaturas de aceitarem a existência das almas após a morte do corpo. A alma de que acima falou o Senhor Jesus, possuía grandes virtudes morais e uma vivência correta; faltaram-lhe, porém, ensinamentos espiritualistas na infância para a implantação da fé em seu coração.

Tendo dado sempre preferência à leitura das obras materialistas, ultrapassou os setenta anos de vida terrena firmada no seu materialismo que é a negação da vida espiritual. Hoje porém, graças à interferência deste instrumento, as duas almas fazem parte do número de almas privilegiadas da Corte Celeste.