Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

CAPÍTULO XXVII – 2ª Parte - Livro: Vida de Jesus ditada por Ele Mesmo. Estão próximos os tempos em que a verdade e a justiça hão de dominar no mundo, vendo-se desalojados os espíritos retardatários, que passarão a povoar outras esferas. Os bons sentimentos, as boas idéias elevam a alma dando-lhe mais clara visão em tudo o que é próprio do ambiente espiritual.



Próximos estão os tempos para o restabelecimento da verdade e da justiça sobre a Terra e percebe-se por toda parte os celestes mensageiros que vos trazem as palavras do Senhor para sua glorificação na hora atual e por toda a eternidade. Regozijai-vos, pois, os que tanto haveis clamado pela chegada de uma nova era de paz e de justiça entre os homens, regozijai-vos, porquanto são já inequívocos os sinais que tais mudanças indicam e que nas próprias consciências dos homens resplandecem como testemunhos inconcussos da era de bonança que à Humanidade se oferece finalmente, embora com exclusão dos retardatários do progresso, os quais descerão a esferas próprias de seu escasso adiantamento.

Assim, pois, notai a era da vinda e morte de Jesus e observai quanta luz se difundiu a partir desse sacrifício. Grande foi a abnegação, grandes as virtudes, muito grandes os elevados exemplos de altruísmo, de apostólica renúncia, de intensos esforços pelo império da verdade sobre a Terra. Bem, pois, tudo destinado está a frutificar e a vontade divina considerou suficiente já o labor e o esforço levados a cabo pelos que tal luta sustentaram, e em sua eterna sabedoria e justiça lhes fará entrega do campo, ficando desalojados assim os refratários a todo o regime de eqüidade, os quais abusaram sempre em seu próprio benefício de tudo o que Deus colocou ao alcance do homem para o comum adiantamento de todos, enquanto que dele, estes se apropriaram mediante maus manejos e com um fim puramente pessoal e egoísta.

Sendo assim, portanto, sirva-vos como sinal de chamada, a voz de vosso Messias que vos vem recordar o que antes já vos disse. Mantende-vos, pois, unidos e firmes sobre a fé que vos foi comunicada e sede principalmente humildes porque nada sois e porque é a humildade a chave que melhor abre as portas do céu. Quantos erros, quanta mentira, quanta obscuridade tem acumulado o orgulho humano em volta da obra de Jesus como o único fim da dominação! Os que se declararam meus representantes sobre a Terra, assenhoreando-se de todo o fruto de minha sementeira na vinha do Senhor e proibindo tudo quanto não saísse deles, porquanto unicamente deles havia de receber-se o que de Deus vem, mantiveram a Humanidade no erro, impedindo-lhe toda a visão clara a respeito do que é próprio do espírito e no qual se encontra o seu adiantamento, pela visão e o conhecimento do que corresponde à sua própria natureza.

Assim: a elevação cheia de fé que fizerdes de vosso pensamento para o Pai, o arrependimento sincero das faltas cometidas, o decidido propósito de emenda, o esforço contra as vossas paixões, o predomínio sobre a vaidade, o perdão das ofensas, etc., são cousas que, em si mesmas, possuem a propriedade de aumentar a visão do espírito, de dar-lhe lucidez e elevação, quer se encontre encarnado, quer esteja desencarnado.

Sede, pois, humildes de coração e fortes de alma, para dominar as baixas paixões que vos mantêm perturbados sobre a superfície da Terra, mantende fechados vossos sentidos às tentações que vos vêm da matéria e abri, em compensação, quanto vos seja possível, os olhos da alma para que vejais por eles todo o esplendor da morada que o Filho de Deus vos tem destinado,¹ se a ele vos unirdes pelo acatamento das leis divinas, por vossa consagração à prática de seus ensinamentos e pelo amor que vos fará partícipes de todo o calor de seus sentimentos. Coragem, pois, irmãos meus, agora principalmente em que as preocupações, os vícios, as mentiras e as maldades das maiorias vos afastam dele, isolando-vos das trevas de que estão rodeadas, e entre as quais cairão envolvidas, até ocuparem o plano que lhes corresponde por seu atraso, enquanto que, purificado o ambiente com sua partida, vos encontrareis no meio da felicidade que proporciona a própria pureza do ambiente que habitais, e a bondade e inteligência dos que constituem convosco os eleitos² do Senhor.

Recordai-vos quanto a isto, que “Deus é Espírito; e é mister que aqueles que o adoram, o adorem em espírito e em verdade”. E recordai-vos também que “o que ceifa, recebe salário, e colhe fruto para a vida eterna, para que gozem ao mesmo tempo o que semeia e o que ceifa”, porque, em verdade vos digo, que unicamente alcançarão a pátria celestial aqueles que para ela tenham caminhado pela elevação de seus espíritos, mediante o trabalho constante na vinha do Senhor, que vinha é espiritual, onde a própria grandeza de cada um colhe para maior glória também do mesmo Senhor, que o princípio é e o fim de todas as cousas.

Regozijai-vos, pois, os que haveis tido fé e haveis permanecido acordados porque chegada é a hora de vossa justificação. Não vos olvideis tampouco que um só há de ser o rebanho e um só o pastor. Abrigai-vos pois sob estas minhas novas palavras que eco encontrarão, sem sombra de dúvida, no coração dos eleitos, enchendo seus espíritos das brilhantes promessas que vim renovar em vossas consciências de adeptos da lei de amor e ante a fé de iluminados, que haveis merecido, os que até aqui me tendes acompanhado com a simples certeza dos que claramente distinguem sua rota.

Que Deus vos ilumine ainda mais, são as palavras com as quais Jesus se despede de vós, ao terminar estas paginas destinadas para complemento de sua vida, que por outro conduto vos ditou.

JESUS DE NAZARETH


¹ Isto está dito seguramente em linguagem figurada, pois não parece referir-se a lugar. — Nota do Sr. Rebaudi.

² Já se viu que Jesus entende por eleitos os que, por natural seleção, quer dizer por seus próprios méritos, chegaram a formar parte do núcleo dos melhores; nada pois tem que ver aqui esta palavra com a doutrina da graça. — Nota do Sr. Rebaudi.