Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

CAPÍTULO XIX - OS CINCO SENTIDOS ESPIRITUAIS – Livro: Derradeira Chamada. Psicografado por Diamantino Coelho Fernandes. Ditado pelo Irmão Thomé.




Os homens têm-se mostrado duramente avessos a quantas advertências já lhes foram trazidas por inúmeros mensageiros do Senhor, no sentido de mudarem o rumo de suas ambições e interesses, com que todos vêm marcando vida após vida neste pobre planeta terreno. Uma vez mais e provavelmente a última, quis o Senhor que os encarnados fossem convocados ao cumprimento de deveres espirituais para consigo mesmos, deveres que não podem deixar de cumprir sem mais perda de tempo. Levantam-se, vivem e deitam-se diariamente homens e mulheres, com o objetivo único do engrandecimento de seu patrimônio material, imediato mas transitório, sem dedicarem alguns minutos de suas vinte e quatro horas à construção de seu verdadeiro patrimônio, que é o patrimônio do Espírito. E este deveria constituir em verdade a maior preocupação de todos os encarnados, visto como é dele que decorre tudo o mais que necessário for à vida dos homens e mulheres da Terra. Os tempos que se aproximam confirmarão minhas palavras, que nada mais representam do que os conselhos e advertências de que me incumbiu o Senhor Jesus, junto aos Espíritos presentemente encarnados na Terra. Cumprindo tão luminosa incumbência, eu o faço com todo o meu afeto e dedicação a todos vós, estimados irmãos, pela tristeza que de certo me envolveria se os temporais que se aproximam vos encontrassem desprevenidos. Bem certo é que após a tempestade vem a bonança, conforme o adágio; porém resistir e sobreviver ao tipo de tempestade que está prestes a desabar, é problema que transcende os elementos materiais de defesa, meus caros irmãos. Minha missão não é em verdade salvar o corpo nem o patrimônio material dos Espíritos encarnados, porque tudo isso nada representa na vida infinita, e por conseguinte, na sobrevivência dos Espíritos. Minha missão é salvar os Espíritos de quantos decidirem dar atenção às minhas palavras, com a finalidade de por em prática os conselhos que elas traduzem. E se eu vos disser, irmãos e amigos queridos, que o dia de amanhã já pode representar o inicio da remodelação a ser empreendida em todo o solo terreno, ter-vos-ei dito uma grande verdade. Em apoio desta afirmativa poderei aduzir que o grande cortejo já foi posto em movimento, e não tardará a positivar-se num ou noutro ponto do globo, por meio de acontecimentos de grande repercussão. Não vacileis pois, irmãos queridos, em tratar com empenho de vossa própria segurança espiritual, encostando-vos solidamente em Nosso Senhor Jesus, que anseia por salvar vossos Espíritos daquele provável naufrágio de que antes falei. Como fazê-lo? Muito simplesmente, já o sabeis: orando e meditando diariamente com todo o recolhimento d'alma, para que Nosso Senhor possa receber como deseja a vossa oração. E isto é tão fácil de fazer! 

Bem, irmãos queridos. Em seguida vou tentar explicar-vos da maneira mais clara que me for possível, o problema que à maioria dos desencarnados se apresenta, imediatamente após a sua separação do corpo físico entregue ao seio da terra.  Verificamos todos nós, quando destacados para dirigir esse serviço no Alto, que a maioria dos Espíritos que deixam a matéria, caem num tal estado de prostração e desânimo, que se torna indispensável em muitos casos conduzi-los aos hospitais para receberem tratamento específico, que pode durar alguns meses e anos até. Isto acontece em consequência do completo despreparo do Espírito recém desencarnado para a vida espiritual, devido à circunstância de ter atravessado sua última encarnação na Terra preocupado exclusivamente com as coisas terrenas. Sucede então que cerca de noventa por cento dos desencarnados, se encontram no plano espiritual sem poderem utilizar qualquer dos seus cinco sentidos em sua correspondência com os demais, o que lhes dá uma sensação de quase demência e, por conseguinte, ausência completa de movimentos. Os Espíritos socorristas lançam mão então, dos recursos felizmente em abundância no Alto, da remoção e internamento hospitalar de todos os desencarnados nesta situação, para que ali sejam despertados e cuidados dessa demência, exercitando aí também os cinco sentidos espirituais que não souberam manter e desenvolver na Terra. Casos existem entretanto, em que esses sentidos aparecem ao fim do primeiro ou do segundo mês de tratamento, quando se trata de Espíritos possuidores de algumas noções da vida espiritual ainda latentes, passando então a locomover-se e agir sem dificuldade. Mas há também irmãos em quem o despertar desses sentidos, principalmente o da vista, demora longo tempo a aparecer, fazendo do Espírito um cego no Espaço. Para evitar tão grande problema para todos vós, meus queridos leitores, eu darei em seguida algumas instruções que podereis seguir sem nenhuma dificuldade, e que muito hão de contribuir para que possais ingressar, por assim dizer, de olhos abertos no mundo espiritual, quando a isso fordes convocados. É simples o exercício e podeis fazê-lo todas as noites ao deitar se assim o desejardes. Tendo-vos habituado já à prática da oração e em seguida a meditação durante uns dez minutos, terminada esta, cerrai os olhos sem esforço e volvei o pensamento para o Alto, imaginando que ireis enxergar algo do plano mental com os olhos do Espírito. Não precisais de forçar a visão, mas apenas conservar presente o desejo de enxergar algo que possa servir ao desenvolvimento da visão espiritual. É um exercício muito semelhante ao da criança que tenta dar os primeiros passos. Primeiramente vacila, cai e desiste, mas com a sequência do exercício diário termina andando, correndo, pulando até, como sabeis. Com a visão espiritual dar-se-á coisa parecida. A princípio sem resultado aparente porque a vista não registrou o exercício, com a repetição todas as células se harmonizam para esse fim, e o encarnado passa a enxergar mais ou menos claramente no plano espiritual, com real benefício para si à partir do momento do seu desligamento do corpo. É preciso no entanto, não confundir este exercício com a vidência, faculdade mediúnica privativa de alguns irmãos encarnados. Esta faculdade pode existir durante a encarnação e falhar após, ou desaparecer mesmo em vida terrena do encarnado. A visão espiritual de que falo, é o desenvolvimento desse primeiro dos cinco sentidos do Espírito, e todos necessitam dele em sua passagem para o Além. Assim, torna-se da maior conveniência ir cada um se preparando espiritualmente desde a Terra, visto como no decorrer da encarnação a visão espiritual que cada Espírito possuía, antes de reencarnar, desapareceu completamente por falta de uso. Pode dar-se em não poucos casos até, que este exercício que ora recomendo, registre um tal desenvolvimento que vos possibilite o seu uso ainda neste plano físico, tornando-vos então videntes mesmo encarnados, o que será para quantos o conseguirem, motivo de grande adiantamento espiritual pelo que daí resultará. 
     
Como vedes, caros irmãos e amigos, Nosso Senhor Jesus manda-me transmitir-vos em meus conselhos, tudo quanto possa contribuir, não apenas para a vossa segurança em face dos tempos que se aproximam, como também estes ensinamentos que vos deixo ao longo destas páginas, com o fim de vos preparardes o melhor possível para a vossa próxima reentrada no plano espiritual, em condições de vos poderdes sentir imediatamente ditosos. A circunstância da Terra ter de ser revolvida em todas as latitudes, é o que menos importa porque isso constitui a regra em todos os planetas do Universo, desde os inferiores aos mais elevados. O que mais interessa é preparar os seres humanos que habitam este planeta ainda tão atrasado em sua evolução, para que façam o seu transporte para os planos espirituais a que pertencem, sem o mínimo sofrimento em face da transição.  E isto haveis de conseguir irmãos queridos, com a prática dos ensinamentos que aqui vos deixo, com a misericórdia e a graça de Nosso Senhor Jesus.