Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

domingo, 10 de fevereiro de 2013

15ª mensagem de ensinos espirituais Livro: Nova Ordem de Jesus



Ditada pelo Apóstolo Thomé
Em 1- 8 -1970 Rio de Janeiro - Brasil

A GRAÇA DO SENHOR –  ORGANIZAÇÕES E CREDOS RELIGIOSOS – NEM CÉU NEM INFERNO – O PROFISSIONALISMO E O PROCESSO RELIGIOSO

OS OBJETIVOS visados pelo Senhor Jesus ao deliberar a criação na Terra da Sua NOVA ORDEM, estarão sendo atingidos na medida em que estas Mensagens forem atingindo os lares terrenos. 

Onde se encontrar uma que seja, das Mensagens do Senhor Jesus, encontrar-se-á também uma luz espiritual a anunciar a palavra do Senhor. 

O que estas Mensagens representam, muito mais é do que palavras e pensamentos nelas contidos, porque com elas penetra nos lares terrenos a própria graça do Senhor a amparar as famílias, a ajudá-las, a inspirá-las em suas atividades terrenas.

Chegaram os tempos há muito esperados para encaminhar as almas encarnadas no sentido de sua felicidade e bem-estar, tal como prometido lhes foi no mundo espiritual ao descerem a este plano terreno.

Aproximam-se reformas fundamentais na vida de todas as almas viventes na Terra, com o abandono de tudo quanto tem contribuído para o seu sofrimento desde os tempos de um longo passado.

A partir deste século deseja o Senhor Jesus aproximar-se de todas as almas viventes na Terra para ajudá-las em sua caminhada multimilenar, a fim de que encerrada sua presente jornada terrena, possam todas alcançar aquele belo galardão que tanto aspiravam ao partirem para a Terra.

Cansado de esperar pela própria iniciativa das almas encarnadas, na sua tendência para a luz e para o Alto, resolveu o Senhor vir Ele próprio ao solo terreno e aqui entrar em contato com as almas de boa vontade através desta Sua NOVA ORDEM.

Deseja frisar porém, que Sua NOVA ORDEM não tem, nem de leve, a intenção de abrir  luta com nenhuma das organizações religiosas existentes na Terra, antes até prestigiá-las nos bons propósitos que demonstrarem no encaminhamento dos seus adeptos para a espiritualidade.

Sabendo-se que o verdadeiro e único objetivo da vinda das almas à Terra de século em século, é adquirir novas luzes e experiências para o seu progresso espiritual, claro está que a tarefa das correntes religiosas deve ser a de ensinar os homens e as mulheres a cuidarem com carinho desta necessidade como o principal objetivo de sua vinda à Terra.

Certo é que as almas encarnadas necessitam dos ganhos materiais para manterem o corpo durante sua permanência na carne; contudo, muito importante se torna cuidarem com carinho do Espírito, enriquecendo-o quanto possível de novas luzes e bênçãos.

Isto todas  as almas sabem de sobra ao se prepararem para reencarnar, e muito empenho fazem em cumprí-lo na Terra. Acontece, porém, que, não conseguindo a memória física recordar o que em sua memória espiritual existe, aqui se deixam conduzir ao sabor dos interesses materiais, perecíveis, com o descuramento dos interesses espirituais.

Deseja então o Senhor Jesus chamar a atenção de todas as organizações e credos religiosos existentes na Terra, e que muitos são, para que procedam a uma reforma substancial dos seus ensinamentos, para assim se ajustarem às suas finalidades e poderem merecer o apoio das Forças Superiores do mundo Espiritual. 

Que façam isto as entidades religiosas, mas que o façam já, sem mais demora, para poderem servir realmente aos seus adeptos.

Uma pergunta ao Senhor poderá surgir da parte de alguma dessas entidades religiosas, mais ou menos nestes termos: E o que poderá suceder às entidades religiosas que não concordarem em modificar seus ensinamentos seculares, milenares até, para se ajustarem às determinações do Senhor?

O  Senhor Jesus que já espera por este tipo de pergunta em face da comodidade em que se encontram os dirigentes de várias entidades religiosas, responder-lhes-á que neste plano físico, o que lhes poderá suceder é verem-se abandonadas por seus antigos adeptos, descontentes com o tipo de ensinamentos que recebem, dirigindo-se para as organizações espiritualistas que lhes falarem do mundo espiritual.

E  ficando desertos os templos materialistas, uma única solução poderá povoá-los novamente, que é descerem da sua grandeza puramente material para entrarem em novo tipo de ensinamentos às almas encarnadas.

E assim que isto fizerem - porque hão de fazê-lo - logo se convencerão de que as almas encarnadas não desejam decorar  fórmulas  religiosas nem preconceitos, mas unicamente ouvir palavras de ensinamentos espirituais que as ajudem a caminhar.

Cessem de uma vez os ensinamentos ditos religiosos que pretendem convencer os seres humanos de que só se nasce uma vez, e que depois da morte surge o imprevisto, o desconhecido. Sabe o mundo perfeitamente que assim não é a vida das almas, e tudo lhes pode ser dito com absoluta segurança através dos ensinamentos espiritualistas.

A Lei da Reencarnação, uma das mais importantes que regem a vida das almas, é a lei que faculta a vinda das almas a Terra  tantas  vezes quantas sejam  necessárias à conclusão do seu aprendizado terreno.

É a Lei da Reencarnação que tem trazido seguidamente à Terra os próprios dirigentes das instituições  religiosas que negam firmemente a sua existência. Não fora o número elevado de reencarnações vividas na Terra pelos dirigentes das instituições religiosas, e eles aqui não se encontrariam, mas permaneceriam indefinidamente no mundo espiritual, carecentes do progresso para os seus Espíritos, que tem vindo buscar neste plano físico.

Cessem ao mesmo tempo, porque chegados são os tempos para isso, os ensinamentos ditos religiosos que anunciam a existência de um céu e um  inferno para premiar ou punir eternamente as almas, porque semelhantes organizações espirituais jamais existiram.

O que de verdade existe no mundo espiritual para receber as almas que regressarem da Terra, são planos vibratórios em harmonia com o tipo de vibrações emitidas pelas próprias almas.

Assim, por exemplo, se regressa do mundo terreno uma alma que nele se destacou pela pureza de sua vivência, durante a qual conseguiu realizar as obras meritórias em favor das demais almas encarnadas, se conseguiu através de suas atividades proporcionar a paz, a saúde e o bem-estar aos que viviam à sua  roda, uma alma nestas condições elevou de tal maneira o seu nível vibratório, que ao desencarnar terá sido conduzida ao mais belo, luminoso e feliz dos planos existentes no mundo espiritual.

Uma alma nestas condições, que tiver ouvido falar em céu, pode julgar- se realmente no céu criado pelas religiões terrenas, mas que em verdade é um dos belos planos da vida espiritual.

Outra alma - só para argumentar - que tenha desperdiçado uma vivência entregue de preferência a atividades condenáveis, tanto pelas leis dos homens como pelas leis de Deus que são as leis divinas, ao desencarnar na Terra ver-se-á arrebatada a regiões que mal conseguirá identificar, inclusive pela sua falta de luz para verificar onde está.

Uma alma nestas condições sentirá dolorosas conseqüências dos seus feitos na Terra, e, se vítimas houver, elas como que adejarão em torno de sua cabeça ameaçadoramente. Suas vítimas, realmente, não o fazem porque devem estar repousando, confortadas, em lugares bem distantes. O remorso, porém, o maior suplício das almas no Além, esse não deixará a alma em paz, podendo transmitir-lhe a impressão de se encontrar no inferno do seu conhecimento na Terra.

Eis aí o que se deva considerar como céu e inferno para as almas felizes ou sofredoras. O melhor então será ensinar na Terra a todas as almas encarnadas, que cada qual constrói a situação em que desejar encontrar-se após  haver entregue os seus despojos à sepultura.

Nos tempos que correm, felizmente, é  já bastante reduzido o número de almas que deixam a Terra na situação de inferioridade acima descrita, se bem que algumas assim se encontram.

É tarefa, pois altamente louvável, ensinar às almas encarnadas que sua vinda à Terra obedeceu a objetivos dos mais elevados, devendo por isso pautar sua existência pelos caminhos da mais perfeita moral, amparadas  no princípio altamente benéfico da prece e da meditação.

Ensinando às almas este princípio desde os anos da infância, as religiões terrenas terão prestado às criaturas humanas o mais belo serviço que poderão prestar, acarretando para si as bênçãos e gratidão da Divina Providência.

Outro ponto que o Senhor Jesus deseja abordar nesta Mensagem, é o tipo de profissionalismo religioso existente por aí além. Pregação religiosa não pode constituir profissão para ninguém, embora semelhante tipo de atividade, contudo, tende a desaparecer, por absolutamente desnecessária ao encaminhamento da humanidade.

Todos os homens para cumprirem o seu programa da vida terrena, devem exercer uma atividade compatível com os seus conhecimentos, da qual retirem o seu sustento e o sustento de sua família. Depois de cumpridas as suas horas de trabalho, isto é, na parte da tarde ou primeiras horas da noite, então, se tiverem aptidões para a pregação religiosa, a ela se entreguem com amor e dedicação, certos de que estarão prestando um serviço relevante à Divindade.

É nessas horas, inclusive, que as demais criaturas poderão freqüentar as entidades religiosas, após concluírem também as suas atividades diurnas. O trabalho religioso assim conduzido pelas pessoas devidamente preparadas, torna-se mais eficiente e útil do que aquele até hoje realizado em horas  matinais nos templos, onde os freqüentadores não chegam a entender o que ali se fala ou ensina.

Este  século deverá assinalar uma transformação substancial também no processo religioso, eliminando provavelmente várias práticas milenares que bem pouco conseguiram realizar de verdadeiramente útil para os seus adeptos.

Não há nenhuma conveniência, outrossim, para o ensino religioso, que seus mentores se paramentem com trajes e insígnias por eles próprios criados para impressionar os fiéis adeptos. Nada disso é necessário para o fim a que se destina.

Ao contrário disso, vestindo-se os mentores e dirigentes religiosos com a mesma indumentária dos adeptos, verão como se tornarão alvo da maior atenção e simpatia no desempenho de sua função religiosa, mormente por se apresentarem no mesmo padrão dos ouvintes.

Isto implicará, fora de dúvida, num espírito de igualdade e grande eficiência dos ensinamentos ministrados. O Senhor não vem condenar o que existe há séculos ou milênios, mas advertir que modificações se impõem no gênero, modificações que já estão à vista e que em breve se positivarão.

Observem os homens com atenção o que aí fica, e meditem sobre este importante assunto.

Onde houver uma destas Mensagens, encontrar-se-á também a Palavra do Senhor Jesus – pois, Ele Próprio aqui se encontra em contato com as pessoas que O invocam.