Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

terça-feira, 4 de novembro de 2014

39. A VIAGEM DE REGRESSO – Livro: As Forças do Bem.





Se algum dos meus irmãos encarnados me pedisse um esclarecimento, acerca do problema que todos têm de enfrentar no momento de sua partida deste mundo, de regresso ao plano espiritual de onde vieram, eu lhe diria que tal problema só existe para aqueles que não estiverem devidamente preparados para essa viagem de volta.

Esse problema, que a quase totalidade dos Espíritos encarnados tanto receia enfrentar, só existe, repito, para aqueles que viram decorrer os dias e noites de sua presente encarnação, inteiramente preocupados com sua vida puramente material. E não estranharei que igual pedido me venha a ser feito inclusive por adeptos e sacerdotes das várias religiões da Terra, também estes desprevenidos a respeito do que os aguarda no momento de cerrarem os olhos do corpo.

Devo dizer então, a quantos tiverem a ventura de correr os olhos por estas páginas, inclusive àqueles que mais temerem enfrentar a incógnita da morte, devo dizer a todos esses meus queridos irmãos que se tranqüilizem, que acalmem sua natural preocupação a este respeito. Quero assegurar aqui ao mais preocupado, ao mais intranqüilo em face da viagem que devem fazer mais cedo ou mais tarde, quero assegurar a todos, que está em suas próprias mãos, que depende exclusivamente de sua vontade, de sua disposição em querer preparar-se, fazer essa viagem — que muitas vezes fizeram antes — na mais absoluta paz, tranqüilidade e segurança. Mister se faz apenas prepararem-se desde agora, como se a tivessem de enfrentar amanhã.

A passagem deste plano de vida material para o plano espiritual, é coisa muito mais fácil de realizar do que o inverso: a vinda do plano espiritual para o plano físico. Enquanto esta última requer uma abnegação de nove meses ao Espírito que tem de preparar ele próprio o veículo de carne em que deverá habitar durante vários decênios, e nessa preparação sofre o constrangimento natural dos quase encarcerados, a partida de regresso ao mundo espiritual processa-se de maneira bem mais rápida e com muito menor índice de sofrimento.

O fato assistido pelos irmãos presentes à desencarnação de um Espírito realizada em condições normais, e que a muitos dá a impressão de sofrimento, não o é realmente. Desde o momento em que a partida ficou decidida, pela carência de condições fisiológicas para que permaneça no corpo, esse Espírito inicia a sua desencarnação suavemente, não obstante as aparências de sofrimento manifestadas pela matéria, em contrações de ordem puramente física, como um conjunto mecânico cujos elementos começaram a perder a harmonia e sincronização de movimentos.

Quanto ao Espírito, esse é assistido e ajudado por Entidades afins, designadas para o receberem e confortarem, desde o momento da partida até ao local que lhe estiver destinado para o necessário repouso.

Acontece, ademais, que uma espécie de torpor envolve a quase totalidade dos desencarnados, eliminando-se desta maneira o traumatismo que certamente se manifestaria se assim não fora. Isto, em largos traços, o que sucede aos encarnados no momento de seu desprendimento da matéria em que cumpriram mais uma trajetória na Terra. Este, o lado material do fenômeno. Há, entretanto, o outro lado, ou, como habitualmente dizeis, o reverso da medalha: o aspecto essencialmente moral do caso, e certamente o mais importante para o desencarnando. E este é, meus caros irmãos, um dos grandes objetivos deste livro, como parte da Grande Cruzada de Esclarecimento que está sendo realizada na Terra. É o lado espiritual relacionado com os Espíritos encarnados, a grande preocupação de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Até certo número de decênios decorridos, esperaram as Forças do Bem pela reação dos Espíritos encarnados às intuições de seus mentores espirituais, aos conselhos transmitidos durante o sono, para que resolvessem adotar o hábito de sua comunicação diária com o Senhor Jesus, de cujo imenso coração receberiam os eflúvios maravilhosos que se transformariam em luz para seus Espíritos. Isto, entretanto, só tem sido registrado numa escala mínima, infelizmente. Aproximando-se, porém, os tempos previstos no Apocalipse, tempo não há mais que permita às Forças do Bem continuarem aguardando as reações naturais de cada um, sob pena de verem os filhos da Terra lamentavelmente tragados e sem remédio, ante acontecimentos improrrogáveis.

Desejo dizer então a todos os viventes da Terra, que meus conselhos ouvirem ou deles notícia tiverem, que há um meio único, exclusivo, de poderem preparar uma partida absolutamente tranqüila, pacífica, feliz. Este meio eu o venho anunciando em cada capítulo destes conselhos e não me cansarei de o repetir. Consiste simplesmente na decisão dos meus caros irmãos em dedicarem dez minutos diários que seja, entrarem em comunhão mental com as Forças do Bem, pedindo intuições, luz e orientação para os seus passos na Terra durante os dias, meses e anos em que aqui permanecerem. Com esta prática diária, terão assegurada, não apenas uma acentuada modificação para melhor em sua vida material, com o recebimento de novas idéias, proteção e ajuda da parte daquelas Forças, como assegurada terão, igualmente a seu tempo, uma tranqüila viagem de regresso ao lar espiritual de onde vieram.

A insistência com que abordo este assunto ao longo deste volume de conselhos que venho transmitindo à Terra, em cumprimento de determinação do Divino Mestre Jesus, poderá parecer-vos, irmãos meus, provavelmente desnecessária, visto como a maioria de meus leitores já se decidiu por essa prática, altamente salutar para os seus Espíritos. É que, conhecendo como efetivamente conheço, o quanto é fraca a alma humana e débil a manifestação de sua vontade, e conhecendo, de outra parte, os perigos a que estão sujeitos aqueles que desprezarem o hábito da oração diária, seja por motivo de cansaço físico ou por simples esquecimento, o conhecimento que tenho da gravidade dos perigos a que estão sujeitos, leva-me a insistir neste ponto, fundamental como é nos dias que correm para a paz e felicidade de todos os seres humanos.

Assim, pois, meus queridos, não vos agasteis com esta recomendação que de todo o coração vos faço; considerai-a, antes, como se fora um título descontado em vosso favor a curto ou longo prazo, do qual esse vosso irmão mais velho, devidamente autorizado por Nosso Senhor Jesus Cristo, se considera devedor. E com que prazer eu vos receberei um dia em Espírito, entregando-vos, transformadas em luzes e bênçãos, todas as palavras que houverdes proferido em vossas orações diárias, uma, duas ou mais vezes, diretamente ao Sagrado Coração de Jesus. Cobrai de mim, pois, irmãos meus, amigos meus, as orações que proferirdes, por incontáveis que pareçam, porque anotadas as ireis encontrar em vosso multissecular cadastro espiritual, que deixastes guardado no Além.
Nosso Senhor, que me envia até vós, será então o fiador de minha promessa de agora; e com tal fiador vale realmente a pena capitalizardes no Alto, vossas indispensáveis, urgentes e excepcionalmente úteis nas horas que se aproximam — as vossas orações ao Senhor do Mundo em que viveis.

É o que sinceramente vos promete, e prazerosamente cumprirá, este vosso dedicado — Irmão Tomé.