Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

41. ORAI AO SENHOR DO MUNDO – Livro: As Forças do Bem.





Por maior que seja a dedicação dos Espíritos de Deus ao progresso e ao bem-estar dos Espíritos encarnados, nada poderão fazer em benefício destes, se eles não ajudarem com seu coração e pensamentos de concordância. Por maior que seja o empenho de Nosso Senhor Jesus Cristo em tentar conduzir seus guiados terrenos para o progresso espiritual, muito pouco poderá o Divino Mestre conseguir neste objetivo, se os seus guiados persistirem em viver exclusivamente a vida integrada nos interesses puramente materiais.

Por tal motivo é que foi deliberada a execução desta Grande Cruzada de Esclarecimento, com a transmissão em livro destes conselhos a toda a humanidade, como a derradeira tentativa de salvar-se os que quiserem ser salvos por sua espontânea vontade.

Ouvi, pois, amigos meus, o que vos mandou dizer o Senhor Jesus, por intermédio deste mensageiro, mas ouvi, eu vos peço, com os ouvidos do Espírito, porque é precisamente ao Espírito e não à matéria que eu venho falar. Por maiores que sejam as vossas comodidades terrenas no momento que passa, por mais tranqüila que possa ir transcorrendo a vossa vida social terrena, lembrai-vos de que as grandes tempestades quase sempre desabam após a transcorrência de dias e dias de absoluta serenidade nos horizontes da Terra.

Nunca será demasiado repetir, irmãos meus, o que ficou dito e redito em páginas passadas: — Não fora o grande, o grandíssimo amor de Nosso Senhor por todos vós, e o seu empenho em poupar-vos de sofrimentos provavelmente inenarráveis, e não estaria aqui este vosso irmão multimilenar a tentar conduzir-vos para o coração do Senhor, onde conta cada um de vós um lugar. Nosso Senhor Jesus Cristo, reuniu as Forças do Bem incumbidas de orientar e conduzir os Espíritos encarnados, e após estudados e debatidos durante longos meses e anos, os meios mais adequados à salvação de quantos filhos se encontram presentemente na Terra, foi finalmente vencedora a idéia de se divulgar em livros a serem espalhados pelo mundo, esta série de conselhos, como a melhor maneira de levar a cada um a palavra do Alto, com caráter de chamamento derradeiro e definitivo.
Designado que fui para atuar neste grande e belo país, pela circunstância de estar intimamente familiarizado com o idioma, aqui iniciei estes conselhos no primeiro sábado de setembro do ano findo — 1962 — e assim prossegui com este querido amigo durante os meses seguintes, semana após semana, não os havendo interrompido sequer um sábado, nem mesmo naquele em que se costuma reduzir ao mínimo todo o trabalho espiritual na Terra — o chamado sábado de carnaval.

Isto assim sucedeu, esta nossa tarefa assim prosseguiu, em virtude da recomendação de Nosso Senhor de que os minutos estão contados, e o “despertador não tardará a disparar”, segundo ficou dito em outro capítulo. Aproximando-me agora do fecho deste livro, para que o mesmo seja dado sem mais demora à impressão e distribuição, muito ainda desejaria dizer-vos, irmãos queridos, no sentido de poder firmar indelevelmente em vosso coração espiritual, aquela recomendação constante do Senhor: orai, irmãos meus, amigos meus; orai sincera e fervorosamente ao Senhor do Mundo em que transitoriamente viveis, porque não sendo esta a vossa verdadeira morada, necessitais de preparar vossa chegada festiva àquela que é vossa, da qual partistes para a Terra em busca de luzes para o Espírito.

Tenho em seguida uma notícia muito agradável para cada um de vós, meus queridos leitores. Nosso Senhor, de tão satisfeito com a execução que este mensageiro e seu intermediário têm dado à tarefa de grafar estes conselhos, acaba de me prometer vir Ele próprio redigir o prefácio deste livro, prefácio que tereis encontrado no lugar competente ao iniciardes a leitura. Congratulo-me sinceramente convosco, amigos meus, por este fato sem paralelo em toda a bibliografia terrena, qual seja Nosso Senhor Jesus de Nazareth ter condescendido em escrever o prefácio de um livro de conselhos, ditados por um de seus inúmeros mensageiros.

Recebei este fato sumamente auspicioso, meus queridos, como a aprovação total do Divino Salvador a tudo o que aqui foi dito em seu nome, e ainda como uma demonstração a mais de que o Nosso Amado Mestre e Senhor está bem perto de todos quantos o chamarem e pronto a atendê-los sem perda de tempo. Recebei este fato ainda, como uma confirmação do quanto vos tenho dito e recomendado, no sentido de que as vossas orações, seguidas de alguns minutos de meditação diária, penetram as camadas invisíveis que vos cercam e vão diretas ao coração do Divino Salvador.

A esta altura do presente volume, acredito poder contar com numerosos irmãos leitores que já se tornaram também meus colaboradores. A indicação deste livro aos amigos e conhecidos será recebida por este mensageiro e por Nosso Senhor como uma colaboração inestimável, porque contribuindo para a difusão destes conselhos ao maior número de irmãos encarnados, e, por conseguinte, um serviço apostolar a Nosso Senhor. Aqueles que isto fizerem de inteiro coração estarão em verdade ajudando a Grande Cruzada de Esclarecimento, e por seu trabalho espontâneo farão jus ao galardão espiritual que hão de receber um dia, das próprias mãos do Divino Mestre.

Outra recomendação necessária que não quero esquecer, meus queridos, é que muitos esclarecimentos existem nas entrelinhas deste pequeno volume. Tantas vezes seja ele relido, vosso Espírito receberá, em forma de inspiração, idéias e quadros visíveis acerca de realidades espirituais aqui apenas debuxadas. É que, a cada nova leitura, vossos Protetores espirituais aproveitarão o interesse do vosso Espírito para vos transmitir ensinamentos, idéias, e luzes que não puderam ser projetadas antes. Fazei pois isto, amigos meus; terminada a primeira leitura, descansai uma semana, por exemplo, e recomeçai outra, calmamente, com o pensamento de poderdes alcançar aquilo que não tiver sido possível alcançar ou compreender na leitura anterior. E se alguma dúvida tiverdes, não façais a menor cerimônia: chamai-me em pensamento, sempre de preferência na parte da noite, porque imediatamente estarei convosco, por mais numeroso que seja o grupo de irmãos leitores que me chamem. Um dia vós próprios experimentareis esta possibilidade de atender a grande número de chamados ao mesmo tempo, mormente quando a fonte desses chamados possui uma parte de nós mesmos, como sói ser o presente livro em relação a mim.

Ora bem, irmãos e amigos meus; antes de encerrar o presente capítulo desejo alertar-vos acerca do que poderá surgir em relação a este modesto livro, podendo vir o mesmo a ser tachado provavelmente de apócrifo. As forças do mal possuem fortes raízes na Terra, cujo progresso combatem de toda maneira. Provavelmente não faltará quem contra este livro se insurja, acusando-me e ao meu intermediário de mancomunados com as trevas. Isto pode acontecer, porém apenas servirá para provocar discussão, e, como da discussão a luz resulta, o nosso livro prevalecerá, pela elevação e oportunidade dos conselhos que divulga. E, se os conselhos são realmente bons, úteis e elevados, claro está que sua fonte também o é.

Encerrando assim o presente capítulo, aqui vos deixa uma vez mais as bênçãos do Senhor e a sua dedicação constante, este vosso amigo — Irmão Tomé.