Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

domingo, 2 de novembro de 2014

36. CONSTRUÍ VOSSO ABRIGO DEPRESSA! – Livro: As Forças do Bem.





Tudo o que cumpre à humanidade realizar é exclusivamente a sua própria preparação. Tudo o que os homens e mulheres deste momento têm a fazer é nada mais do que tratarem de se preparar desde já, sem perda de um dia sequer, para a sua partida iminente de regresso aos planos de onde vieram, e que possam fazê-lo em condições de não terem de que se arrepender quando ali aportarem. Os dias atuais são decisivos, devo repeti-lo ainda uma vez, na vida de cada ser humano na face da Terra. Não importa que alguns dos meus leitores leiam isto com ceticismo ou descrença, porque isso em nada pode modificar as circunstâncias, assim como o fato de alguém correr para debaixo de um abrigo não tem força de fazer parar a chuva. A chuva, no caso figurado, não tarda a cair sobre a face do Planeta, e bom será por conseguinte, que aqueles dos meus queridos irmãos terrenos que não quiserem molhar-se tratem de construir seu abrigo desde este momento.

Sim, um abrigo deve começar a ser construído por todos os homens e mulheres da hora presente, abrigo esse que não requer nenhuma espécie de material de construção, e muito menos dispêndio de dinheiro para que bem forte se torne, e por isso da maior eficiência. Esse abrigo, queridos irmãos, requer apenas pensamento, meditação e prece a Nosso Senhor, para que nenhum temporal possa destruí-lo. Com pensamento, meditação e prece, estarão todos os homens e mulheres ao abrigo de todos os perigos que podem vir, e virão certamente.

É com grande pesar para o meu coração que tenho registrado, em essência, os assuntos predominantes na impressionante maioria dos viventes desta e de outras grandes cidades deste belo país, nos quais se trata de tudo, tudo, menos do que em verdade se deveria tratar: do amor ao próximo, para honra e glória de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Desejo deixar bem claro, ainda uma vez, que quando menciono como fundamental para a felicidade dos encarnados a necessidade de honrar e glorificar a Nosso Senhor, não deve isto ser entendido como uma necessidade sentida pelo Divino Mestre, mas, unicamente, como um bem exclusivo para quantos o fizerem. Nosso Senhor apenas reúne em seu imenso coração os pensamentos e as preces que da Terra lhe são enviados, e logo os transforma em ajuda, proteção e auxílio àqueles que lhos enviam. Ora, se apenas um pequeno número de Espíritos encarnados se lembram de enviar pensamentos bons acompanhados da prece, da oração, a Nosso Senhor, claro está que apenas esses o Divino Salvador pode ajudar, por serem os únicos que dele precisam.

É em virtude dessa falta que muitos homens e mulheres sofrem as conseqüências de uma vida realmente difícil, quando poderiam viver tranqüilamente com aqueles que os cercam. A causa é apenas essa. Dizer que há muitas pessoas que outra coisa não fazem senão rezar, e no entanto sofrem da mesma maneira, não é contestação plausível ao que acabo de dizer. Rezar por obrigação ou profissão representa simplesmente o cumprimento de um dever livremente assumido, e por isso de mérito muito relativo. Nem Deus nem Jesus instituíram a reza como profissão, nem atribuem a ela maior valor. Deixemos porém o assunto para outro capítulo, do qual me ocuparei se para tal receber a necessária permissão do Senhor.

Assim como sucede neste planeta, também no Espaço existem Espíritos que se mantêm em estado permanente de oração, na suposição de que tal atitude agrade particularmente ao Senhor. É uma atitude absolutamente espontânea a desses Espíritos, e ninguém lhes vá dizer que em vez dessa oração permanente, mas também ineficiente, Nosso Senhor mais apreciaria uma atitude de ação e cooperação com os mensageiros do bem, no socorro que prestam ininterruptamente aos milhares de irmãos que regressam da Terra em situação de causar pena. Nosso Senhor deixa esses rezadores entregues à sua concepção, até que um dia, pelo próprio raciocínio, resolvam transformar-se em seus devotados servidores.

Dito isto, irmãos queridos, desejo agora informar-vos a respeito de algo muito sério, muito importante, para o que Nosso Divino Mestre deseja deixar-vos convenientemente preparados. Já sabeis de sobra que o corpo nada mais é do que um conjunto de células reunidas e alimentadas pelo Espírito, como o veículo de todo Espírito encarnado. A própria expressão encarnado já significa tratar-se de um veículo feito de carne, e conseqüentemente desagregável com a morte — do corpo. Deseja então Nosso Senhor informar-vos para que prevenidos estejais, de certos movimentos subterrâneos, que em maior ou menor profundidade devem começar a sentir-se em determinados pontos da Terra, como início de acontecimentos que foram previstos há mais de dois mil anos.

Serão abalos sísmicos provenientes do choque de correntes magnéticas, registrados no coração da Terra, e, assim como o fluido do vosso próprio coração se dirige a todas as partes e extremidades do corpo, os choques produzidos no coração do planeta devem atingir e ser registrados por todo o orbe em que ora vos encontrais.

Certamente que tais fenômenos provocarão, como de fato já vêm provocando de longa data, a passagem de regresso de muitos milhares de Espíritos encarnados, que hão de considerar o fato como uma grande desgraça. Nada disso, irmãos meus. Aquilo que a muitos poderá parecer uma desgraça, pode ser, bem ao contrário disso, uma graça autêntica da misericórdia divina. O essencial, portanto, é que todos vos encontreis convenientemente preparados para o regresso, a qualquer momento em que a isso sejais chamados. O essencial é que vosso Espírito se encontre em estado de perfeita harmonia com as Forças do Bem, limpo o coração de todos os prejuízos que nele se tenham abrigado, e que eu me dispenso de repetir aqui. O essencial na vida de todos os encarnados é que se habituem a considerar cada dia como o último de sua presente encarnação, e que bem poderão deitar o corpo em seu leito de repouso, para não voltarem a ocupá-lo no dia seguinte.

Não será preciso lembrar-vos casos em que conhecidos vossos se deitaram para repousar ao fim de um dia de atividades de rotina, e na manhã seguinte lá estava apenas o corpo completamente inerte. Estariam esses irmãos convenientemente preparados para a viagem de regresso ao lar espiritual? Talvez sim, e talvez não. Em face disto, o que há a fazer é bem pouco porque nenhum esforço exige: colocar-vos diariamente em contato com Nosso Senhor Jesus Cristo, que recebe em seu coração os vossos bons pensamentos e orações, e imediatamente os transforma em bênçãos e luzes para vós mesmos, os quais logo se incorporam ao vosso Espírito. E se acontecer a qualquer de vós, que esta noite venha a ser a derradeira de vossa atual encarnação, tereis preparado com o vosso coração espiritual um regresso harmonioso e feliz ao plano de onde partistes para cá.

Este vosso irmão e amigo dedicado, que tais coisas veio grafar na face da Terra, deseja que recebais estas palavras, estes conselhos e informações, como a expressão do bem que sinceramente vos deseja, e, sobretudo, como a recomendação que o coração magnânimo do Senhor determinou vos fizesse no decorrer deste livro, destinado a alcançar desusado sucesso entre os encarnados da hora presente. São conselhos e são avisos, irmãos queridos, sobre os quais vos cumpre meditar seriamente. Os fatos estão aí para confirmar as previsões. Vivei, vivei a vossa vida terrena da maneira que vos apetecer, mas orai, orai muito e meditai diariamente, porque somente vós mesmos lucrareis com isso.

Aqui se despede e vos abençoa, em nome do Senhor, o vosso dedicado amigo — Irmão Tomé.