Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

quinta-feira, 20 de junho de 2013

93ª MENSAGEM DE ENSINAMENTOS ESPIRITUAIS - Livro: Nova Ordem de Jesus - vol II




Ditada pelo Apóstolo Thomé
Em 1-5-1971
Rio de Janeiro - Brasil

DEVERES PARA COM A DIVINDADE – URGENTE PREPARAÇÃO PARA A VIDA ESPIRITUAL – ÚNICA BAGAGEM DAS ALMAS QUE PARTEM – MUITO ESPERA O SENHOR DOS HOMENS CULTOS – OPINIÃO VALIOSA SOBRE A ALMA

AS ALMAS ENCARNADAS que se encontram na Terra  e que tem levado uma vida de indiferença em relação aos seus deveres para com a Divindade, necessitam de voltar sua atenção urgentemente para esses deveres antes que seja tarde demais. São muitos milhares as almas nesta situação, infelizmente para elas, em face dos fatos que se estão positivando por toda parte. Almas que esperaram decênios e decênios no mundo espiritual pela sua vez de reencarnarem, necessitadas e desejosas de adquirir novas luzes espirituais ao longo de mais uma vida terrena, de tal modo se esqueceram desse objetivo que se encontram agora na iminência de regressar ao mundo espiritual na mesma situação em que desceram à Terra. 

Esta observação do Senhor Jesus muito O tem preocupado, porque o Seu grande desejo é verificar o progresso continuado de todas as almas que descem à Terra. Examinando o fato em suas origens, o Senhor Jesus tem verificado que tal situação se deve em boa parte à insuficiência dos ensinamentos religiosos que não conseguem despertar o verdadeiro interesse das criaturas pelo seu adiantamento espiritual.

Agora, porém, com a presença do Senhor no solo terreno e a divulgação dos conselhos e ensinamentos constantes das obras da Grande Cruzada de Esclarecimento ampliadas através destas Mensagens, espera o Senhor Jesus despertar as atenções de todas as almas pelo seu verdadeiro interesse espiritual. 

O conhecimento das leis que regem a vida espiritual no Universo é de tal modo necessário e útil a todos os seres humanos, que o Senhor Jesus acredita que homens e mulheres se voltem imediatamente para ele, muito especialmente as pessoas de mentalidade amadurecida. Daí o empenho do Senhor Jesus em recomendar a todos os homens e mulheres a necessidade de se prepararem convenientemente para a vida espiritual, na qual deverão permanecer por mais de um século ao findarem a sua presente encarnação. 

E se assim é em verdade, está no próprio interesse de todas as almas encarnadas se familiarizarem com os ensinamentos espiritualistas desde agora, a fim de melhorarem o patrimônio que deixaram no Alto ao descerem à Terra.

A ignorância longamente disseminada entre muitos seres humanos, sentenciava que o que as criaturas levam da Terra ao se desligarem do corpo, era apenas o que houvessem aproveitado materialmente. Tal sentença, de tão grosseira e mentirosa, satisfazia aos menos capazes de raciocinar, os quais se deixavam entregues a uma vivência em tudo semelhante à dos irracionais. A verdade é outra, muito diferente, porquanto do que se comeu e gozou ninguém leva a menor partícula em sua bagagem espiritual ao regressar da Terra. A única bagagem que as almas conduzem ao desencarnarem, consiste exclusivamente das obras meritórias que tiverem podido praticar em benefício dos seus contemporâneos, e o produto das orações que tiverem dirigido à Divindade durante sua permanência no corpo.

Este tipo de bagagem nenhum trabalho dá a conduzir por ser constituída de luzes e bênçãos aderidas à personalidade espiritual das almas que partem da Terra. Assim explicada a situação de todas as almas que se encontram na Terra desfrutando uma nova encarnação, e advertidas de quanto possa suceder-lhes se nada fizerem pelo seu adiantamento espiritual, o objetivo único de sua vinda à Terra, espera o Senhor Jesus que todas recebam Sua palavra com a devida consideração e se  disponham a recuperar os longos anos perdidos em busca de interesses puramente materiais. 

Já foi dito pelo Senhor que muitos milhões de almas se preparam para descer à Terra após um estágio mais ou menos longo no mundo espiritual, e isto determinará que aquelas que se encontram presentemente encarnadas não possam voltar à Terra nos próximos duzentos anos. Esta informação do Senhor Jesus é perfeitamente exata, e deve servir de reforço a quanto o Senhor tem escrito acerca da necessidade de todas as almas presentemente encarnadas se empenharem na aquisição das luzes que vierem buscar na Terra.

O Senhor Jesus tem verificado com certa melancolia, que homens possuidores de regular cultura material, inclusive o grau universitário, se manifestem desfavoravelmente em relação às leis espiritualistas e sua atuação na vida de todas as criaturas. O Senhor lamenta que tal aconteça porque isso denota o longo caminho que esses homens ainda têm a percorrer até que cheguem a descobrir a luz da verdade. Esses homens que assim se manifestam, não tiveram oportunidade de manusear boas obras espiritualistas, ou se o fizeram não lhes dedicaram a devida atenção. Como, entretanto, todos hão de ter a sua oportunidade, o Senhor espera que esses filhos encontrem o caminho que os conduza um dia à meta da sua felicidade espiritual.

A propósito, deseja o Senhor Jesus, relatar um fato bastante expressivo, verificado em algum ponto do mundo espiritual, não faz ainda muito tempo. Ali se encontravam reunidos vários Espíritos que haviam adquirido na Terra uma sólida cultura material, mas nada haviam aprendido em torno da vida espiritual. 

Encontravam-se reunidos precisamente para debater o assunto-alma do qual tanto se falava no plano em que ora viviam. Com a palavra o Espírito de antigo professor de ciências positivas na Terra, declarava que bem estranho lhe parecia falar-se na existência da alma, visto como em sua longa vivência na Terra jamais a havia encontrado. Que seus colegas presentes dessem então cada qual o seu depoimento. 

Com a palavra o Espírito de um médico encanecido no exercício da profissão de curar os corpos doentes, declarou que se empenhou em toda a sua carreira em procurar descobrir a alma nos doentes que faleciam, num minucioso trabalho de pesquisa, mas sempre com resultados negativos. Informou inclusive que nesta pesquisa chegou a pesar doentes em estado gravíssimo, e também após o falecimento, tendo constatado invariavelmente o mesmo peso. Concluíra, portanto, com outros colegas, pela inexistência da alma em tais circunstâncias.

Usou da palavra em seguida o Espírito de antigo professor de química em vários centros de estudos e pesquisas da Terra, ufanando-se de haver preparado nessa matéria algumas dezenas de milhares de estudantes, já então desempenhando função de mestres na especialidade. Essa  Entidade concordava com os colegas que a haviam precedido em que a afirmação da existência da alma nas criaturas humanas não passava de uma afirmativa falaz e, portanto, destituída de fundamento.

Nessa altura da reunião surgiu ao lado dos circunstantes uma Entidade de grande luminosidade cuja presença a todos surpreendeu. A Entidade apressou-se em tranqüilizar aqueles Espíritos de homens sábios, dizendo-lhes que ouvira de longe o assunto em debate, o qual muito lhe interessara e por isso se transportara até o local da reunião. Pedia, então, permissão para participar de tão importante assunto. 

O mais velho do grupo a julgar pelo seu aspecto octogenário, falando em nome dos companheiros declarou bem-vinda a Entidade, e expôs sucintamente o que havia sido dito até ali a respeito da alegada existência da alma nas criaturas humanas. Pediu em seguida à Entidade recém-chegada a sua opinião a respeito de tão sugestivo assunto. 

A Entidade recém-chegada após agradecer a honrosa acolhida de tão ilustres personalidades, assim se manifestou: – Já que me pedis a minha opinião a respeito da alma eu vou emiti-la, com o meu pedido antecipado das vossas desculpas, se acaso discordar da vossa opinião. Para começar eu vos direi que eu e todos vós somos almas, sempre o fomos, e sê-lo-emos eternamente. Nossa criação originou-se de uma simples idéia na Mente Divina, tendo nós permanecido milênios de milênios no cosmo, numa inconsciência completa de nossa própria existência, enquanto instintivamente tratávamos de agregar matéria cósmica à simples centelha que éramos então. A certa altura da nossa existência de simples luminosidade no imponderável, recebemos a graça do sopro do Criador e então nos tornamos seres imateriais em crescimento na imensidade do cosmo, vivendo uma existência muito semelhante à da própria luz que também ignora a sua existência. 

Decorreram daí alguns milhões de milhões de anos durante os quais nos foi permitido reunir um mínimo de substância que nos trasladou a determinado plano físico, onde perambulamos novos milênios de milênios até que, tendo percorrido toda a escala de vida a nossa frente, alcançamos a forma humana ainda bastante imperfeita em mundos dos quais todos já perdemos a memória.

Chegando por fim ao tipo humano mais perfeito que conhecemos, fomos conduzidos ao planeta terreno, no qual cada um de nós na altura em que nos encontramos agora, deve ter vivido nunca menos de doze a quinze mil anos de encarnações e encarnações de aprendizado. Agora, dir-vos-ei eu para vossa maior surpresa, que tanto eu como cada um de vós somos almas agora desencarnadas, após havermos percorrido a longa trajetória de que vos falei.

Dir-vos-ei ainda que não há necessidade de procurar a alma através da autópsia como acabou de relatar um de vós, porque a alma é a primeira a deixar o corpo quando o mesmo morre. Pena é que as escolas e universidades da Terra não expliquem isto aos alunos, preparando-os para viverem uma existência de plena harmonia com as leis espirituais, ao invés de preparar homens como vós fostes, absolutamente ignorantes da existência da alma, que é o elemento inteligente em todas as criaturas. 

Ficais então sabendo desde agora que é a alma que constrói o corpo humano desde o ventre materno, o veículo que ela deve usar durante a sua permanência no solo terreno. Quando esse corpo enferma e tem necessidade de médico, consequência  é de alguma infração alimentar da responsabilidade da alma, ou de excesso a que haja submetido o organismo. 

Examinai-vos atentamente – prosseguiu – e verificareis a fluidez de vosso corpo atual muito diferente daquele que deixaste na Terra. Hoje todos nós somos Espíritos – almas desencarnadas – em fase de assimilação de quanto aprendemos em nossa última estada no corpo físico, enquanto nos preparamos para novo mergulho na carne quando isso nos for determinado.

Sabeis agora, estimados irmãos, o que vem a ser a alma? Todos os presentes reverenciaram a Entidade recém-chegada, em sinal de agradecimento pela bela explicação acerca da alma.