Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

128ª MENSAGEM DE ENSINAMENTOS ESPIRITUAIS - Livro: Nova Ordem de Jesus Vol II Ditada pelo Apóstolo Thomé a Diamantino Coelho Fernandes Em 29-8-1971 Rio de Janeiro - Brasil IDADE DO MUNDO TERRENO – TRABALHO DAS GERAÇÕES PASSADAS – NECESSÁRIO RETOCAR A ESTRUTURA FÍSICA – FENÔMENOS TELÚRICOS NA ÁSIA, ORIENTE MÉDIO E EUROPA – TRANSFERÊNCIA DE ALGUNS MARES – ESPORTE CONDENÁVEL DE CAÇAR


O MUNDO TERRENO aproxima-se dos seus oitocentos milhões de anos, desde o resfriamento de sua superfície, quando seu solo pôde receber e germinar a semente de várias plantas, graças às quais se iniciou a produção do oxigênio necessário à vida dos primeiros seres animais. Estes se estabeleceram primeiro nas águas e nelas se desenvolveram durante milênios, até que a superfície terrena permitiu a vinda dos primeiros seres humanos. 

A Terra assim prosseguiu alimentando sua reduzida população de seres humanos e os animais para aqui transportados de outros planetas para fazerem companhia ao homem. A este coube a tarefa de condicionar o solo às suas necessidades, o que foi progredindo com o decorrer dos séculos e milênios até a era atual, muito se devendo em verdade aos esforços e a inteligência das numerosas gerações que evoluíram neste pequeno planeta.

Chegou, então, um momento histórico na vida deste planeta, em que se tornou necessário retocar a sua estrutura física, para que uma população de até 10 bilhões possa instalar-se no solo terreno e aqui desenvolver-se espiritualmente como se faz necessário. Considerando as necessidades alimentares dessa população, uma reforma se impõe na atual estrutura física do planeta, com a demolição de várias elevações montanhosas e sua transformação em campos de produção de alimentos. Isto é tanto mais importante, ao ter-se em conta a redução continuada da utilização da carne como alimento dos seres humanos, e sua preferência pelos produtos do solo, de maior índice nutritivo e sua decidida influência na maior duração da vida humana. O assunto foi longamente estudado no mundo espiritual a partir do século XVI, quando as previsões espirituais passaram a considerar a insuficiência dos alimentos produzidos pelo solo terreno para atender ao crescimento constante da população de almas encarnadas. As Forças Superiores iniciaram desde então os estudos necessários a elaboração dos planos a serem executados na superfície da Terra, anotando todos os detalhes que devem ser atingidos. Desses estudos resultou a deliberação de se demolirem numerosas elevações montanhosas existentes, principalmente nos países orientais, onde o índice populacional vem crescendo notavelmente, minguando por toda parte a produção de alimentos suficientes. Nestas condições os trabalhos transformatórios estão sendo iniciados pelas montanhas do continente asiático, onde muito há o que fazer segundo os planos elaborados pelas Forças Superiores. Não vos surpreendais portanto, estimados leitores, ao receberdes notícias da ocorrência de abalos sísmicos ou fenômenos telúricos naquelas regiões orientais, porque tudo quanto ali ocorrer obedece a planos estabelecidos pelas Forças Superiores. Não só entretanto, tais fenômenos ocorrerão nos países asiáticos. Fenômenos idênticos estão destinados a ocorrer também no Oriente Médio e na Europa, onde os espaços úteis à produção de alimentos estão completamente utilizados. Bem certo é que a Europa, de tão densamente populosa não oferece grandes margens de reforma topográficas; contudo; algo deverá ser feito nessa região no sentido de beneficiá-la também com novas e amplas áreas de aproveitamento.

Não é pensamento do Senhor Jesus anunciar nestas Mensagens quais as regiões a serem atingidas pelos trabalhos planificados, os quais deverão estender-se a toda a superfície do planeta, mais intensamente numas regiões do que em outras. Não deseja o Senhor Jesus alarmar nenhuma parcela das populações do planeta, antes de assegurar a todas que Ele próprio estará presente onde quer que os trabalhos em curso se realizem, que de um modo geral, porém, podem os habitantes atuais da Terra esperar grandes modificações em toda a estrutura física do planeta, inclusive a transferência de alguns mares para outros locais ou regiões da Terra. Como se fará isso? – poderá perguntar algum dos estimados leitores. O Senhor esclarece que, por efeito da ocorrência de algum fenômeno telúrico de grande intensidade, poderá ou deverá suceder uma abertura na profundidade de algum dos mares que conheceis, através da qual as águas se escoarão, deixando a descoberto o fundo do mar atingido. Suas águas porém, mais ou menos volumosas permanecerão na estrutura do planeta, devendo aparecer noutro local previamente escolhido para as receber, e então surgirá um novo oceano onde só existiam planícies. Possivelmente, outrossim, desaparecerão sob as águas algumas porções de terra presentemente à superfície, por efeito dos fenômenos telúricos que as poderão atingir pela base. As populações dessas porções de terra receberão pronta assistência das Forças Superiores do mundo espiritual, e aquelas almas cujos corpos perecerem serão carinhosamente conduzidas aos respectivos planos no mundo espiritual. Muitos dos habitantes atuais que devem permanecer na Terra estão recebendo desde algum tempo a idéia de se transferirem para outros locais, escapando dessa maneira aos acontecimentos programados para a região onde residam.

As operações planificadas devem completar as transformações da estrutura terrena com grandes benefícios para a sua população. As ocorrências determinadas por essas operações sê-lo-ão exclusivamente para o bem do progresso espiritual das almas que partirem por efeito das mesmas, porque logo voltarão à Terra em novas encarnações compensativas, promovidas pelas Forças Superiores.

O Senhor Jesus agora instalado no solo terreno com sua numerosa equipe de assessores espirituais, mantém-se atento aos acontecimentos em curso com o fim de superintender o quanto se torne necessário ao conforto e bem-estar de toda a população da Terra. Igualmente está atento o Senhor Jesus ao processo de socorro a ser prestado a todas as almas que dele necessitarem, quer que se trate de almas encarnadas ou desencarnadas por efeito dos acontecimentos verificados no solo terreno. Apenas deseja o Senhor poder contar com a cooperação de todas as almas no seu próprio benefício, que é a implantação da fé em seus corações em virtude de suas orações diárias à Divindade. Sem essa cooperação espontânea, pode suceder que tanto as almas encarnadas como as desencarnadas venham a enfrentar dificuldades de socorro e salvamento pelas caravanas socorristas, como o Senhor Jesus tem explicado em Suas Mensagens. Mas o Senhor Jesus espera que a Sua recomendação insistente tenha sido posta em prática por todos os leitores destas Mensagens no seu próprio e exclusivo benefício.

Em seguida o Senhor Jesus tratará de assunto igualmente interessante para todas as almas encarnadas, que é o seguinte: – O Senhor tem observado em suas visitas freqüentes a diversas regiões do solo terreno, uma prática mais ou menos generalizada por parte dos homens dessas regiões, da qual nenhum bem ou felicidade lhes pode resultar. Trata-se para eles de uma modalidade de esporte ou passatempo, sobre o qual o Senhor deseja dizer algumas palavras ao coração dos homens que assim se deleitam. Trata-se do hábito condenável dos homens de se dirigirem ao campo munidos de sua arma de caça para abaterem as aves que nele vivem, algumas de bem pequeno porte, cuja carne não pode fornecer a esses caçadores nenhuma parcela substancial de alimento. O Senhor Jesus condena firmemente esse processo de tirar a vida desses alegres companheiros da vivência humana, seres igualmente em processo de evolução como o homem, a quem eles procuram alegrar com seu canto mavioso ou estridente, segundo a espécie. Roga então o Senhor a todos os homens que a tal esporte se entregarem, que considerem este fato: estando ausentes do lar nos seus trabalhos costumeiros, notassem ao regressar, a falta de sua companheira ou de algum dos filhos, por terem sido arrebatados do lar ou imediações por alguma espécie de indivíduos desprovidos de sentimentos humanitários. Sua dor seria certamente pungente, mas irremediável ante a perda do ente querido. Coloquem o caso no que sucede às pobres avezinhas ao constatarem fato semelhante ocorrido com seus descendentes ou com elas próprias, atingidas pela carga mortífera de uma espingarda manejada pelo homem, um ser muito mais evoluído, porém desumano e cruel. Que os homens de todo o mundo cessem esse esporte condenável de abaterem seus irmãos menores que ainda vivem a categoria das aves libertas em sua fase evolutiva. Ao contrário de as abaterem, procurem os homens ajudá-las no que puderem, atraindo-as por meio do alimento, e elas os rodearão e lhes alegrarão a vida com a maviosidade do seu canto canoro ou estridente, tal seja a especialidade de sua classe. Isto redundará numa nova alegria para a vida humana em todo o mundo, e os homens se sentirão felizes em poder contar com a simpatia e amizade das grandes e pequenas aves dos arredores. Olhem então para essas belas avezinhas como seres da criação como eles próprios, em busca de novos índices de progresso evolutivo, lembrando-se os homens de hoje haverem passado por igual fase em sua longínqüa trajetória. Sim, estimados leitores, todos vós que possuis uma consciência esclarecida e palmilhais a senda luminosa do vosso adiantamento na escala espiritual, todos vós já percorrestes a escala a que pertencem as aves que vos deliciam com seu canto mavioso, desde a manhã e pelo dia inteiro, pousadas nas árvores dos vossos jardins ou arredores. Recebei o canto dessas aves amigas como uma saudação que elas vos dirigem dos seus corações, um delicado cumprimento pelo aparecimento de um novo dia de felicidade e amor a toda a criação. Olhai para as aves do campo com amor igual ao dos vossos filhos, e tratai de as proteger contra os perigos que elas correm no plano de vida em que se encontram. Alimentai-as até se puderdes todas as manhãs, e vereis como as mesmas se aproximam e confiam em vós. A Divindade ficar-vos-á agradecida pelo que de bom puderdes fazer pelas aves do campo, uma espécie de caridade e amor ao próximo que desconheceis. Destruí-las por mero prazer esportivo? Jamais estimados irmãos!