Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

terça-feira, 13 de setembro de 2016

CAPÍTULO XXXVII - O PROGRESSO ATRAVÉS DA PRECE - Livro: Derradeira Chamada. Psicografado por Diamantino Coelho Fernandes. Ditado pelo Irmão Thomé.




Os dias que estais vivendo em vossa presente encarnação, prometem assinalar vários capítulos a serem acrescentados à vossa História Universal. Serão capítulos nos quais os porvindouros encontrarão matéria de estudo e meditação para esclarecimento de seus Espíritos. Efetivamente, amigos meus, os fatos que se produzirão, estão destinados a registrar o transcurso da presente civilização. Tempo de sobra decorreu, para que a civilização presente se emancipasse completamente dos primitivos defeitos, e ingressasse na desejada fase do seu progresso espiritual. 

Para isso não faltaram instrutores nem profetas em todas as latitudes a repetir o chamamento do Senhor, para sua exclusiva felicidade. Mau grado porém os sacrifícios feitos por todos os enviados do Senhor, o progresso alcançado pelos Espíritos encarnados ficou bastante aquém do mínimo previsto pelo Senhor Jesus. 

E como já sabeis que os tempos não podem esperar, eis que se tomou necessário aceitar o fato consumado, e impulsionar a marcha dos tempos novos com toda a pujança da sua força renovadora. Estas palavras um tanto metafísicas, refletem o bastante para que possais capacitar-vos das realidades próximas, a se positivarem em todos os quadrantes da Terra. 

Estudai-as cuidadosamente, e delas tirareis cada um as suas conclusões para proveito vosso. Não existe de minha parte senão o desejo, muito sincero de que todos se identifiquem de tal maneira com o sentido que minhas palavras traduzem a ponto de as assimilarem tão profundamente, quão profundo é o meu empenho em contribuir para a vossa próxima salvação espiritual. 

Apreciando do plano em que vivo, o panorama que na Terra se está formando em consequência dos esforços desenvolvidos por todos os enviados do Senhor, já admito a possibilidade de que apenas um reduzido numero de encarnados, por teimosia apenas, virá a sentir-se em dificuldades mais ou menos sérias, ao desprender-se do seu invólucro atual. 

Mesmo que vossa mente não o registre, vosso Espírito está recebendo integralmente o sentido exato destas palavras, e isso muito servirá a todos no momento dado. Meus irmãos queridos; se adivinhar pudésseis  enquanto na carne, o que de belo, maravilhoso, podereis encontrar ao partirdes da Terra se preparados estiverdes, estou certo de que saberíeis aproveitar todos os vossos minutos disponíveis para vos preparardes. 

A propósito vou contar-vos uma pequena história. Fui certa vez designado com mais alguns companheiros para uma caravana, destinada a visitar irmãos desencarnados que jaziam , é bem o termo, numa região onde pouco podiam enxergar à sua volta, dada a pouca luminosidade de seus Espíritos, recalcitrantes à oração e à fé. 

Aproximando-nos de modo invisível para eles, em face da ausência de desenvolvimento espiritual em que se mantinham, procuramos sondar seus pensamentos e anseios, a fim de orientar nosso trabalho assistencial. Notamos então que todos registravam, como anseio principal, uma nova reencarnação na Terra, onde pudessem continuar a expansão de seus instintos materiais. 

Firmados nesta ordem de pensamentos, iniciamos nosso trabalho indagando daqueles pobres irmãos se realmente aspiravam a novo mergulho na carne, dizendo-lhes que em tal caso isso poderia ser conseguido, mediante certas condições. 

Nossos irmãos prontamente quiseram conhecer as condições em que poderiam reencarnar, e nós, seguros já de sua atenção, assim lhes falamos: -

Irmãos queridos: na qualidade de enviados de Nosso Senhor Jesus até vós, estamos autorizados a proporcionar-vos nova e próxima reencarnação na Terra, desde que possais manifestar verdadeiro interesse em realizá-la. 

- Falai então, falai logo! - responderam aqueles pobres irmãos, acrescentando: - Estamos prontos a fazer o que nos disserdes, para conseguirmos realizar esse anseio de alguns séculos. Falai então! 

– Bem, irmãos queridos - prosseguimos. A condição primordial para que possais reencarnar, é a aquisição de um pouco de luz, para que possais orientar-vos na Terra, visto ser ainda demasiado débil a chama que possuís. Vosso passado denota que jamais vos dispusestes à conquista da Divina Luz por meio da oração sincera partida do coração, do que resultou encontrar-vos ainda mergulhados nas trevas que vos rodeiam.

Falai, falai logo! Nós queremos reencarnar! - gritavam aqueles irmãos. Que temos então a fazer? Falai depressa! - insistiam todos ao mesmo tempo. 

- Pois bem queridos irmãos se estais sinceramente desejosos de voltar à Terra para uma reencarnação que possa elevar-vos à categoria de Espíritos bem-aventurados, devereis iniciar a partir de agora a prática seguinte, reparai bem: mudais a partir deste momento a prática da oração ao Senhor Jesus, Nosso Divino Salvador e Amigo de todas as horas, tanto dos Espíritos que vivem na luz como dos que vivem na treva, e pedi-lhe de todo o coração que vos ilumine em vossa situação presente. Repeti essa oração quantas vezes puderdes, pelo menos três vezes ao dia, e aguardai os resultados, irmãos queridos. 

Como referissem quase todos aqueles Espíritos, que eram muitos, que jamais haviam orado, desconhecendo assim a maneira de se dirigirem ao Senhor, fornecemos-lhes as fórmulas mais simples de o fazerem, e prometemos voltar a vê-los dentro de alguns dias. Despedimo-nos deles, porém continuamos a observá-los.

Dado o grande empenho de conseguirem um novo mergulho na carne, e informados da maneira de conseguirem a realização desse desejo, alguns daqueles irmãos ensaiaram imediatamente uma fórmula de oração a Nosso Senhor Jesus, enquanto os demais, ou se manifestavam céticos a esse respeito, ou se mantinham numa atitude de indiferença. 

Retiramo-nos do local elevando nós próprios uma prece fervorosa a Nosso Senhor em favor daqueles pobres irmãos. Passados cerca de trinta dias empreendemos segunda visita ao plano daqueles Espíritos, e ali pudemos verificar um progresso bastante sensível na grande maioria. Eles haviam experimentado pôr em prática a oração ao Senhor visando à consecução do seu objetivo.

Verificamos que um círculo luminoso se alongava em torno do numeroso grupo de Espíritos estagiados, ao mesmo tempo em que de suas mentes se projetavam pequenos reflexos da fé que começava a implantar-se naqueles corações. Saudamo-los com o nosso mais puro sentimento de amor, felicitando-os em seguida pelo progresso alcançado desde a nossa primeira visita. Ouvimos então palavras que muito nos sensibilizaram, ao constatarmos o progresso alcançado através da prece, mercê da qual uma espécie de luar começava a iluminar a noite secular em que viviam mergulhados. 

Novas e numerosas visitas nossa caravana repetiu ao plano daqueles nossos irmãos, verificando em todas elas o verdadeiro milagre operado por meio da prece. O progresso alcançado, lenta porém seguramente através da oração, produziu na maioria daqueles Espíritos um efeito que, não sendo de surpreender porque esperado, levou numerosos deles à sua transferência a um plano imediatamente superior, onde a sua iluminação se acentuou verdadeiramente. 

Alguns daqueles Espíritos de tal modo se habituaram à prática da oração duas e três vezes ao dia, que passaram a praticá-la também no início e no fim de suas ocupações. Tenho hoje a satisfação de dizer-vos, meus estimados irmãos, que o prosseguimento do hábito altamente salutar da oração ao Senhor, impulsionou de tal maneira o progresso espiritual da grande maioria dos Espíritos em referência, que muitos deles se encontram entre vós, ou sereis mesmo alguns deles, a quem muito prezo e estimo como irmãos aplicados e bons, que todos então vos revelastes. Que Nosso Senhor vos ilumine, pois, hoje e sempre.