Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

CAPÍTULO LIX - TORNAI-VOS CULTORES DA VERDADE - Livro: Derradeira Chamada. Psicografado por Diamantino Coelho Fernandes. Ditado pelo Irmão Thomé.




Aproximando-se o encerramento deste volume, no qual procurei ampliar para os meus queridos irmãos leitores, vários dos temas apenas tocados no meu primeiro livro, desejo oferecer a todos nestas páginas finais tudo quanto possa contribuir para a construção da vossa verdadeira felicidade no mundo espiritual, onde haveis todos de reingressar em breves tempos. 

Pela designação de "breves tempos" não desejo significar que se aproxime de cada um dos meus leitores, o dia do seu regresso ao plano espiritual donde veio à Terra, mas apenas me refiro a uma Lei que conduz da Terra para o Além, e do Além para a Terra, todas as almas em busca do seu progresso espiritual. 

Não sendo os meus leitores apenas pessoas de idade avançada, mas também jovens que se interessam pelos conselhos que Nosso Senhor Jesus me recomendou trazer à Terra, partirá cada qual a seu tempo, quando a Lei determinar que isto aconteça. O que desejo salientar uma vez mais, para tranquilidade de todos, é o fato de que o regresso da Terra nunca deve ser encarado com melancolia por quantos se habituaram a orar e meditar diariamente, antes pelo contrário, deve ser encarado pelos encarnados com alegria semelhante à do aluno que vê encerrar-se mais um ano letivo e vai regressar ao lar, onde o esperam de braços abertos e sorridentes todos os seus queridos que lá deixou. Esta é a melhor maneira de encarardes a vida terrena, porque em verdade ela nada mais é do que uma estada a mais nesta escola de aprimoramento moral, cujo certificado a apresentar aos vossos maiores do Alto, estará evidente na luminosidade do vosso Espírito. 

Nosso Senhor Jesus acaba de recomendar-me o breve encerramento deste segundo volume, por lhe parecer que o que dele consta é suficiente para conduzir vossos belos Espíritos a planos mais elevados do que aqueles donde viestes em vossa presente encarnação. Com o próximo encerramento eu terei novo encargo a desempenhar em companhia deste meu estimado amigo que me serve de intermediário na execução do plano traçado por ambos, sob as vistas do Senhor, qual seja o desdobramento da Grande Cruzada de Esclarecimento que deve ser levada a todos os recantos deste grande e belo país. 

Queria merecer então de todos os meus queridos irmãos leitores uma valiosa cooperação neste sentido, que seria dirigir-se cada um a seus amigos mais chegados, residentes por aí em fora, e falar-lhes neste livro extraordinário que é ditado em verdade pelo mais humilde dos apóstolos do Senhor. E feito isso, oferecer-se para lhes remeter o volume se o não houver na cidade onde viverem esses amigos, desempenhando desta forma uma verdadeira tarefa de cooperação no desdobramento desta Grande Cruzada, antes que os tempos previstos se positivem. 

A seguir desejo apresentar-vos um novo assunto para o vosso desenvolvimento espiritual, numa preparação que a todos interessa fazer para a sua felicidade. O assunto de hoje prende-se ao hábito bastante arraigado entre os seres humanos, o qual se apresenta a todos como coisa natural na Terra, mas que em verdade constitui um prejuízo bem sério à vida terrena. Refiro-me ao hábito aparentemente inofensivo de dizer uma coisa por outra, o que vale dizer, de ocultar a verdade por conveniência própria. Isto sucede diariamente e em tal magnitude entre os encarnados, que poucas são as pessoas que usam dizer só a verdade. É tudo uma questão de correção moral e nada mais. Um filho da Terra que se disponha a ser verdadeiro em todos os seus atos, palavras, pensamentos e ações, é um filho que terá avançado séculos em sua evolução. O uso da verdade em todos os atos e contatos com os semelhantes, pode ser comparado ao metal antes enferrujado, que haja recebido um processo de cromação e se apresente então com todo o brilho adquirido nesse processo. O mesmo se dará com o encarnado que, mergulhado como muitos no velho hábito de dizer uma coisa por outra, se ponha a tornar-se um cultor intransigente da verdade, e seu Espírito passará a refletir todo o brilho resultante de seu cultivo da verdade. Sua luz espiritual, antes incerta ou bruxuleante, tornar-se-á positiva, brilhante, denotando a existência duma inteireza de caráter nesse Espírito encarnado. 

A adoção de uma atitude assim, além de dignificar desde logo a própria pessoa humana em seu meio social, contribui decisivamente para a elevação desse Espírito à honrosa categoria de Espíritos Radiosos, que são todos os auxiliares graduados de Nosso Senhor Jesus. É preciso que essa reforma se processe sem tardança em todos os Espíritos encarnados, começando pelas coisas mais simples para atingir as mais importantes. Para que um homem ou uma mulher se disponham a proceder assim, eles firmam-se desde logo no principio de que para só dizer a verdade em todas as circunstâncias, muitas coisas que antes poderiam fazer e ocultar pela palavra, já as não farão mais, o que por outras palavras significa dizer que passam a viver uma vida absolutamente limpa, correta em todos os sentidos. Será isto porventura difícil, irmãos e amigos meus? Eu respondo que não é, porque o hábito de bem proceder radica-se de tal maneira à personalidade, o que vale dizer ao Espírito, que este nada mais aceita do que não estiver em perfeita harmonia com esta sua característica. 

Agora o outro lado da medalha, como costumais dizer na Terra. Os Espíritos que venceram o hábito da mentira na Terra, ainda que de pequena monta, constroem uma tal fortaleza moral para si próprios, que são capazes de resistir e vencer a todas as tentativas que possam surgir-lhes, tanto no presente como no futuro, para transigirem com toda espécie de maldade que tente defrontá-los. Nosso Senhor recomendou-me apresentar-vos o assunto neste capítulo, a fim de que possais preparar-vos para ingressar no serviço divino ainda na Terra, pela necessidade que tem de agremiar Espíritos valorosos desde agora em Suas tarefas redentoras na Terra. Cumprindo com alegria esta recomendação do Senhor quero acreditar que o Divino Mestre poderá contar para esse mister com noventa e nove por cento dos meus leitores e muito estimados irmãos. E por que não com a totalidade deles? - perguntareis. A unanimidade em si não existe em parte alguma do Universo, meus queridos. Sabeis todos vós por tradição, que entre os próprios Anjos houve discordância, por motivos também vossos conhecidos, da qual resultou essa aluvião de males e sofrimentos que tanto afetam os Espíritos encarnados. Não sendo iguais as idades nem as experiências por que hajam passado os Espíritos encarnados, e sendo também diferentes os interesses e pontos da vista de cada um, eu quero admitir que haja um leitor em cada cem que prefira esperar os acontecimentos para então se decidir. Tenho entretanto a certeza de que esses, com o perpassar dos meses ou anos, e após meditarem seriamente no que aí fica, também se decidirão pela aceitação dos meus conselhos, que pertencem antes ao Nosso Divino Mestre Jesus, o Guia Máximo da humanidade terrena. 

Assim sendo, eu desejo reservar-me a agradável surpresa que encherá da mais pura alegria o meu coração, assim como o do Senhor Jesus, ao constatar que não apenas os noventa e nove por cento previstos, porém a totalidade dos meus queridos irmãos leitores adotou os meus conselhos, e então poderá Nosso Divino Mestre e Senhor contar com a mais numerosa equipe de servidores na Terra que jamais fora possível reunir. Será isto possível então? Devo confessar de todo o meu coração que não será apenas possível, mas sim uma realidade verdadeira, para a alegria e maior felicidade de todos vós. Que Nosso Senhor vos abençoe e ilumine, pois.