Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

sábado, 18 de maio de 2013

75ª mensagem de ensinos espirituais - Livro: Nova Ordem de Jesus - Vol I



Ditada pelo Apóstolo Thomé
Em 27-2-1971
Rio de Janeiro - Brasil

OS FATOS QUE SE ESTÃO VERIFICANDO OBEDECEM A UMA PREVISÃO DE MUITOS DECÊNIOS – MUITAS DAS ALMAS ATINGIDAS VOLTARÃO EM BREVE À TERRA – RAZÃO DE ALGUMAS DESENCARNAÇÕES DE ENTES QUERIDOS – O SENTIDO DA VIDA UNIVERSAL

OS FATOS QUE SE ESTÃO VERIFICANDO em diversas regiões deste mundo terreno, dos quais têm resultado algumas dezenas de desencarnações, não estão acontecendo ao acaso, como a muitas pessoas possa parecer, mas ocorrendo dentro de uma previsão de muitos decênios. 

Tais fatos fazem parte do planejamento feito pelas Forças Superiores destinado a melhorar as condições gerais da vida terrena. Isto vem sendo divulgado desde muito através de livros e mensagens trazidos do Alto por determinação do Senhor, e agora confirmado através destas Mensagens da NOVA ORDEM DE JESUS.

A circunstância de se registrarem desencarnações em número avultado em conseqüência dos fatos que se estão verificando por toda a parte, em nada prejudica as almas que regressam ao mundo espiritual, porque todas elas serão largamente recompensadas pela perda do veículo deixado na Terra, devendo muitas delas, as que desencarnaram em tenra idade, voltar em breve à Terra para construírem novos veículos físicos.

Dir-se-á porventura que os progenitores das crianças e jovens assim desencarnados ficaram inconsoláveis para sempre, e a volta desses filhos em outros lares em nada os recompensará. A esse raciocínio responde o Senhor Jesus, esclarecendo que a vida terrena, como parte da vida universal,
não está ligada ao pequeno círculo familiar das almas nele encarnadas, mas à generalidade da humanidade terrena. 

As almas atingidas pelos acontecimentos verificados no solo terreno, ao desencarnarem se dirigem diretamente ao núcleo espiritual a que pertencem, e nele se reintegram. Verificada a necessidade de voltarem ao solo terreno, isso se dará dentro de um maior ou menor prazo, e de preferência a reencarnarem nos lares que aqui deixaram, se possibilidades houver de que isso aconteça, e tem acontecido em muitos casos.

O que aos pais deve consolar, nos casos de perderem os filhos que partirem, é a convicção de não haverem contribuído para isso, por haverem-nos cercado do conforto e segurança que lhes puderam proporcionar. Sabe-se que os filhos não constituem propriedade dos pais, porque são almas irmãs, distribuídas aos lares terrenos pelas Forças Superiores que superintendem a vida na Terra.

Assim, se um membro de qualquer lar terreno é chamado de regresso ao mundo espiritual, seja na infância, juventude ou mocidade, isso estava previsto em sua carta-de-vida, e apenas o fato se cumpriu. Disso tem resultado constantemente a permanência da alma que partiu, na recordação e saudade dos seus progenitores, numa ligação permanente entre eles e a alma que partiu.

Esta, por sua vez, recebe no mundo espiritual as vibrações emitidas pelos seus progenitores do plano físico, e as retribui com vibrações da mesma natureza, ao mesmo tempo em que ora fervorosamente à Divindade pelas almas do seu círculo familiar.

Muitos são os casos em que as Forças Superiores julgam necessário retirar de um lar terreno um dos seus membros mais queridos, com a finalidade de despertar nos responsáveis por esse lar o sentimento de saudade e o hábito da oração em favor da alma que partiu. Este processo tem sido posto em prática principalmente nos lares cujas colunas se julgam dispensadas da oração diária à Divindade, tal como prometeram ao descerem à Terra.

Nestes casos que são numerosos, as Forças Superiores aplicam o processo descrito com os melhores resultados. A partida da Terra de um pai ou mãe em qualquer idade, está mais do que demonstrado, não chega a despertar naqueles que ficam o mesmo sentimento de saudade que a partida de um rebento desse lar, principalmente nos pais. Estes dificilmente esquecem o rebento que partiu e o recordam diariamente nas suas orações, com o que estarão consolidando e ampliando a relação afetiva do seu coração com o coração da alma que partiu. 

Disto resulta o maior encadeamento das almas que vivem na Terra com as que se despediram dos lares em tenra idade e na juventude e mocidade. Desse encadeamento tem resultado invariavelmente o despertamento das almas que ficaram no círculo familiar para a espiritualidade, tão necessário a todas as almas encarnadas. São incontáveis os casos em que esse despertamento vem revelar a muitas pessoas a posse de alguma missão sublime que trouxeram à Terra, e se dispõem a cumprí-la, para o seu maior progresso espiritual. 

Os fatos que se estão verificando por toda a superfície terrena, promovendo o regresso de numerosas almas encarnadas, estão produzindo resultados da maior importância no sentido acima descrito, além de contribuírem para o cumprimento das reformas projetadas de longa data na estrutura do planeta. 

A vida universal, constituída de um número absolutamente incontável de seres espirituais, a todos oferece as mesmas oportunidades de evolução, desde a sua criação como simples idéia na Mente Divina, até o grau mais elevado de aprimoramento espiritual.

Não existe, contudo, nenhum laço de dependência entre esse número incontável de seres, visto como, tendo partido da mesma origem, cumpre a cada um desenvolver suas próprias forças e aptidões numa posição de absoluta independência entre si. Criou-se então a idéia magnífica da constituição dos lares terrenos, formados inicialmente por duas almas encarnadas que se aproximam e se atraem pelos laços do amor instintivo, para cuja união recebem as bênçãos da Divindade.

A finalidade desta magnífica instituição dos lares terrenos, outra não é senão a de proporcionar a vinda à Terra de outras almas necessitadas de novas luzes espirituais, no processo infinito de aprimoramento espiritual. Cabe, por conseguinte, às duas colunas dos lares terrenos, proporcionar condições de reencarnação às almas que a Divina Providência lhes determinar, as quais cercarão do necessário carinho em sua infância, proporcionarão os melhores exemplos de educação de boas maneiras, e ainda a instrução que as suas posses permitirem. 

resto correrá por conta da Divina Providência, que são as Forças Superiores, até o regresso das almas ao mundo espiritual. Fica assim perfeitamente claro que os filhos de um casal são apenas almas irmãs das suas em fase de aprimoramento na Terra, as quais os pais receberam para esse fim, tal como lhes sucedeu a si próprio, como filhos que foram também. 

Sucedendo, como sucede freqüentemente, muitas almas partirem prematuramente dos lares terrenos, o que em primeiro lugar deve preocupar os pais, é se tudo fizeram no sentido de impedir a partida daquela alma. Esta é que deve constituir a primeira e maior preocupação dos pais, dado que dela haverão de prestar contas a Divina Providencia. Se tudo empreenderam no sentido de preservar a vida do seu ente querido, mas ainda assim o viram partir, certos podem ficar então de que aquela alma querida fora chamada de regresso ao seu plano espiritual pela Divina Providência, por motivos ponderáveis. 

Um destes motivos pode bem ser a necessidade do estabelecimento de uma ligação espiritual bem forte entre as colunas do lar terreno e o coração da alma que partiu, o que sucede muito freqüentemente. Dessa ligação resulta o princípio da espiritualização das duas colunas do lar terreno, da qual se teriam descurado até então, passando daí em diante a alimentar mais um foco de luz na Terra, do qual se beneficiam em primeiro lugar e abundantemente, as almas residentes nesse lar.

O encadeamento da vida universal necessita da cooperação de todas as almas encarnadas e desencarnadas para o estabelecimento e desenvolvimento da felicidade de cada um de per si, através da prece diária de todas elas. A prece diária de todas as almas do Universo pode ser comparada a um fio de água corrente dirigida a um grande manancial, uma reserva imensa da qual se beneficiam todos os seres espirituais que contribuírem para a sua formação e manutenção.

Ocasiões existem muito freqüentemente em que as Forças Superiores - a Divina Providência - são chamadas a socorrer um maior ou menor número de almas necessitadas, e para isso tem de recorrer àquele imenso reservatório de energia fluídica, o que fazem invariavelmente com os melhores resultados. E se não existisse o reservatório com a quantidade de energia fluídica necessária? Como poderiam as Forças Superiores do Universo atender ao que delas requerem as almas necessitadas? A resposta é que em tal caso se estabeleceria o caos, sem apelação. A obra divina é porém, tão perfeita em seus mínimos detalhes, que essa hipótese não existe em nenhuma circunstância. Isto bastará, entretanto, para que cada ser humano possa avaliar sua própria responsabilidade em contribuir com sua prece diária, para, além do próprio benefício, ajudar a manter aquele imenso reservatório de energia fluídica, da qual poderá vir a necessitar um dia.