Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

15. AINDA É TEMPO... Livro: As Forças do Bem.



Deus criou o mundo terreno, assim como está tratando da criação de outros, com a divina intenção de proporcionar aos Espíritos em fase de evolução todas as oportunidades de aquisição de conhecimentos e experiências de que necessitam, para poderem atingir a suprema perfeição.

No globo terráqueo, Deus colocou uma classe de Espíritos em relativa igualdade de conhecimentos, formando a sua população de cerca de dois milhões de anos. A maioria desses Espíritos aqui aportou das regiões siderais um sem-número de vezes, adquirindo em cada uma delas um novo grau de experiências, sempre correspondentes a um novo grau de progresso espiritual.

Todos os Espíritos assim reencarnados sempre gozaram da faculdade do livre arbítrio, utilizando-a a seu bel-prazer. Muitos, desgraçadamente, regressavam ao Espaço tão carregados de culpas, que ao invés de progredirem, haviam regredido em sua passagem correspondente pela Terra.

Vossa História está repleta de episódios terríveis, de prisões, sacrifícios, morticínios, ordenados por homens momentaneamente poderosos, cuja consciência de tal modo denegriram, que eles próprios se desconheciam em seu regresso aos planos onde a verdade não necessita de ser confessada, porque ressalta da aura de cada ser espiritual.

Esses Espíritos, entretanto, eles próprios imploraram oportunidades de regeneração na Terra, e aqui estiveram quase todos em situações que nem é bom descrever, para que sua serenidade atual não seja perturbada pelas reminiscências de um passado inteiramente sepultado no pó dos milênios transcorridos.

A Justiça Divina é, porém, tão perfeita, que ao passo que os ordenadores, responsáveis e executores dos horrores mencionados enegreciam suas consciências, e, por conseguinte, acumulavam trevas em torno de seus Espíritos, enquanto isso sucedia, as vítimas das violências, dos martírios e de toda sorte de perseguições, ganhavam um pouco de luz a mais, mercê dos sofrimentos que tiveram de suportar.

Um número por assim dizer, incontável, de Espíritos que freqüentaram a Terra desde os seus primórdios, tanto de dirigentes como de dirigidos, que são afinal os mesmos em revezamento continuado, já alcançaram planos bem mais adiantados do que este, onde mereceram viver, e de lá emitem constantemente vibrações de amor e fraternidade para os que ainda perlustram os tristes caminhos terrenos.

É forçoso registrar, infelizmente, que ainda vivem na Terra Espíritos que, pelo tempo decorrido, pelo número de existências aqui vividas e pelas freqüentes oportunidades que lhes foram proporcionadas, já deviam ter ascendido àqueles planos de que falei, e ser hoje mentores, dirigentes e guias espirituais da humanidade dos vossos dias. A estes, que preferiram desperdiçar o tempo em ocupações infrutíferas até para eles próprios; a estes Espíritos que seguidamente têm feito ouvidos moucos à palavra de Jesus e aos conselhos e observações de seus Guias espirituais, novo destino está para ser dado, para afastá-los de um planeta em que se estagnaram.

É bem triste dizê-lo, irmãos meus, mas é preciso dizê-lo alto e bom som, para que todos ouçam: esses irmãos que assim desbarataram oportunidades verdadeiramente preciosas para a sua evolução espiritual, vão levar os elementos do progresso aqui adquiridos a um mundo bastante inferior à Terra, onde as principais leis que regem a vida terrena ainda são desconhecidas. É bem triste dizê-lo, repito, porém a verdade deve ser dita o mais claramente possível para que todos a compreendam. Nosso Senhor Jesus Cristo tudo tem feito nestes dois mil anos decorridos desde sua estada em corpo físico entre vós, no sentido de que todos os terrenos pudessem despertar suas faculdades latentes por meio da oração e da prática do amor ao próximo, para atraírem as claridades que constituem o único objetivo de cada uma das reencarnações.

Alguns efetivamente o ouviram e se dispuseram a seguir os seus magníficos ensinamentos. Uma imensa maioria, entretanto, comodamente instalada na agradável prosperidade de bens materiais, tem feito o que vós denominais ouvidos de mercador e tem se deixado ficar à margem do progresso espiritual, infelizmente.

Nem tudo, porém, está perdido, meus queridos irmãos e amigos. Tempo será ainda, de proceder cada qual a um rigoroso exame de consciência e, se verificar que estas palavras lhe dizem respeito, reorganizar seus planos de vida e mudar de rumo. Mudar de rumo, sim, é bem o termo, Se seu rumo foi traçado exclusivamente na direção da prosperidade material, cujo objetivo natural seja a posse do maior volume possível de bens e valores terrenos, se esse for na realidade o rumo traçado, ainda é tempo de o modificar, operando um desvio de noventa graus que seja, na direção da única, da verdadeira fortuna que um ser humano pode alcançar na Terra: a luz espiritual.

Foi para grafar estes conselhos que este vosso irmão foi designado, vindo de uma região em que a paz, a luz e a serenidade, a felicidade enfim, existem em estado permanente, com o objetivo de dizer aos homens e mulheres da Terra que ainda é tempo, que nada ainda está perdido para aqueles que tiverem olhos de ver e ouvidos de ouvir. Aqueles a quem minhas palavras sensibilizarem e se decidirem a modificar seus hábitos e pensamentos, têm à mão a fórmula mágica que lhes proporcionará a tranqüilidade presente e a felicidade futura: orar diariamente, atraindo idéias novas, inspiração e ajuda para a sua vida terrena. Façam isso a título experimental se quiserem e me digam depois o resultado.

É fato bastante conhecido no mundo, e por isso só em resumo o citarei para aqueles que o desconheçam: a fortuna reunida pelos homens em seu incansável labor terreno não é transferível por direito divino àqueles a quem seu proprietário imagina, no caso os filhos ou parentes próximos. Não, meus irmãos. E isto porque, em vez de um bem, a posse da fortuna havida por meio de herança, pode vir a constituir um mal para o herdeiro. Tendo cada Espírito encarnado sua tarefa a desempenhar, e devendo fazê-lo em determinadas condições, tendo nascido em lar opulento ou abastado, a parte que lhe couber por herança diluir-se-á sem que ele o sinta, enquanto que outros herdeiros de igual fortuna poderão conservá-la. É que o primeiro não possuía o direito divino à herança e por isso ela fugiu de suas mãos. Aqueles que, por sua vez, herdaram e conservaram a fortuna, esses foram ou estão sendo experimentados numa das mais difíceis provas terrenas: a da fortuna, riqueza ou abundância. Do bom ou mau uso que dela fizerem, por conseguinte, terão ajuntado mais luz aos seus Espíritos, ou terão preparado uma próxima encarnação de dificuldades, sofrimentos, ou até de miséria material, porque inclusive mendigos podem vir a ser.

Vejam por este resumo os chefes de família que esquecem deveres espirituais, por se encontrarem enredados no cipoal de seus interesses materiais; vejam, irmãos meus, o quanto de riscos podem estar acumulando para seus descendentes, com a única preocupação de os deixar bem quando tiverem de partir de regresso aos planos do Espírito.

Meditem nestas palavras todos quantos tiverem a fortuna de as ler, e refreiem um pouco a ambição de ganhos na Terra, em favor da tranqüilidade e da felicidade do Espírito. Orem, orem regularmente, até por interesse, porque unicamente para si o fazem. E da oração constante uma grande consolação resultará.


Se precisarem de mim em algum momento, peçam a Jesus, que com sua permissão imediatamente se aproximará de vós o vosso dedicado — Irmão Tomé.