Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

6. OS DOIS CAMINHOS - Livro: As Forças do Bem.



Que a luz bendita do Senhor ilumine todos os seres, na Terra e no Espaço! Sim, que a luz bendita do Senhor se derrame sem cessar por todos os recantos deste pobre e sombrio planeta, clareando, sobretudo, as consciências dos homens e mulheres em peregrinação terráquea, para que melhor possam aceitar e compreender os belos ensinamentos aqui deixados pelo Divino Mestre há vinte séculos. Amai-vos uns aos outros é um dos ensinamentos que devem acompanhar o ser humano em todos os momentos de sua peregrinação.

No dia em que o homem souber aplicar em suas relações diárias com seus semelhantes, aquele luminoso ensinamento de Jesus, a partir desse dia a verdadeira felicidade instalar-se-á em seu coração. Amar o seu próximo é amar o próprio Deus instalado em cada ser humano, é transformar em felicidade o sofrimento, é pôr termo a um longo passado de quedas e dissabores, lutas e fracassos, é como se o homem caminhasse habitualmente nas trevas e passasse a caminhar à luz extasiante do astro rei.

Os homens do momento que passa, têm, bem definidos, dois caminhos abertos à sua frente: um que representa e continua os sofrimentos inenarráveis de um passado trevoso, em que a vida decorreu num mar permanentemente tempestuoso, que é o caminho das suas ambições de grandeza e poder de domínio sobre os demais, ao longo do qual só encontrou seixos, urzes e espinhos e não poucos abismos disfarçados, nos quais freqüentemente se precipitou. O outro caminho é o caminho do Bem, da Luz e do Amor a Deus, e do benfazer aos seus irmãos. Neste caminho o homem só encontrará alegrias para o seu coração e tranqüilidade para o Espírito, como recompensas mínimas advindas da prática de boas ações.

As ambições alimentadas há milênios pelos Espíritos aos quais foi dada a Terra por campo de desenvolvimento, só têm acarretado fracassos, sofrimento e atrasos para esses Espíritos. Chegou, porém, o momento em que os homens estão sendo despertados desse passado milenar, para o progresso que se desenrola diante de seus olhos espirituais, e a nenhum deles, homens e mulheres, será permitido permanecer como que adormecidos ao chamamento.

O progresso do Espírito é tão bela coisa, a luz espiritual própria constitui tão grande tesouro, que, se vos fosse permitida uma demonstração prática durante vossa permanência na carne, por certo que nenhum de vós aqui quereria permanecer, ou, pelo menos, tudo faria desse momento em diante para alcançar aquele ambicionado tesouro.

A vida, terrena, por maiores encantos que possa oferecer, não oferece termo de comparação com a grandiosidade do tesouro espiritual, que está destinado àqueles que se esforçarem por alcançá-lo. Digo se esforçarem, e digo bem, porque nada de bom se pode alcançar sem o esforço próprio, e isto é uma lei universal. Esse esforço é, entretanto, tão suave e tão belo, que mesmo durante o esforço que o homem faça para se tornar realmente bom e praticar as leis de Deus, ele começa a gozar essa pequena felicidade que se amplia, se engrandece, à medida que o esforço contínua. E é tão pouco o que o homem tem a fazer, que ele próprio se admirará de o não ter feito há mais tempo. Por exemplo: amar ao próximo como a si mesmo; haverá nisso alguma dificuldade? Absolutamente. Uma simples modificação de raciocínio colocará o homem nesse caminho. Primeiro ele colocará um meio termo em suas idéias de querer ser grande, rico, poderoso, para desejar apenas o suficiente para viver confortavelmente com o grupo de irmãos que a Divina Providência lhe entregou na Terra: sua família.

Partindo deste princípio, verificará o homem com alegria que começam a desaparecer certas questiúnculas que surgiam vez por outra em seu meio familiar, e que um certo toque de harmonia, entendimento e maior felicidade se implantou em seu ambiente. Milagre? Não, tudo perfeitamente de acordo com a lei de vibrações. Se seu círculo vibratório passou a girar em maior harmonia com as leis de amor ao próximo, isentas das anteriores vibrações de grandeza e poder, conseqüentemente, funcionando esta outra lei dos semelhantes, desceu em seu ambiente familiar e mesmo social, uma correspondente vibração de serenidade e harmonia que o homem não trocará jamais por todo o ouro da Terra.

Irmãos meus: quem através destas linhas vos fala desta maneira, possui, graças ao Senhor, uma larga experiência do assunto adquirida em longas, numerosas e até dolorosas reencarnações na Terra. Minha luz atual já me confere o direito a viver exclusivamente na contemplação e na paz espiritual dos Apóstolos de nosso amado Jesus. Por Sua determinação, contudo, é que aqui venho dizer-vos estas palavras, com o objetivo de poder contribuir para que em breve possais vós também ascender às iluminadas e encantadoras paragens em que vivem todos quantos resolveram reunir numa única, todas as suas ambições: a ambição de ser bom, dedicado, útil ao seu próximo, como mandam as leis de Deus.


Vamos, irmãos queridos: para que ambições de grandeza terrena, se nem um centavo dela podereis conduzir em vosso regresso à pátria do Espírito? Mãos à obra, pois. Meditai no que aqui vos deixo, qual semente lançada em boa terra, e certamente colhereis uma larga sementeira de luz e felicidade para os vossos Espíritos, que é a única coisa que conta, em todos os milênios que houverdes vivido! Mãos à obra, repito, irmãos queridos; e, em vossas dificuldades ou dúvidas, chamai por mim, que me orgulho de ser, sempre, o vosso dedicado — Irmão Tomé.