Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

32. APELO AOS PAIS E MESTRES – Livro: As Forças do Bem.





O Senhor do Mundo procede ao chamamento dos seus guiados terrenos para o cumprimento de deveres milenares muito sérios, que os mesmos têm descurado cumprir durante as existências passadas. São deveres inerentes a todos os Espíritos em evolução, e que não podem ser por mais tempo postergados.

Não ignoram os homens e mulheres do momento terreno, os compromissos assumidos ao baixarem ao planeta em sua presente encarnação, mas apenas os não recordam, mergulhados como estão no que chamam a “defesa dos seus interesses materiais”. O Senhor do Mundo bem compreende a situação de cada um nesse particular, e por isso deliberou aproximar-se dos encarnados para lhes recordar esses deveres e chamá-los ao seu cumprimento.

Os deveres em referência não importam de maneira alguma no abandono dos interesses materiais dos filhos encarnados, absolutamente. Importam, isso sim, em voltarem seus pensamentos também para aquela Fonte Suprema do Bem, que é Deus, e orar de todo coração em seu próprio proveito.

Voltando seus pensamentos para Deus ao fim de cada dia de trabalho, os filhos encarnados estarão recebendo em seu coração eflúvios altamente benéficos para sua existência terrena, e, por conseguinte, para a sua felicidade.

A vida, tal como está sendo vivida pela maioria dos encarnados, afasta-os lamentavelmente de seus verdadeiros objetivos espirituais, que consistem na aquisição de luzes e bênçãos através de boas obras, o que só existe em escala insignificante. Observada então do Alto, a vida que está sendo vivida pela grande maioria dos Espíritos encarnados, ressente-se da falta de harmonia e de amor até para com eles próprios, notando-se uma acentuada tendência para a materialidade grosseira, a terminar nos desregramentos.

Observa-se com tristeza, ainda, o encaminhamento errado que está tomando a mocidade atual, toda ela constituída de Espíritos já possuidores de envergadura moral e de um regular patrimônio espiritual, mas que, a prosseguir como vai, por falta de autoridade dos pais, terminará convulsionando o próprio ambiente em que nasceu, com grave prejuízo para a coletividade e para si mesma.
O Senhor do Mundo, que tantas esperanças depositou e ainda deposita nos jovens do momento terreno, elaborou planos destinados a modificar a situação presente, entre os quais se encontra um apelo aos pais e mestres, para que tratem de incutir preceitos de moral cristã nos Espíritos dos filhos e alunos, a fim de ser tentada, com probabilidade de êxito, a salvação destes Espíritos.

As doutrinas políticas em choque no mundo representam simplesmente ambições e interesses de domínio sobre a Terra, o que o Senhor do Mundo não pode tolerar por mais tempo.

Assim, pois, desejo dirigir-me hoje a todos os jovens de ambos os sexos presentemente na Terra, para lhes dizer que o momento que estão vivendo será decisivo em suas vidas. Desejo convidá-los à meditação e à prece diária da qual muito carecem para poderem atravessar os obstáculos em breve colocados em sua frente. Desejo advertir-vos, jovens que cursais as universidades ou vos preparais para isso, que a falta da meditação e da prece diária pode lançar-vos em tão profundo abismo como jamais podereis imaginar. A meditação e a prece diária, meus queridos jovens, têm o mérito de afastar de vós os maus conselheiros invisíveis que tudo fazem para perder-vos, quero dizer, para impedir que realizeis os planos magníficos que preparastes no Espaço para realizar na Terra, e se encontram gravados em vossa memória espiritual. A meditação e a prece diária farão com que os vossos projetos, tão pacientemente elaborados com a finalidade de contribuirdes para o adiantamento do planeta, vos sejam pouco a pouco revelados em vossa memória terrena, e bem cedo vos dediqueis à sua realização.

Jovens de hoje, meditai um pouco no que aí fica, e vereis como tem razão este vosso irmão mais velho, no conselho que aqui vos deixa. Se ingressastes nas universidades da Terra, deveis dar graças a Deus por isso, porque milhões de outros jovens não o conseguiram. E por que tereis vós sido conduzidos por mão divina à Universidade que cursais? Julgais porventura que isso aconteceu unicamente por vossa vontade? Em resposta devo dizer-vos que milhões de outros jovens também abrigaram e abrigam desejos de estudar como vós, tiveram e têm vontade de subir estudando, e no entanto não o conseguiram na presente encarnação. Vós o conseguistes porque a mão divina vos amparou e conduziu aonde vos encontrais. E para quê? Podereis dizer-me? Não foi certamente para vos tornardes elementos de agitação e de desordem, tentando perturbar a paz e a segurança dos vossos irmãos terrenos. Não foi certamente, irmãos meus, para vos tornardes ponto de apoio de teorias subversivas que falharam e falham nos países em que a ambição e a treva conseguiram implantá-las. Não, meus queridos jovens; não foi para isso que a mão divina vos conduziu às universidades terrenas, e sim para estudar, para desenvolver e recordar em vossa memória física conhecimentos adquiridos no passado, e dos quais necessitais para as vossas realizações. Sim, irmãozinhos meus, foi para estudar, recordar e aperfeiçoar conhecimentos, que ingressastes na escola em que hoje vos encontrais.

Mas eu bem sei que este também é o vosso desejo, o objetivo de vossas preocupações, o sonho dos vossos sonhos: melhorar as condições da vida atual, distribuindo o amor e a justiça entre os homens. Escutai-me, porém. Primeiro tratai de preparar-vos convenientemente; dedicai o vosso tempo só e só aos vossos estudos que são árduos e precisais dominá-los. E como sois médiuns todos vós, vosso ascendente mediúnico está sendo utilizado por vibrações maléficas que intentam transformar-vos em instrumentos da desordem e do mal, para prejuízo inteiramente vosso. Guardai bem isto: duas forças vos acompanham os passos desde o vosso nascimento. Uma delas, projetada pela Mente Divina, ampara-vos, ajuda-vos e vos conduz para a frente e para cima em vossos sinceros propósitos. A outra espreita muito de perto as vossas fraquezas, explora as vossas tendências, mínimas que sejam, para o lado inverso, procurando desviar-vos dos vossos verdadeiros objetivos. Se à última vos mostrardes acessíveis, se lhe aceitardes as sugestões que ela sopra sorrateiramente aos vossos ouvidos, ah! meus queridos; muito mais cedo do que podereis imaginar tereis perdido vossa atual encarnação, para não contardes com outra nos próximos milênios.

Vou tentar ilustrar o meu pensamento com uma imagem que certamente conheceis. Foi na vida de Nosso Senhor que o fato teve lugar. Havia o meigo Nazareno procurado refugiar-se da confusão do mundo, afastando-se para o deserto a fim de ali poder meditar mais tranqüilamente no caminho a seguir, depois da morte de João Batista. Deveis conhecer bem o fato porque ele vem relatado na Bíblia que todos ledes. Pois bem; entregava-se Nosso Senhor à meditação, quando surge uma Entidade dizendo-se possuidora de poder como ninguém mais, e oferece ao Senhor o domínio absoluto sobre a Terra, em troca de bem pequena coisa. Dar-lhe-ia riquezas, poder, e todas as coisas que imaginar pudesse, em troca, vede bem, em troca apenas de sua adoração à referida Entidade. Bem pouco, não é verdade, meus queridos? Este pouco, como sabeis, importava nada menos que em repudiar seu amor e obediência ao Pai Celestial que o enviara, para se consagrar ao Espírito das trevas. O resultado todos vós o conheceis: Jesus de Nazareth repeliu a oferta, e o impostor desapareceu no mesmo instante, ao ver malograda sua tentação ao Senhor.

Colocai em vós mesmos a imagem que vos recordo, porque vós igualmente vindes sendo tentados a deixar o caminho certo em que a mão divina vos colocou, porque necessita do vosso concurso, da vossa dedicação à obra do progresso moral da Terra, para serdes nada mais que instrumentos da destruição e da morte dos vossos irmãos. Escolhei, por conseguinte, o lado que vos parecer melhor, e que só pode ser o do estudo sincero, da meditação e das realizações científicas que Nosso Senhor vos confiou. Que o não decepcioneis, são os votos e o conselho que aqui vos deixa este vosso dedicado amigo — Irmão Tomé.