Passa já da hora o vosso despertar espiritual . . . Saiba que a tua verdadeira pátria é no mundo espiritual . . . Teu objetivo aqui é adquirir luzes e bênçãos para que possas iluminar teus caminhos quando deixares esta dimensão, ascender e não ficar em trevas neste mundo de ilusão . . .   Muita Paz Saúde Luz e Amor . . . meu irmão . . . minha irmã

domingo, 21 de abril de 2013

62ª mensagem de ensinos espirituais - Livro: Nova Ordem de Jesus - Vol I



Ditada pelo Apóstolo Thomé
Em 10-1-1971
Rio de Janeiro - Brasil

A INSTALAÇÃO DO SENHOR JESUS NO SOLO TERRENO PROPORCIO-NARÁ NOVOS AVANÇOS À TECNOLOGIA – AS GUERRAS NADA CONSTROEM DE ÚTIL PARA OS VENCEDORES OCASIONAIS – SOMENTE A IGNORÂNCIA DAS LEIS ESPIRITUAIS INDUZ UM GOVER-NANTE A DECRETAR A GUERRA

A VINDA DO SENHOR JESUS ao solo terreno deve assinalar o advento de uma nova fase na vida e na história deste pequeno planeta. A Terra foi preparada há milhões de anos para receber uma população inicialmente bastante reduzida, que tratou de criar as condições indispensáveis à sua própria vivência. Mas a Terra carecia de tudo para oferecer aos primeiros habitantes, os quais levaram vida simples, privados do mínimo conforto.

Com o perpassar dos séculos e milênios, seres espirituais mais evoluídos aqui encarnaram e trataram de dotar o planeta de certas condições de con-forto, fundando indústrias de utilidades domésticas que foram melhorando a vivência humana na Terra. Vieram depois as primeiras escolas primárias para o desenvolvimento intelectual das populações, e com o tempo os colégios e as universidades que hoje conheceis por toda a parte.

A vinda do Senhor Jesus e Sua instalação no solo terreno está destinada a proporcionar novos avanços em todos os setores da tecnologia, da física e da química, do que resultará um novo e substancial progresso em toda a vida do planeta. Esse progresso, contudo, tem de estar estreitamente relacionado
com o desenvolvimento espiritual dos seres humanos, em que as mentes humanas se desprendam das coisas fúteis, inferiores, para se elevarem aos planos espirituais. Efetivamente, enquanto as mentes humanas se ocuparem de coisas e fatos de nível inferior como até agora, dificilmente poderão receber as vibrações puras, elevadas, projetadas pelas Forças Superiores do mundo espiritual para ajudar o progresso da vida terrena. 

Desde que as mentes humanas se desprendam das coisas inferiores e se disponham a receber as vibrações irradiadas do mundo espiritual pelas Forças Superiores, os homens e as mulheres estarão em contato com as Entidades evoluídas e delas receberão inspiração e idéias que as deixarão inteiramente felizes.

O que distingue nos mundos mais evoluídos a vivência inteiramente feliz de suas populações, é exatamente o grau vibratório atingido pelos habitantes daqueles mundos, e jamais outra circunstância peculiar aos mesmos. É o conjunto vibratório das populações de cada planeta que determina o estado de vida das mesmas. Um conjunto vibratório elevado, harmonioso, destituído de ambições e de ódios, produz à aura dos planetas um tal estado de harmonia e felicidade, o qual se irradia a todos os seres nele habitantes.

A Terra tem sofrido desde milênios o efeito da ambição e da cobiça de numerosos indivíduos que lograram conquistar posições de domínio ou de comando em varias nações, daí se lançando à conquista de nações mais fracas, na idéia louca de se apossarem de seus territórios. Percorrei entretanto as páginas da história, e vereis que nenhuma daquelas conquistas se tornou definitiva porque outros homens se empenharam na sua libertação. 

E dizei, após, se valeu a pena tanto sacrifício de vidas e de recursos para a conquista de êxitos meramente provisórios. Há, porém, o outro lado dos fatos que vós não conheceis. As almas responsáveis pelas aludidas conquistas, responsáveis portanto, pelo sangue derramado e vidas interrompidas, todas purgaram duramente as conseqüências, vindo seguidamente à Terra em situações dolorosas, pelo menos indesejáveis. 

No dia, por conseguinte, em que os homens responsáveis se capacitarem de que as guerras nada constroem de útil para os seus países, porque aquilo que adquirem pela força, pela força o terão de devolver, no dia em que os homens responsáveis decidirem agir em função do Espírito e jamais em função da matéria, a partir desse dia a vida terrena se tornará uma constante de felicidade e harmonia.

Argumentará provavelmente alguém que o fato de certas nações preten-derem a conquista de novos territórios dever-se-á a sua expansão demo-gráfica para acomodar sua população. A um tal argumento o Senhor Jesus responde que o mundo terreno encontra-se em condições de atender a toda a sua população atual e porvindoura. Se, portanto, a expansão demográfica de uma nação não permitir acomodar sua população, existe o recurso da emigração à outras nações onde tal expansão não exista, cuja área ainda permita acomodar os filhos de outras nações.

Isto, aliás, tem-se verificado abundantemente para felicidade das almas assim ingressadas em várias nações. O recurso à guerra é inteiramente condenado pelas leis espirituais, que não permitem o sacrifício, impune-mente, de almas que aguardaram séculos para reencarnar.

Um outro motivo apurado pelas Forças Superiores, como determinante da deflagração das guerras na Terra é a falta de desenvolvimento espiritual dos governantes que se atiram a esse recurso. Um governante desenvolvido espiritualmente sabe que a vida de todos os seres humanos é sagrada, e tem de ser respeitada como se de um irmão consanguíneo fosse. Somente a ignorância completa das leis espirituais pode levar um chefe de governo a decretar a guerra a outra nação para satisfação de interesses de Estado ou vaidade pessoal. 

Se ignorante não fosse das leis espirituais, também designadas leis do amor, esse chefe de governo saberia que iria praticar um crime contra a Divindade retirando de suas atividades pacíficas os milhares de irmãos convocados para a guerra. Saberia igualmente que a nação adversa teria de convocar por sua vez outros milhares de irmãos para se oporem á agressão da nação guerreira. 

É por isso necessário e urgente levar esta palavra do Senhor Jesus a todos os homens responsáveis pelas nações da Terra, para que meditem sobre elas e tratem de por um fim às idéias guerreiras que porventura alimentarem contra outras nações. Já foi dito pelo Senhor Jesus que a Terra não pertence aos homens, por mais potentados que se julguem. A Terra pertence exclu-sivamente à Divindade e se destina a promover a evolução de todas as almas que nela reencarnam inúmeras vezes. 

Desta maneira, nenhum homem responsável pelo governo de nenhuma nação tem o direito de agredir outra, com sacrifício de milhares ou milhões de vidas tão preciosas quanto a sua própria, porque todas as almas encar-nadas trouxeram objetivo idêntico, que é adquirirem novos focos de luz espiritual, tal como sucede aos governantes ocasionais.

Como, então, decidirem os governantes ocasionais de povos, resolver pela força as diferenças existentes para com outras nações? A instituição da diplomacia teve por objetivo precisamente isto: o entendimento amigo entre as várias nações para acerto das questões que entre elas surgirem. E para os casos mais graves existe o recurso às reuniões coletivas, às conferências pacíficas, capazes de solucionar todos os problemas. Este é o meio de solução inteligente instituído na Terra para o entendimento dos povos, um entendimento pacífico e capaz de resolver todos os problemas.

O recurso à guerra, em circunstância nenhuma deve ser usado, e isto porque será um recurso em que todos perdem e ninguém se beneficia.

Eis aí mais um dos mais importantes motivos da vinda do Senhor Jesus a se instalar no solo terreno. O Senhor Jesus está visitando com Sua equipe de assessores todos os governantes da Terra, empenhado em afastar de suas mentes as idéias guerreiras que nada resolverão de útil para os seus povos.

E o Senhor Jesus alimenta fundadas esperanças de alcançar tão belo objetivo; extinguir a guerra no mundo terreno. Numa guerra todos perdem e ninguém se beneficia.

É necessário que as mentes humanas se desocupem das coisas e fatos de
nível inferior – como até então se verifica.